Paris tem cerca de 400 espaços verdes que merecem uma visita

Capital francesa tem uma quantidade de jardins bem conservados, imensos, com áreas verdes para descanso, prática de esportes, piquenique com a família ou com os amigos

por Teresa Caram 31/05/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Prepare-se para uma Paris diferente. Se você é turista de primeira viagem à capital francesa ou se já conhece a Cidade Luz, que tal incluir na sua lista passeios por parques e jardins que podem ser inesquecíveis? Paris é a capital mais arborizada da Europa, com mais de 400 áreas verdes encantadoras, como o Parque Florido de Paris, no final da linha 1 do metrô, em Vincennes, ou o Jardim de Luxemburgo. É fato que os castelos maravilhosos, a arquitetura riquíssima e carregada de história em ruas e praças, monumentos cinematográficos, como a Torre Eiffel, o Museu do Louvre e o Arco do Triunfo, são atrações obrigatórias. Mas convém ir além e olhar Paris com outros olhos, independentemente da estação do ano: prestar atenção ao detalhe de plantas, de árvores bem cuidadas, na beleza de hortênsias de todas as cores. É possível, inclusive, conciliar as visitas com o roteiro tradicional da viagem, que deve incluir ainda um passeio pelo Rio Sena – de preferência com um jantar a bordo –, uma visita à Catedral de Notre Dame, subindo mais de 100 degraus para apreciar Paris do alto, ou mesmo uma esticada até o boêmio Bairro Montmartre, onde ficam localizados a Catedral de Sacré-Cœur e o famoso Moulin Rouge, com shows imperdíveis.

Paris
– É impensável viajar a Paris e não conhecer o Louvre, a Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, a Champs Elysées, a Catedral de Notre Dame. Sem dúvida, são belos monumentos que encantam os turistas. Mas a capital francesa tem muito mais a oferecer. Ainda que a cidade tenha um sistema de metrô perfeito, que liga todos os 20 arrondissements (bairros) – digno de inveja –, caminhar pelas ruas, observando os ricos detalhes da arquitetura em cada poste, igreja, casa, monumento, é uma experiência e tanto. E os jardins, então, nem se fala. Paris tem uma quantidade de jardins bem conservados, imensos, com áreas verdes para descanso, prática de esportes, piquenique com a família ou com os amigos. Ideais para relaxar sob o Sol no inverno ou aproveitar a sombra no verão.

É possível passar um dia inteiro sentado em um banco ou no gramado simplesmente apreciando a paisagem, descansando, ou se entreter observando grupos de capoeira, pessoas jogando bocha, correndo ou treinando boxe. Nos parques parisienses, há espaços para todo tipo de diversão e atividade física. Acrescente essa experiência em sua próxima viagem. Você vai se surpreender com o que os jardins franceses podem oferecer. O Turismo selecionou alguns desses espaços que vale a pena conhecer.

Teresa Caram/EM/D.A PRESS
Bois de Vincennes (foto: Teresa Caram/EM/D.A PRESS)
Bois de Vincennes

Se você pegar o metrô da linha 1 no sentido Chatêau de Vincennes e descer no fim da estação, já estará no castelo. Esse complexo enorme, construído em meados de 1170, foi residência da corte francesa e sede do governo em diversas ocasiões. Fora dele fica o Parque Florido de Paris (no Bois de Vincennes), com dois lagos, sendo um enorme, onde se pode andar de barco a remo e pedalinho, e um zoológico.

O Parque Florido é um parque de coleção de flores e jardins temáticos. No local existem várias espécies de plantas, um orquidário, hortênsias de várias cores e muito, mas muito verde. É impressionante como essas áreas verdes são bem cuidadas. Os parisienses têm orgulho, e com razão, dos seus jardins. Não se vê lixo no chão, muito menos alguém tentando arrancar uma flor ou pisando em locais proibidos.

Grupos escolares, famílias, casais de namorados e turistas passam o dia no parque. Em dias de sol ou mesmo no frio, é um lugar agradável para fazer piquenique, relaxar e curtir a natureza, que é exuberante nesse jardim. Existem restaurantes e cafés se você preferir, com áreas de banheiro. Não se cobra entrada para o parque. É um local delicioso para respirar bem, contemplar o verde e se encantar com a natureza.

reprodução da internet
Jardins externos do Museu de l'Orangerie integram o complexo verde do Jardin des Tuileries (foto: reprodução da internet)
Jardin des Tuileries

Um dos parques de movimento intenso ao longo do dia é o Jardin des Tuileries. Situado à margem direita do Rio Sena, ele começa no Arco do Triunfo do Carrossel, no conjunto do Museu do Louvre, e termina na Praça da Concórdia. Criado no século 16, em estilo italiano, para decorar o entorno do Palácio das Tuileries, foi transformado pelo paisagista André Le Nôtre, mesmo autor dos jardins que fazem parte do Palácio de Versalhes, em 1664. O Jardin des Tuileries ganhou estilo francês, com fontes e estátuas ornamentais.

Enquanto muita gente utiliza apenas como ponto de passagem do Louvre à Praça da Concórdia, atravessando-o rapidamente, outros usufruem de tudo o que o jardim oferece. A começar pelo intenso verde com cadeiras colocadas ao redor dos lagos para quem quiser descansar, ler um livro ou simplesmente se reunir com os amigos.

Atletas e esportistas também aproveitam os espaços verdes para treinar, correr e fazer exercícios. As áreas do Jardin des Tuileries são palcos para apresentações diversas (um grupo brasileiro fazia exibição de capoeira no local e atraía os olhares de turistas). Também é comum famílias e grupos de amigos fazendo piquenique nos gramados. Entre as atividades de lazer para as crianças estão a famosa roda-gigante e os barquinhos de brinquedo no grande lago. No jardim estão o Museu l‘Orangerie, com obras de grandes artistas, como Henri Matisse e Amadeo Modigliani, e a Galeria Nacional Jeu de Paume, de arte contemporânea.

O local tem boa infraestrutura de lanchonetes e bares. O problema é a falta de banheiros públicos. O único fica perto da Praça da Concórdia, já no final do jardim. Incomoda também a quantidade de vendedores ambulantes de suvenires, que abordam insistentemente os turistas. O que você não vê em outros parques e jardins parisienses.

Jardim de Boulogne

Em um dos arrondissements mais sofisticados de Paris (o 16º) está o Bois de Boulogne, um enorme parque cercado pelo verde. Construído em 1850, é considerado um dos “pulmões” da capital francesa. Ali está localizado o Jardim Acclimatation. É muito frequentado, principalmente nos fins de semana, com gente correndo, andando de bicicleta e patins, fazendo passeio de barco a remo nos lagos, onde também é possível pescar. Se preferir, no local há bicicletas para locação, bem como pôneis para as crianças. Num dos lagos fica o Restaurante Chalêt des Iles. No Bois de Boulogne, ficam os hipódromos de Longchamps e Auteuil. O lugar é extremamente agradável tanto para quem busca diversão quanto para quem está apenas querendo praticar esportes ou curtir a natureza. É bem fácil de chegar, pela linha 10 do metrô até a estação Porte d’Auteuil.

Teresa Caram/EM/D.A PRESS
Jardim de Luxemburgo (foto: Teresa Caram/EM/D.A PRESS)
Jardim de Luxemburgo

Maior parque público de Paris, com mais de 200 mil metros quadrados, o Jardim de Luxemburgo fica no 6º arrondissement. Lá está o Palácio de Luxemburgo. É um local encantador, cercado por gramados, árvores, hortênsias de diversas cores, pequenos lagos e muitas estátuas de figuras que fizeram parte da história da França. Em algumas partes dos gramados pode-se andar, sentar e descansar, em outras isso é proibido. Regra sempre respeitada pelos parisienses.

O parque tem área de restaurante e lanchonete e banheiros públicos. Como em outros espaços de Paris, é muito bem conservado. Esse é um roteiro quase obrigatório para quem visita Paris, tal a beleza do jardim e do palácio, onde funciona atualmente o Senado francês.

No jardim, está a Fonte de Médicis, onde turistas posam para fotos. É um local histórico, construído a pedido da rainha Maria de Médicis. O tanque que fica em frente à fonte foi edificado no século 19. Pelo fato de abrigar o Senado, esse local é sempre muito policiado, principalmente depois dos últimos atentados que deixaram a cidade em alerta.

ACPHOTOGRAPHIE.FILES.WORDPRESS.COM
Jardim de Versailles (foto: ACPHOTOGRAPHIE.FILES.WORDPRESS.COM)

Jardim de Versailles


O Palácio de Versailles impressiona pela sua imponência. Tão encantadores quanto o castelo são seus jardins, capazes de tirar o fôlego de qualquer pessoa diante de tanta exuberância E era justamente esse o intento do rei Luís XIV. A explicação é simples: ele era extremamente apaixonado por jardins e, para mostrar a todos a beleza e o poder da França, designou ao paisagista André Le Nôtre as obras dos novos jardins.

Dizem que as flores do jardim eram apresentadas em vasos, de forma a poder mudar rapidamente a decoração do local, atendendo à vontade do rei. No jardim estão grandes estátuas, sendo uma delas a que representa Apolo, com quem Luís XIV se identificava.

Hoje, o palácio e seus jardins atraem turistas de todas as partes. É uma das maiores atrações da França, distante 40 minutos de Paris pelo trem metropolitano RER da linha C, na estação Versailles-Rive Gauche. Os jardins ocupam área de 800 metros quadrados, com muito verde, cuidadosamente preservada, onde é possível fazer caminhadas pela sombra ao mesmo tempo em que você aprecia a paisagem. E que paisagem! É maravilhoso. No eixo central há m lago enorme, em que você pode alugar barcos a remo para passear, e uma fonte que jorra água sem parar.

Os jardins ficam abertos todos os dias e a entrada é franca. Reserve pelo menos um dia para conhecer e curtir essa que é uma das grandes maravilhas da França. É possível alugar um carrinho para circular pelo parque, mas o ideal é caminhar e se perder pelas alamedas diante de tanta beleza. Experimente: você não vai se arrepender.

WILLIAM BEAUCARDET/DIVULGAÇÃO
Parque de La Vilette (foto: WILLIAM BEAUCARDET/DIVULGAÇÃO)
Parque de La Vilette

No 19º arrondissement, na periferia de Paris (divisa com Seine-Saint Denis), está o Parque de La Vilette. O local, como os outros, remete ao lazer e ao descanso. São 55 hectares de área verde, com diversas construções, como o Museu da Ciência e Indústria, a Cidade da Música, teatros e espaços para concertos. Ali também está o cinema esférico com uma tela Imax, conhecido como La Géode.

Criado em 1987, o Parque de La Vilette recebe anualmente cerca de 10 milhões de visitantes, sendo um dos lugares mais disputados em Paris. Playgrounds, carrosséis e os gramados fazem a alegria da garotada, que corre solta pelo espaço. Programas culturais, shows, exposições, espetáculos de teatro atraem parisienses e turistas, principalmente nos fins de semana, quando o movimento se intensifica. Também é em La Vilette que fica a boate Cabaret Sauvage, onde no ano passado o rapper brasileiro Crioulo se apresentou, levando ao local uma multidão de franceses e brasileiros.

MY FRENCH LIFE/REPRODUÇÃO DA INTERNET
Jardim do Palais Royal (foto: MY FRENCH LIFE/REPRODUÇÃO DA INTERNET)
Jardim do Palais Royal

Uma das regiões mais bonitas e frequentadas de Paris é a que fica no 1º arrondissement, onde está localizado o Museu do Louvre, o Jardin des Tuileries e a Praça Vendôme. Também é ali que fica o Palais Royal, com seu lindo jardim. Ele foi construído para hospedar o cardeal Richelieu no século 17. Em torno de seus jardins estão várias lojas sofisticadas, cafés, restaurantes e museus. Colado no Palais Royal fica a Comédie Française.

Embora fique bem no Centro de Paris, os jardins do Palais Royal são um oásis de tranquilidade, em contraste com as movimentadas ruas do seu entorno. Como é cercado por prédios, muitas vezes passa despercebido pelo turista. E é justamente aí que está seu charme. É um lugar extremamente calmo e utilizado como espaço de descanso por parisienses, que aproveitam os intervalos de trabalho para momentos de relaxamento. Também noivas e debutantes usam este lindo espaço para produzir seus books fotográficos.

PARISPARCOURS.COM/REPRODUÇÃO DA INTERNET
Jardim de Serres d'Auteuil (foto: PARISPARCOURS.COM/REPRODUÇÃO DA INTERNET)
Jardim de Serres d’Auteuil

Criado pelo rei Luís XV para seus filhos, o Jardim de Serres d’Auteuil é uma das quatro divisões do Jardim Botânico de Paris. Fica próximo ao complexo de Roland Garros e do Estádio Parc de Princes, no arrondissement 16. O local abriga lindos jardins, esculturas e uma enorme estufa com plantas comuns e exóticas. É muito gostoso para descansar e descobrir as várias espécies de flores e árvores. Como todos os outros jardins de Paris, é bem cuidado, com extensa área verde. À esquerda, ele tem um jardim inglês, ao centro um jardim francês e à direita, o japonês. Não há cobrança de ingresso para entrar no parque.

O local é imperdível para quem aprecia botânica. Além de lindo, impressiona o tamanho das estufas. Cada uma delas tem temperatura e umidade controladas para o desenvolvimento adequado de espécies de várias partes do mundo, desde vegetação mediterrânea, norte-americana, oriental até africana. Há uma estufa de azaleias e no fundo o Palmarium, com árvores provenientes da China, do Caribe e do Vietnã, entre outras. É mais uma experiência imperdível na sua viagem.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO