Brasil tem mais de 30 trens turísticos que passeiam entre história, cultura e natureza

por Zulmira Furbino 17/06/2015 00:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arquivo Abottc
Paisagens encantadoras na viagem pela Serra do Mar, num percurso de 110 quilômetros entre Curitiba e Paranaguá (foto: Arquivo Abottc)
Que tal fazer um passeio tipicamente europeu, norte-americano e asiático dentro do Brasil? Essa é a proposta dos 30 trens turísticos do país, estruturados para levar os visitantes a viagens incríveis pela história, em meio à natureza, um tipo de passeio tradicional em países como Estados Unidos, China e no continente europeu. De quebra, você vai conhecer grandes e pequenas cidades do interior do Brasil e de Minas, provar a gastronomia local, visitar lojinhas de artesanato e curtir uma aventura que normalmente os brasileiros só fazem no exterior.


Anualmente no Brasil, cerca de 3 milhões de pessoas costumam passear nos trens voltados para o turismo, metade delas pela locomotiva que sobe ao Corcovado, no Rio de Janeiro. O restante se divide nos outros comboios, mas eles estão estruturados para atender até 10 milhões de passageiros. Então, aproveite. Porque no Brasil trem também é turismo.Tanto que a Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais, em parceria com o Sebrae nacional, lançou a segunda edição do projeto “Trem é turismo”, que visa popularizar divulgar esse tipo de passeio no país. É uma ótima oportunidade para quem deseja fazer passeios bucólicos e diferentes.

 

Circuito das águas
O trem sai de uma antiga ferrovia projetada e construída pelos ingleses há 115 anos, um legendário caminho de ferro percorrido por dom Pedro II e sua comitiva imperial em busca do ameno clima mineiro e das águas medicinais da região. Por isso, essa é uma viajem no túnel do tempo, com direito aos apitos da locomotiva e ao poético badalar do sino de uma Maria-fumaça – locomotiva de fabricação americana de 1925 –, original, com seu ruído cadenciado da expulsão do vapor e o inimitável som do ranger das brassagens. Na cidade, diversos restaurantes oferecem a tradicional cozinha mineira. Há também lojinhas que comercializam artesanato local.

» Trajeto: de São Lourenço a Soledade, no Sul de Minas, num trajeto de 10 quilômetros
» Dias e horário: aos sábados,
às 10h e às 14h30; aos
domingos, às 10h
» Tarifas*: R$ 50 na classe turística e R$ 65 na classe especial, que tem bancos estofados e degustação de produtos locais como queijos, doces, cachaças. Crianças menores de 5 anos, não ocupando lugar (viajando no colo), não pagam.

Arquivo/ ABOTTC
Maria-fumaça norte-americana fabricada em 1925 faz o trajeto entre São Lourenço e Soledade de Minas, no Sul do estado (foto: Arquivo/ ABOTTC)

Montanhas capixabas
O passeio percorre um trecho de 46 quilômetros, unindo história e cultura de pequenas cidades às belíssimas paisagens da mata atlântica. O trem é uma Litorina, com poltronas de couro, grandes janelas, ar- condicionado e serviço de bordo. A viagem começa em Viana, município de influência açoriana, localizado a 23 quilômetros de Vitória. O trecho ferroviário foi inaugurado em 1895, quando era conhecido por Leopoldina Highway, em homenagem a Maria Leopoldina, primeira imperatriz do Brasil. Durante a subida da serra, avistam-se pequenas propriedades rurais e áreas preservadas de mata atlântica. A primeira parada é em Domingos Martins, cidade marcada pela cultura alemã, onde dois túneis e uma ponte suspensa sob o Rio Jacu são os pontos mais relevantes do trajeto. O passeio dura cerca de duas horas e meia, com três paradas durante o trajeto. Nas estações, moradores vendem artesanato, doces e bolachas.

»  Trajeto: Viana (ES) a Araguaia (ES)
» Dias e horários: saídas de Viana aos sábados, domingos e feriados, às 9h. Retorno de Marechal Floriano às 12h30.
A duração total do passeio
é de cinco horas.
» Tarifas*: R$ 112 (somente ida),
R$ 52 (criança somente ida).
A tarifa promocional de ida e volta no mesmo dia é  R$ 160 (adulto) e R$ 82 (criança).

Serra da Mantiqueira

O trem sai do município de Passa Quatro, em Minas, em direção à Estação Coronel Fulgêncio, localizada no alto da Serra da Mantiqueira, próxima ao Grande Túnel, na divisa de Minas com São Paulo. Nas ferroviárias das duas cidades há uma exposição fotográfica. A curiosidade é que Coronel Fulgêncio foi palco dos maiores combates da Revolução de 1932. Na Estação Manacá há feira de artesanato e guloseimas típicas da região e também uma pequena estação para atendimento da zona rural. Ela foi também o posto avançado das tropas federais durante a Revolução Constitucionalista de 1932. O trem é puxado por uma autêntica locomotiva a vapor e antigos
carros de madeira.

» Trajeto: são 10 quilômetros de extensão. A duração total do passeio é de duas horas.
» Dias e horários: sábados, às 10h e às 14h30; domingos, às 10h. Em feriados e datas festivais podem ocorrer passeios extras.
» Tarifa*: R$ 45 por pessoa. Crianças menores de 5 anos, não ocupando lugar são isentas.


Serra do Mar

A cada ponte, túnel e paisagem que se destaca ao longo desta inesquecível viagem, o melhor a fazer é entrar em êxtase com a maravilhosa paisagem contornada por uma ferrovia imperial que, ao longo de seus 110quilômetros, liga Curitiba a Paranaguá desde 1880 e perpetua no tempo um magnífico e arrojado projeto. Considerada uma obra impossível de ser realizada por inúmeros engenheiros europeus da época, a obra teve início em três frentes simultâneas: entre Paranaguá e Morretes (42 quilômetros), entre Morretes e Roça Nova (38 quilômetros) e entre Roça Nova e Curitiba (30 quilômetros). Ao longo do trajeto o viajante vai se deparar com belas paisagens, como cânions, cachoeiras e vasta biodiversidade. Morretes é conhecida como a capital agrícola do litoral do Paraná. Produz cachaça e numerosos produtos processados artesanalmente, como a famosa farinha de mandioca de Morretes, ingrediente do famoso Barreado, o prato típico do Paraná.

» Trajeto: De Curitiba a Morretes, o percurso tem 110 quilômetros. O passeio dura cerca de três horas.
» Dias e horários: baixa temporada: Litorina só para grupos, fins de semana e feriados e trem diário.
» Alta temporada: trem diariamente, às 8h15 e
Litorina, às 9h15. O retorno de Morretes é às 15h.
» Tarifas*: Turístico R$ 99 (adulto ida) e R$ 63 (criança ida); volta, adulto R$ 77 e criança R$ 51.
» Classe executiva: R$ 144,50 (adulto ida) e R$ 68 (criança ida); volta, R$ 102 (adulto)
e R$ 55 (criança).
» Litorina Luxo: R$ 296 (adulto ida)
e R$ 225 (criança); volta, R$ 296 (adulto) e R$ 225 (criança). Camarote ida para quatro passoas, R$ 444, e oito pessoas, R$ 888. Na volta, R$ 300 o de quatro lugares e R$ 600 o de oito.

*Todos os preços podem sofrer alteração.
» Mais informações: www.abottc.com.br/abottc/default.aspx 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO