Rede Hard Rock aposta em hotéis temáticos em Cancún e Riviera May

Objetivo é oferecer ao hóspede vivência pelo mundo da música

por Carolina Mansur 29/07/2015 10:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Carolina Mansur/EM/D. A PRESS
Magnitude dos complexos hoteleiros: capacidade para receber turistas, com sistema all inclusive. Equipamentos disponíveis para o turista usar e abusar de seus dotes musicais. Abaixo, comida típica do México (foto: Carolina Mansur/EM/D. A PRESS)
 

À primeira vista, rock’n roll e praia não combinam. Mas no México o estilo musical tem se adaptado bem às praias de mar azul-turquesa e clima tropical. Pedir uma piña colada à beira da piscina e no caminho de volta para o quarto ouvir clássicos do The Who e AC/DC estão entre as experiências vividas pelos hóspedes do Hard Rock Hotel de Cancún e Riviera Maya. Peças de artistas consagrados, como Elvis Presley e Johny Cash, também dão o tom à decoração, diferencial importante entre os vários outros resorts do estado de Quintana Roo.


Um acervo com roupas, sapatos, objetos pessoais e instrumentos de bandas e artistas do rock e do pop, também chamado de memorabilia, é exibido nas áreas comuns dos hotéis, e faz parte da estratégia para atrair os hóspedes de todo o mundo, dispostos a pagar diárias a partir de US$ 500 para o casal, com comidas e bebidas incluídas. No hall principal do hotel em Cancún está a bateria usada no tributo ao 30º aniversário da morte de John Bonham, baterista do Led Zeppelin. Enquanto em Riviera Maya fica o colete bordado com flores usado por Jimi Hendrix em Woodstock. No total, cerca de 75 mil objetos estão distribuídos entre hotéis e cafés de vários países.
Além de uma playlist animada, que garante música boa de dia e à noite, os roqueiros contam com um mimo inusitado. É que durante toda a estada é possível desfrutar de uma guitarra Fender sem pagar nada a mais por isso. O hotel e a marca de guitarras oferecem aos hóspedes uma espécie de ‘cardápio de guitarras’ e ao fazer o check-in o hóspede pode levar o instrumento para o quarto. Se você não sabe tocar, tudo bem. Na TV, um programa dá as instruções para os iniciantes. Para os que gostam de música, mas não têm habilidades musicais, o hotel oferece ainda um mixer para brincar de DJ. Tudo, claro, acompanhado de fones para garantir a tranquilidade dos outros hóspedes.


Entre as atrações de ambos os hotéis, há o programa Music Lab com várias atividades ligadas à música. Para quem viaja em família, o hotel promove o Jam Band, uma espécie de ‘garagem’ onde as bandas podem ensaiar e decidir o repertório para depois se apresentar para todo o complexo hoteleiro. Já o programa Spin Session ensina a sobrepor melodias e dar efeitos a outras músicas, antes de uma apresentação digna de um DJ profissional feita para o público. Por último, o programa Rock Tube disponibiliza todas as imagens da experiência numa espécie de clipe, que é enviado para quem topou o desafio de encarar o palco.

Carolina Mansur/EM/D. A PRESS
(foto: Carolina Mansur/EM/D. A PRESS)

Além das atividades para quem gosta de música, quem se hospeda no hotel de Riviera Maya tem outras opções de lazer. O resort é dividido em dois prédios: o Hacienda, para família com crianças, e o Heaven, para adultos. O Club Heaven, um lounge com mesas de sinuca, bar e boate com piscina, tem capacidade para 1,5 mil pessoas e funciona das 23h às 3h. Se você não é hóspede e está em Playa del Carmem, que fica a poucos minutos do hotel, é possível desfrutar do ambiente. Para isso, é preciso desembolsar US$ 75 pela entrada.

Fora do Hotel 
Embora existam muitas atrações para manter o hóspede ocupado, como a exposição do artesanato local, spa para adultos e atividades para crianças, há opções para quem deseja sair do hotel. Com preços fechados, alguns taxistas negociam corridas para Playa del Carmem, que fica a 20 quilômetros do complexo Hard Rock em Riviera Maya, por cerca de 540 pesos, ou US$ 40. Há muitas lojas de artesanato. Opção de grifes como Zara, Lacoste e Harley Davidson e no shopping aberto Paseo del Carmem.


Outro destino muito procurado por quem se hospeda nos resorts de Riviera Maya são as Ruínas de Tulum, à beira-mar e que guardam os resquícios do que um dia foi uma importante cidade portuária para os maias. Além da história, o local tem paisagem única e é praticamente intocado. Está a 44 quilômetros do hotel em Riviera Maya. O táxi custa 1.040 pesos ou US$ 74. A entrada para o parque custa US$ 6 dólares e a visita guiada US$ 26.

Quando ir?  A alta temporada  vai de 23 de dezembro até o fim de março. “Depois da semana santa os preços abaixam de 15% a 20%”, conta o diretor de vendas do HR Riviera Maya, Ramon Romero. Para garantir o sucesso do passeio, é bom lembrar que a temporada de chuvas persiste do fim de agosto até meados de dezembro.


* A repórter viajou a convite do Hard Rock

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO