Conheça os melhores destinos de inverno em Minas Gerais!

Nada como aproveitar as férias para fazer um circuito turístico pelo estado. Minas tem desde cidades rodeadas por montanhas a fontes de águas termais, uma rica gastronomia e muita festa

por Gustavo Perucci 06/07/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AHPMV/Divulgação
Visão do topo do Pico Selado em Monte Verde: distrito de Camanducaia é um refúgio arborizado e muito procurado principalmente no inverno (foto: AHPMV/Divulgação)

Não vai dar para esquiar, montar boneco de neve ou viver algum clichê de inverno retratado em filmes norte-americanos. Mesmo assim, a estação mais fria do ano movimenta o turismo em Minas Gerais. Das românticas cidades incrustadas nas montanhas a fontes de águas termais, o estado é repleto de tradicionais destinos para quem gostar de curtir, no bom mineirês, um ‘friozim’.

E não dá para falar em inverno em Minas Gerais sem pensar em Monte Verde, pequeno distrito de Camanducaia, no Sul do estado. Encravado na Serra da Mantiqueira, o povoado é um refúgio arborizado, cercado por araucárias, pássaros e esquilos e a típica hospitalidade mineira. Suas casas com arquitetura alpina conferem um clima todo especial ao destino, conhecido por ser uma ótima opção de passeio romântico. Ecoturismo, esportes radicais, ótimos hotéis, pousadas e restaurantes garantem diversão para toda a família.

Para completar o pacote, o distrito abriga, de 2 a 23 deste mês, a quarta edição do Festival de Inverno de Monte Verde, promovido pela Prefeitura de Camanducaia. Shows, concertos, apresentações de rua e oficinas culturais gratuitas movimentam ainda mais a região, conhecida por se transformar durante os meses de julho e agosto pela alta procura pelos turistas, principalmente do estado de São Paulo. Um dos destaques do festival é a Casa da Gastronomia, que contará com uma vasta programação de cursos e oficinas para todas as idades e gostos.

Em todos os setores do distrito, há opções para diferentes públicos. A diária para hospedagem varia de R$ 180 a R$ 1.800. Nos restaurantes, o cardápio oferece desde a mais tradicional cozinha mineira até pratos típicos da culinária europeia. Para quem não se contenta em comer bem e tomar um vinho ou chocolate quente, passeios de jipe, a cavalo, tirolesa e trilhas ecológicas dão um toque de aventura ao destino. E não se esqueça: antes de voltar para casa, aproveite para levar alguns dos deliciosos produtos locais, como queijos, cervejas, geleias e chocolates.

Confira mais alguns destinos que o Turismo separou para você curtir o inverno em Minas!


 Beto Novaes/EM/D.A Press 10/4/2014
OURO PRETO A má notícia é que o tradicional Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, que transforma as duas cidades em grandes palcos de apresentações artísticas, corre o risco de não ser realizado por falta de verbas. Se surgir alguma novidade sobre o festival, será informado no site www.festivaldeinverno.ufop.br. Fique de olho! Mesmo assim, a antiga capital de Minas, na Região Central do estado, é um ótimo destino em qualquer estação do ano. A vantagem do inverno é que o frio ajuda a encarar suas famosas ladeiras. Com mais de 300 anos, Ouro Preto é um museu a céu aberto, guardando boa parte da história da exploração do ouro no século 18 em suas construções e famosas igrejas. (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press 10/4/2014)

Marlyana Tavares/EM/D.A Press - 1/08/2012
LAVRAS NOVAS O distrito de Ouro Preto merece destaque, pois é um dos destinos preferidos de casais apaixonados. A pequena cidade, com pouco mais de 1.500 habitantes, é um refúgio típico de Minas, com ruas de pedras, natureza preservada e, claro, boa comida. Curtir as pousadas e restaurantes do distrito já é um ótimo passeio para muitos. Mas se você não se contenta com isso, trilhas ecológicas e esportes como rapel e trekking podem ser boas opções de diversão. Durante julho, festas juninas animam ainda mais a cidade. Lavras Novas também é conhecida pelas belas cachoeiras e poços naturais, além de pousadas confortáveis (foto). Resta saber se você vai encarar a água neste frio. (foto: Marlyana Tavares/EM/D.A Press - 1/08/2012)

BETO NOVAES/EM/D.A PRESS
MARIA DA FÉ Esse pequeno município detém o título de cidade com a temperatura mais baixa já registrada no estado (- 8,4°C, em 21 de julho de 1981). Também na Serra da Mantiqueira, Maria da Fé é conhecido internacionalmente pela produção de artesanato feito com a fibra de bananeira. As oliveiras na praça central completam o cenário de tranquilidade típico das pequenas cidades de Minas Gerais. Maria da Fé tem uma grande vocação para o turismo rural e o ecoturismo devido ao ambiente acolhedor da região e das belas fazendas, aliada à ótima gastronomia, cachoeiras e matas. Outra atração é Pico da Bandeira (não confundir com o outro Pico da Bandeira, bem mais famoso, localizado no Parque Nacional do Caparaó). (foto: BETO NOVAES/EM/D.A PRESS)

SÉRGIO MOURÃO/SETUR MG/DIVULGAÇÃO
PARQUE CAPARAÓ Belas paisagens, adrenalina e baixas temperaturas. O Parque Nacional do Caparaó é um destino recomendado para o turista que não dispensa a aventura. Na Região da Zona da Mata, o destino abriga o terceiro ponto mais alto do Brasil: o Pico da Bandeira, com 2.891 metros de altitude. A portaria do Parque, em Minas Gerais, está localizada no município de Alto Caparaó, ponto de partida para as trilhas. No local existe uma área para acampamento e um mirante, de onde é possível avistar várias cidades da região. A subida até o cume do pico dura cerca de nove horas, compensadas por várias cachoeiras e piscinas naturais que existem ao longo do percurso. Depois de tanto esforço, o presente: a vista privilegiada. (foto: SÉRGIO MOURÃO/SETUR MG/DIVULGAÇÃO)

SHIRLEY PACELLI/EM/D.A PRESS
CAXAMBU Uma das principais cidades do Circuito das Águas de Minas Gerais, Caxambu, no Sul do estado, é importante instância hidromineral. Tem a maior concentração de águas carbogasosas do planeta, com 12 fontes de diferentes composições químicas, entre elas, águas minerais com alto poder diurético e desintoxicante que atraem turistas de todas as partes durante todo o ano. As fontes estão concentradas no Parque das Águas Dr. Lisandro Carneiro Guimarães. Na Serra da Mantiqueira, a cidade também oferece, além das belezas naturais, atividades como passeios de charrete, cavalo, bicicleta e trilhas ecológicas. Durante os fins de semana de julho, ocorre também o Festival de Inverno de Caxambu, com atrações musicais e mostra de orquídeas. Também dá para aproveitar produtos locais, como doce de leite, ambrosia, geleias e queijos. (foto: SHIRLEY PACELLI/EM/D.A PRESS)

SÉRGIO MOURÃO/DIVULGAÇÃO
EXTREMA Na divisa de Minas Gerais com São Paulo, Extrema é conhecida c omo a porta de entrada do estado. Localizada na Região Sul, a cidade tem um ar puro e clima agradável de montanha, cercada por cachoeiras e uma rica vegetação. Como a época não é propícia a banhos em cachoeiras, o melhor é aproveitar os ótimos hotéis e pousadas, os bares e restaurantes com comida típica de Minas e seu povo bastante hospitaleiro. Também é possível ter uma bela vista das montanhas da região na Pedra Sapo, com mais de seis metros de altura. Outra atração é o 7º Festival de Inverno de Extrema, durante os meses de julho e agosto, que levará apresentações de música, teatro e dança de grupos e artistas nacionais, garantindo diversão para toda a família. (foto: SÉRGIO MOURÃO/DIVULGAÇÃO)

BETO NOVAES/EM/D.A PRESS
BELO HORIZONTE E quem vai ficar na capital do estado também tem que se divertir. Museus, casas noturnas, bares e restaurantes são algumas das opções de quem quer fugir dos shopping centers. Entre as atrações culturais estão o Circuito Cultural da Praça da Liberdade, o Museu de Artes e Ofícios, Inhotim e toda a região da Lagoa da Pampulha. Infelizmente, o tradicional Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais vem este ano em versão reduzida, entre 15 e 23 deste mês. Confira a programação em www.ufmg.br/cultura. BH tem extensa opções de ótimos restaurantes. Outra atração tradicional nesta época do ano é o Arraial de Belô, festa que conta com shows, barracas de comidas típicas e grupos de quadrilha de todo o país. Confira a programação em www.belohorizonte.mg.gov.br/evento/2016/06/arraial-de-belo-2016. (foto: BETO NOVAES/EM/D.A PRESS)

ROSSAMALY/DIVULGAÇÃO
POÇOS DE CALDAS Se o clima está frio, que tal aproveitar algumas fontes naturais de águas quentes e sulfurosas em Poços de Caldas, no Sul de Minas. Um dos grandes motivos de orgulho da cidade, elas são conhecidas pelas características terapêuticas, atraindo turistas de todas as partes há muito tempo. São diversas minas, de onde brotam esse precioso líquido, que deu fama à cidade e a firmou no circuito de turismo medicinal. Um exemplo é o Balneário Dr. Mário Mourão, com banhos de imersão que são realizados em cabines individuais na água que sai diretamente da fonte a uma temperatura de 41°C. E o inverno é uma das temporadas mais movimentadas em Poços. Aproveite também e conheça os produtos artesanais da região, como os típicos doces artesanais e peças de decoração em vidro fundido. (foto: ROSSAMALY/DIVULGAÇÃO)

DIVULGAÇÃO
GONÇALVES Pousadas muito bem decoradas, restaurantes e cafés convidativos e caminhadas em meio à natureza. A pequena Gonçalves, no Sul de Minas Gerais, conta com com boa infraestrutura, serviço atencioso e belas paisagens. A cidade é uma das mais altas da Serra da Mantiqueira e repleta de montanhas e picos. Se não dá para encarar as cachoeiras da região, passeios pela natureza, trilhas e prática de esportes, como mountain bike, rapel e cavalgadas, são opções de atividades. (foto: DIVULGAÇÃO)



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO