Circuito de jipeiros

Grupo de amigos percorre várias regiões de Minas, do Rio e do Espírito Santo

por Zulmira Furbino 21/10/2015 17:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Liguel Lima /Divulgação
Jipeiros de Congonhas exploram paisagens em Minas Gerais (foto: Liguel Lima /Divulgação )
Pense em jornadas por belíssimas paisagens intocadas de Minas Gerais a bordo de um jipe. Passeios assim vêm sendo feitos há nove anos por um grupo de amigos de Congonhas, que se autodenomina JEEPprofetas. As rotas, iniciadas em 2007, percorreram o caminho velho entre Paraty, no Rio de Janeiro e Congonhas, na Região Central do estado. De lá para cá, uma turma de cerca de 25 jipeiros viaja em12 jipes e quatro veículos 4x4 (de apoio), com três tripulantes cada, percorrendo os mais variados circuitos mineiros, fluminenses e capixabas.

“Cada jipe representa um profeta da obra do genial Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e todos os veículos são devidamente caracterizados com adesivos”, explica o funcionário público José Carlos Gomes, de 49 anos, um dos fundadores do grupo. As nove expedições percorreram cerca de 11 mil quilômetros e 522 cidades. Em cada uma delas, são distribuídas miniaturas dos profetas de Aleijadinho (já foram 472) em forma de troféu. A última expedição do JEEProfetas ocorreu entre os dias 12 e 20 de setembro passado, fazendo os percursos Circuito Serras de Minas e Serra do Brigadeiro.

Diário das expedições

• 1ª Expedição – 2007

Estrada Real, de Congonhas a Paraty, no Rio de Janeiro, pelo caminho velho. No trecho de 654 quilômetros, foram visitados 34 municípios. Na região, vale a pena conhecer o trecho de Cruzília, passando pela Fazenda Traituba. Sua origem remonta aos anos de 1826 e 1831. O local hospedou o imperador d. Pedro I em passagem pelo Sul de Minas.

2ª Expedição – 2008
Estrada Real, de Congonhas a Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, pelo caminho velho. Num percurso de 497 quilômetros e 35 cidades da Estrada Real entre os dois municípios, os jipeiros destacam Diamantina, Serro, Conceição do Mato Dentro, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Santuário do Caraça, Mariana, Cachoeira do Campo e Congonhas.

3ª Expedição – 2009
Circuito Vilas e Fazendas de Minas da Estrada Real. Nesse percurso, foram percorridos 530 quilômetros. Como o próprio nome indica, vale a pena conhecer fazendas e hotéis-fazenda da região, como os de Santana dos Montes.

4ª Expedição – 2010
Também na Estrada Real, de Congonhas até Petrópolis, pelo caminho novo. Foram 950 quilômetros e 28 municípios entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. No trecho, o destaque vai para o Museu Rodoviário do DNER em Monte Serrat, em Comendador Levy Gasparian (RJ). Passe no Hotel-Fazenda Santa Helena, que oferece opções de turismo ecológico.

5ª Expedição – 2011
Circuito Veredas do Paraopeba. São 745 quilômetros e 20 municípios em Minas. Em Belo Vale, as visitas ao Museu do Escravo, na Fazenda Boa Esperança, e à Comunidade da Noiva do Cordeiro são imperdíveis. Em Brumadinho, não deixe de passar o dia no Museu Inhotim.

6ª Expedição – 2012
Rota Imperial, de Congonhas a Vitória. No percurso, foram 31 municípios e localidades entre o Espírito Santo e Minas Gerais. Em Domingos Martins (ES), vale ver a dança "Lünenburger Windmühler", do grupo folclórico Bergfreunde, de origem alemã. Em Caparaó (MG), o atrativo natural é a Cachoeira Poço do Egito (existem outras belas cachoeiras na região).

7ª Expedição – 2013
Circuito Mar de Minas (Furnas). Foram 967 quilômetros e 34 municípios e localidades, num percurso cruzado da represa de Furnas. Principais atrativos: a Serra de Boa Esperança pela estrada de chão até Guapé e passeios de lancha nos Cânions do Lago de Furnas.

8ª Expedição – 2014
Caminhos da história do Parque Nacional da Serra da Canastra. Percorrendo 1.120 quilômetros, você pode conhecer maravilhas naturais, entre elas, a nascente do Rio São Francisco. Vale a pena também um passeio de barco pelos cânions do Lago de Furnas.

9ª Expedição – 2015
Circuito Turístico Serras de Minas e Serra do Brigadeiro. Foram 950 quilômetros e 22 municípios, com destaque para a Pousada Montanhas de Ouro Preto, localizada no distrito de Santo Antônio do Salto (Ouro Preto). A Serra do Brigadeiro, em Araponga, é o maior atrativo natural da região. E ainda há o Santuário da Santa Montanha, originado a partir dos relatos de três crianças sobre aparições de uma santa em um pequeno povoado na zona rural da cidade de Guiricema.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO