Além de Inhotim, BH tem belos museus que retratam a história dos ofícios, da mineração e do futebol

Acervos ricos e variados encantam e valem a visita

por Zulmira Furbino 08/07/2015 10:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Museu de Artes e Ofícios ocupa dois prédios tombados pelo Patrimônio Histórico, na Praça da Estação
daniel Mansur/Divulgação (foto: Museu de Artes e Ofícios ocupa dois prédios tombados pelo Patrimônio Histórico, na Praça da Estação )

Passou o tempo em que Belo Horizonte e sua vizinhança praticamente não contava com atrativos culturais, principalmente no que diz respeito a museus. Desde a inauguração de Inhotim, em Brumadinho, na Grande BH, em 2006, a capital mineira ganhou um dos mais importantes aparatos de arte contemporânea do mundo. Museus como o de Artes e Ofícios, na Praça da Estação, e o circuito cultural da Praça da Liberdade, que conta com o Memorial Minas Gerais Vale, com o Museu Gerdau das Minas e do Metal, também são exemplos de espaços fascinantes onde é possível aprender e descobrir um pouco da história de Minas. Isso sem falar no Museu Brasileiro do Futebol, no Mineirão.

Na Praça da Estação, o Museu de Artes e Ofícios abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e dos ofícios no Brasil. Criado a partir da doação ao patrimônio público de mais de 2 mil peças, o museu revela a riqueza da produção popular, os fazeres, os ofícios e as artes que deram origem a algumas das profissões contemporâneas. A casa foi aberta ao público em janeiro de 2006 e está instalada na Estação Ferroviária Central de Belo Horizonte, ao lado da parada do metrô. Para abrigar o museu foram restaurados dois prédios antigos, de rara beleza arquitetônica, tombados pelo patrimônio público.

RIQUEZA CULTURAL

Instalado no antigo prédio da Secretaria de Estado da Fazenda, na Praça da Liberdade, o Memorial Minas Gerais Vale mostra a história geral do estado, reunindo desde a riqueza cultural a partir do século 18 até os dias atuais, por meio de cenários reais e virtuais que se misturam para enriquecer a experiência do visitante. O Memorial é um lugar de trânsito e cruzamento entre a potência da história e as pulsações contemporâneas da arte e da cultura, um lugar onde o presente e o passado estão em contato direto, em permanente renovação. Ali o visitante tem total liberdade para fazer o seu próprio roteiro. Nas 31 salas que compõem o local, a tecnologia é usada em conjunto com objetos e cenários tradicionais para criar um espaço rico e futurista.
Divulgação
Museu Gerdau das Minas e do Metal, na Praça da Liberdade, revela um pouco da história de Minas (foto: Divulgação)

Para os amantes do esporte bretão, nada como conhecer o Museu Brasileiro do Futebol, aberto ao público em março de 2013, no Mineirão, proporcionando aos visitantes uma imersão no universo do futebol. É possível conhecer a história do estádio por meio de um grande acervo de imagens, exposição de troféus, bolas usadas durante as partidas, placas, entre outros objetos, e também por meio da interatividade presente em algumas das 13 salas do espaço. Destaque para a visita guiada, que leva os visitantes aos vestiários, salas de aquecimento, corredores internos e outros lugares restritos ao público. O objetivo do museu é explorar as múltiplas facetas da exposição e do estádio de forma lúdica, levando o visitante a compreender o futebol em seu contexto social, cultural e político. Vale a pena.

Melhores museus da América do Sul

1°     Instituto Ricardo Brennand (Recife, Brasil)
2°     Inhotim (Brumadinho, Brasil)
3°     Museu do Ouro (Bogotá, Colômbia)
4°     Museu da Língua Portuguesa (São Paulo, Brasil)
5°     Museu Larco (Lima, Peru)
6°     Museu Botero (Bogotá, Colômbia)
7°     Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo, Brasil)
8°     Museu de Arte Latino-Americana (Buenos Aires, Argentina)
9°     Museu do Futebol (São Paulo, Brasil)
10°   Museu Imperial (Rio de Janeiro, Brasil)


do Brasil

1°     Instituto Ricardo Brennand (Recife, PE)
2°     Inhotim (Brumadinho, MG)
3°     Museu da Língua Portuguesa (São Paulo, SP)
4°    Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo, SP)
5°     Museu do Futebol (São Paulo, SP)
6°     Museu Imperial (Petrópolis, RJ)
7°     Catavento Cultural e Educacional (São Paulo, SP)
8°     Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS (Porto Alegre, RS)
9°     Museu da Gente Sergipana (Aracaju, SE)
10°    Museu da TAM (São Carlos, SP)

Fonte: Traveler’s Choice Museus 2014

Serviço

Instituto Inhotim
O site do museu oferece orientações para chegar a Inhotim a partir de Belo Horizonte (via BR 381 e BR 040), de São Paulo (via BR-381), Rio de Janeiro (via BR-040) e dos aeroportos de Confins e Pampulha. Também é possível chegar ao museu de ônibus, a partir da Rodoviária de BH, pela Saritur. Pode-se comprar passagem on-line no site www.clickbus.com.br.

Divulgação
(foto: Divulgação)


Memorial da Vale
Onde: Praça da Liberdade, 640 – Funcionários, esquina com Rua Gonçalves Dias, em Belo Horizonte
Horário de funcionamento: terças, quartas, sextas e sábados, das 10h às 17h30, com permanência até as 18h. Quintas, das 10h às 21h30, com permanência até as 22h. Domingos, das 10h às 15h30, com permanência até as 16h.

Museu de Artes e Ofícios
Onde: Praça Rui Barbosa, 600 (Praça da Estação), no Centro de Belo Horizonte
Horário de funcionamento: terça e sexta-feira, das 12h às 19h; quarta e quinta-feira, das 12h às 21h (das 17h às 21h, entrada franca); domingo e feriado, das 11h às 17h (aos sábados a entrada é franca).

Museu Brasileiro do Futebol
Onde: Av. Coronel Oscar Paschoal, s/nº, portão G2 – Mineirão, Belo Horizonte
Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, das 9h às 17h; sábados e domingos, das 9h às 13h. Não funciona nos feriados e em dias de eventos.

Divulgação
(foto: Divulgação)
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO