Após anos de lutas e guerra civil, maravilhas do Camboja ainda são legado para a humanidade

Hoje pacificado, país que fica no Sudoeste da Península da Indochina tem os maiores templos religiosos do mundo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Bertha Maakaroun/EM/D.A. Press
Ta Prohm, "Ancestral de Brahma", onde gigantescas raízes se misturam ao templo (foto: Bertha Maakaroun/EM/D.A. Press)

Entre densas florestas e espetaculares monumentos que expressam em suas mais importantes capitais a fusão do poder político e religioso está o Parque Arqueológico de Angkor, no Camboja. Declarado Patrimônio da Humanidade, são cerca de 400 quilômetros quadrados, ao Norte da Província de Siam Reap, onde hinduísmo e budismo se entrelaçam no auge e na decadência do Império Khmer.


No período compreendido entre os séculos 9 e 15 essa civilização – que para o Ocidente até o século 19 estaria “perdida” – legou ao mundo um dos mais impressionantes e importantes sítios arqueológicos, que tem, no esplendor de Angkor Wat – a cidade que é um templo – mais uma das maravilhas do mundo selecionada pelo blog 1001 Lugares pra se viver. Não menos instigante e de misteriosa beleza está Angkor Thom – Grande Capital –, o último núcleo político e religioso do império, um dia instalado em Angkor. O legado da arquitetura do Império Khmer é também encontrado em templos da Tailândia.

O Camboja está no Sudoeste da Península da Indochina. Sofreu entre 1969 e 1975 intensos bombardeios dos Estados Unidos, que tentavam atingir os guerrilheiros vietcongues infiltrados na região da fronteira com o Vietnã. Com os desdobramentos da guerra vizinha, a capital do país caiu, em 1975, nas mãos do Khmer Vermelho, que se intitulava um movimento revolucionário comunista. Pol Pot e a sua “organização” impuseram ao Camboja uma brutal ditadura, que evacuou cidades e cometeu crimes classificados como genocídios, cuja dimensão foi mais tarde revelada. Estima-se que mais de dois milhões de pessoas foram mortas. Em 1979, uma intervenção vietnamita afastou o Khmer parcialmente do poder. Iniciou-se ali uma guerra civil.

Hoje, o Camboja, que é uma monarquia constitucional, está pacificado e o turista encontra ao percorrer os seus impressionantes monumentos muitos de seus habitantes que se reinventam, após terem sofrido dramáticas mutilações dos tempos de guerra civil.

Bertha Maakaroun/EM/D.A. Press
Angkor Wat, a cidade que é um templo, encanta pela beleza e pelos importantes sítios arqueológicos (foto: Bertha Maakaroun/EM/D.A. Press)


Confira uma matéria exclusiva sobre o "Templo das Árvores" no blog. 1001lugarespraseviver.com é um espaço de construção coletiva voltado para a cultura, o lazer e o prazer em compartilhar imagens e experiências de diferentes lugares do  planeta que, juntos, elegeremos como os mais espetaculares.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO