De Mônaco à Barcelona: conheça a Rota dos Encantos

O navio de luxo Silver Cloud oferece uma série de excursões em terra. Na programação, sempre passeios culturais por cidades carregadas de história.

por Carlos Altman 15/11/2016 00:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Carlos Altman/EM
Monte Carlo, na Côte d'Azur surpreende os visitantes pelo glamour de sua história, pelo luxo visto em todos os cantos (foto: Carlos Altman/EM)
Navegue conosco pela surreal Monte Carlo, em Mônaco. Depois visitaremos as cidades fascinantes de Saint Tropez, Marselha, Aix en Provence, Sète e Carcassone na França. Ao chegar na costa da Espanha, iremos conhecer Palma de Maiorca, Valência e finalizamos o roteiro na moderna Barcelona de Gaudí, Miró e Picasso.


Mônaco


Pela quantidade de iates de luxo ancorados no porto de Monte Carlo, no Principado de Mônaco, dá para se ter uma ideia do padrão de vida de seus moradores. Sem contar o congestionamento de supermáquinas nas ruas estreitas do local. Encravado em uma pequena faixa de terra entre o Mediterrâneo e os alpes franceses, Monte Carlo, na Côte d’Azur surpreende os visitantes pelo glamour de sua história, pelo luxo visto em todos os cantos e pelo fascínio dos contos de fadas da família real Grimaldi.


E por falar em riqueza, a principal atração turística do local é o famoso Cassino. Ele é o exemplo sublime da estética Belle Époque do final do século 19. O luxo dos móveis e a beleza das pinturas que decoram os diferentes ambientes chegam a ofuscar o brilho das as modernas máquinas de jogos de azar. Vale lembrar que nos salões comuns é proibido usar bermudas, mini-saias ou shorts, enquanto que nos Salons Privés é obrigatório o uso de paletó. O preço da entrada não é caro. Custa apenas 10 euros.


Dica- No entorno da Praça do Cassino de Monte Carlo é onde se concentra a maioria dos cafés, lojas de grifes de luxo e hotéis. O Café de Paris é o mais procurado de todos. A gastronomia francesa é rica em pratos sofisticados e sobremesas finas. Sentado no café sorvendo de um crème brulée, o turista pode apreciar o desfile de Rolls-Royce, Ferraris, Lamborghinis, Maseratis, Bugattis e Bentley além de conferir o público que passa pelo tapete vermelho do Cassino   

F1-  Monte Carlo carrega o título de ser o mais charmoso circuito da F-1.  A curva em U, em frente ao Hotel Fairmont, é um ícone do automobilismo. Difícil de imaginar uma corrida em um lugar tão estreito. Devido ao traçado, em muitos pontos, os pilotos desaceleram  a menos que 50 km. O piloto brasileiro Ayrton Senna é conhecido como Rei de Mônaco. Eles conquistou seis corridas entre 1987 e 2003. O mundo inteiro reverencia seus feitos e relembra as suas glórias.



Saint Tropez
Carlos Altman/EM
Balneário de Saint Tropez, na Riviera francesa (foto: Carlos Altman/EM)


A pequena cidade à beira-mar, se tornou mundialmente conhecida nos anos de 1950 quando  Brigitte Bardot  decidiu morar lá. Desde então, a vila de pescadores nunca mais foi a mesma. De status de lugar paradisíaco passou a se tornar um dos destinos mais badalados da Côte d’Azur. Vale lembrar que o balneário influenciou a moda e desafiou os costumes da época por conta do topless. Revolucionária e jeitosinha, a cidadezinha com a cara de Búzios é puro charme. Andar pelas suas ruelas e becos é desfrutar do prazer despojado na famosa Riviera Francesa. Celebridades do showbiz e da moda e muitos milionários visitam a cidade no verão quando acontecem as festas mais agitadas.


A região da Marina é onde o “foot” acontece. Um vai-e-vem de turistas de todo mundo circulam pela região rica em cafés, restaurantes e lojinhas de souvenirs.  Neles, de frente para os iates e barcos lá ancorados, um povo jovem e bonito desfruta as tardes quentes bebendo o melhor vinho rosé da região da Provence



Marselha
Carlos Altman/EM
Marselha é a segunda maior cidade da França (foto: Carlos Altman/EM)


Como toda cidade grande, a segunda maior cidade francesa deixa um pouco o charme de lado. Tirando a região do porto antigo, com seus cafés, museus, restaurantes e hotéis chiques e os iates ancorados, Marselha é uma cidade suja, com trânsito caótico e perigosa. A beleza da marina é realçada pela roda gigante, um atrativo a mais para a cidade que possui o maior porto da França, mas que precisa urgentemente resgatar as belezas do passado.




Aix en Provence
Carlos Altman/EM
O charme encantador de Aix en Provence (foto: Carlos Altman/EM)


Charme é que não falta na cidade onde o pintor Paul Cèzane viveu. O antigo sobrado da família continua de pé. Poderia ser um museu, mas está fechado acumulando pó e mofo. Em contrapartida, a cidadezinha é uma delícia de se caminhar. Praças bem cuidadas, ruas limpas e memória arquitetônica de prédios antigos preservados. Aos domingos, ela é ainda mais encantadora. Um festival de carros antigos desfilam pela principal avenida da cidadezinha da Provence. Por apenas 5 euros, algo em torno de 18 reais , é possível fazer um passeio neles que é uma verdadeira viagem no tempo.


Sète
Carlos Altman/EM
Sète tem um legado para os judeus após durante a Segunda Grande Guerra (foto: Carlos Altman/EM)


Pouca gente sabe da importância histórica da cidade portuária francesa quase na divisa da Espanha. Deste porto, no ano de 1947, em plena Segunda Grande Guerra quase  5 mil judeus foram resgatados na operação secreta denominada “Êxodus 1947”.  No dia 10 de julho, embarcaram 4.515 judeus, vindos de vários países europeus - Alemanha, Polônia, Hungria, Bélgica, França, Itália - e do Marrocos  É a cidade natal do poeta Paul Valéry e por conta dos canais, é conhecida como a Veneza francesa.



Carcassonne
Carlos Altman/EM
Muita história em Carcassonne (foto: Carlos Altman/EM)


Cercado por muros de pedra, o castelo medieval com suas torres altas é, depois da Torre Eiffel e do Mont Saint-Michel, o local mais visitado de França. Entrar em seu interior é como voltar no tempo e reviver a Idade Média. Caminhar por suas vielas é ter a sensação de que iremos nos deparar por cavaleiros medievais. Ao invés dos personagens épicos aos moldes de Game of Thrones, damos de cara com centenas de turistas de todas as nacionalidades, armados de smartphones e máquinas fotográficas. Carcassonne também é a terra da famosa Cassoulet, a feijoada de feijão branco com carne de pato e linguiça de cordeiro. Ao redor do Castelo, é possível fazer um passeio pela cidadezinha charmosa e acolhedora.





Palma de Maiorca
Carlos Altman/EM
Palma de Maioca é destino de milhares de turistas o ano todo (foto: Carlos Altman/EM)


Ao andar pelas ruas da capital da ilha de Maiorca, na Espanha é que se percebe a presença latina correndo nas veias. Sim, chegamos na terra na sensualidade, da beleza exposta em corpos bronzeados e do paraíso natural.  Na arquitetura, a portuária Palma de Maiorca carrega uma história de domínio marcada entre revezamento dos romanos, mouros e cristãos. O que pode ser percebido em suas igrejas góticas e palacetes renascentistas. No Centro, gente bonita do mundo inteiro caminhando por seus becos estreitos.



Valência
Carlos Altman/EM
A arte modernista do arquiteto Santiago de Calatrava, em Valência (foto: Carlos Altman/EM)


A arquitetura grita nesta cidade espanhola. Há décadas, a cidade se transforma com políticas de planejamento urbano para se adequar às mudanças do futuro. O rio desviado no Centro da cidade cedeu lugar ao  parque linear  Jadim del Túria com mais de 8 km de extensão. Nele, a cidade rejuvenesceu e com a maestria do papa da arquitetura espanhola Santiago de Calatrava, com o seu  Museu da Artes e das Ciências, conseguiu projetar Valência para o mundo. As linhas modernas e inconfundíveis do artista se enverga como um chamariz eloquente para o turismo. Valência é também a cidade da famosa porcelana Lladró. Requinte, tradição e perfeição em cada peça criada.






Barcelona

Carlos Altman/EM
Casa Batló, do arquiteto Antoni Gaudí, em Barcelona (foto: Carlos Altman/EM)

No início do século passado, na cidade de Barcelona,  o jovem catalão Antoni Gaudí revolucionou a arquitetura mundial ao propor um modernismo urbanístico na cidade. Ele assustou tanto os conservadores da época que vários projetos foram barrados e, por pouco, não foram demolidos. Se não fosse a influência da família Güell, os ícones da arquitetura modernista mundial como a catedral da Sagrada Família, a Casa Batló e a Casa Milá ( La Pedrera ) não existiram. E pensar que, hoje, milhões de pessoas visitam Barcelona  justamente para ver de perto as loucuras dessa cidade catalã.


Mas é no Parc Güell, um pouco afastado dos demais roteiros turísticos da cidade,  revela toda a criatividade do arquiteto catalão. A genialidade artística está presente na praça suspensa por colunas tortas, demarcada por bancos sinuosos de mosaicos de azulejo, exemplo claro do DNA de Gaudí.


Barcelona é envolvente, gostosa de ser andar tanto a pé quanto de bicicleta. O turista sente uma jovialidade moderna no ar. Apesar de ser uma cidade grande, ela é bem bem policiada e, com isto, o turista se sente seguro ao caminhar, mesmo durante a noite, em suas avenidas largas e desfrutar do passeio largo da famosa Rambla, com seus restaurantes aconchegantes. A cidade que sempre primou por uma culinária diferenciada, vive-se o boom da alta gastronomia molecular comandada pelos renomados irmãos chefs da família Adriá.


E a bebida não fica por menos. As cavas Codorniù e Freixenet, versão espanhola dos champanhes, são bastante conhecidos pelos brasileiros. Assim, nada melhor do que degustar uma taça de cava ou de um bom vinho enquanto se aprecia a belíssima vista da cidade.

 

Acompanhe esta viagem no Instagram

O dia amanhece nas águas tranquilas da Côte D'Azur. #cotedazur #mônaco #Bestpicoftheday #silversea #silvercloud #fantastic_earths

Um vídeo publicado por A L T M A N%u2708%uFE0F (@carlosaltman) em

 

 

 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO