Mônaco encanta pelo luxo e águas superazuis

Principado é o segundo menor país do mundo e pode ser conhecido em um dia. Segredo é montar base em cidades no entorno

por Carolina Cotta 10/06/2015 00:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Carolina Cotta/EM/D.A Press
(foto: Carolina Cotta/EM/D.A Press)
Mônaco –
As imagens do Grand Prix de Mônaco na televisão são quase um convite: nenhum outro circuito da Fórmula 1 é tão charmoso. Primeiro, porque no lugar de uma pista estão as mesmas ruas ocupadas, no dia a dia, pela população e pelos turistas. Segundo, porque a vista é para o Mediterrâneo, em uma de suas mais belas manifestações: a Costa Azul, ou Cote d'Azur (em francês), ou mesmo Costa Azzurra (em italiano). Também conhecida como Riviera Francesa, a Costa Azul é toda a faixa do Mediterrâneo entre Toulon e Menton, essa última já na fronteira com a Itália. A região é famosa pelas casas de luxo e pelo Festival de Cinema de Cannes. E pelo luxuoso Principado de Mônaco, é claro.

É montando base em Nice que a maioria das pessoas conhece Mônaco. Porque fica bem mais barato e porque um dia é suficiente para conhecer o lugar. A cidade-Estado no Sul da França fica a apenas 20 quilômetros, e esses poucos quilômetros já são um dos destaques da viagem. A estrada que liga Nice a Mônaco é passeio obrigatório. As estradas, na verdade. São três opções: a Basse Corniche, a Moyenne Corniche e a Grande Corniche. A Moyenne, ou corniche do meio, é a mais veloz e também a mais sem graça. É alternativa para quem precisa chegar rapidamente de um ponto ao outro. Mas é também um dos acessos a uma pérola medieval: a pequenina Èze. Se você quer ver as cenas de filmes, programe-se para fazer as duas outras rotas. Que tal ir pela Basse e voltar pela Grande? É o ideal.

beira-mar A Basse Corniche, ou corniche de baixo, sai do porto de Nice e alcança por Villefranche-sur-Mer. Todo o trajeto até Mônaco é à beira-mar. E que mar! O contraste do azul é tão expressivo que deu nome à região. A estrada é estreita e é impossível não querer parar várias vezes para fotos. Vários mirantes naturais surgirão no trajeto, bem como vilas charmosas. Além de Villefranche, a península de St. Jean Cap Ferrat merece uma descida do carro. Lá está a Villa Ephrussi, que abriga o palácio da baronesa Béatrice de Rotschild. Os diversos tipos de jardim são de encantar até o mais displicente turista. E a vista para o mar, dos verdes jardins da baronesa, vai lhe garantir uma foto e tanto da viagem.

Já na Grande Corniche, ou corniche do alto, o destaque é o vilarejo La Turbie, o melhor mirante para observar Mônaco de cima. A charmosa e histórica vila faz qualquer um voltar no tempo. Obrigatoriamente, porque ali está um importante monumento do Império Romano: Le Trophée d'Auguste, também conhecida como Le Trophée des Alpes. Monumento nacional francês, a construção do século 1 depois de Cristo foi uma homenagem ao imperador Augustus e é a única do tipo ainda existente. Faz a gente pensar que os romanos já curtiam a linda vista que se tem do Mediterrâneo. Depois de ver o monumento, bom mesmo é se perder pelas ruelas da pequena vila francesa. Puro charme.

CARROS E CAFÉ Depois de curtir o acesso a Mônaco e uma de suas melhores vistas, falta aproveitar todo o luxo do principado, o segundo menor país do mundo, perdendo apenas para o Vaticano. A cidade em si não é muito diferente de outras pérolas europeias. Diferente mesmo é o fato de ser tão fácil cruzar com carros que a gente só imagina em salões do automóvel. E mais legais que os carros são os iates. Alguns têm campainha e tapete vermelho. Uma sequência de barcos luxuosos a poucos palmos, você dificilmente verá em outro lugar. O trânsito é outra atração. É tudo tão estreito e íngreme, que surpreende entrar em um túnel e dar de cara com uma rotatória. Aliás, não se assuste: em uma mesma rotatória, você entrará e sairá de Mônaco para a França e vice-versa sem notar (os guias avisam).

O Cassino de Monte Carlo é o grande cartão-postal do principado, dividido em distritos. Monte Carlo é um deles e, quando pensamos em Mônaco, o que vem à mente é realmente Monte Carlo. Os salões de jogos, em si, não chamam tanta atenção, mas a construção é imponente, de ares palacianos. A praça tem charme suficiente para dispor a pagar uma pequena fortuna em um café... Mas, se você está em Mônaco, deve saber que vai gastar ao estilo local. O miolinho em torno do cassino é ideal para começar uma caminhada: o melhor jeito de conhecer Monte Carlo é andando, e, de preferência, fazendo o percurso da Fórmula 1, com belos jardins e várias esculturas remetendo ao tema. Você terminará o passeio com a certeza de que é um simples mortal.

Serviço

Nice (visitando Mônaco, Monte Carlo e Èze)

» Pacote Aéreo e Terrestre:

7 dias/5 noites

» Inclui: bilhete aéreo em classe econômica, voando Air France, para os trechos São Paulo/Paris/Nice/Paris/São Paulo; traslado de chegada e saída em serviço privativo com motorista falando idioma local; hospedagem no Mercure Notre Dame com café da manhã e banheiro privativo; passeio de dia inteiro a Mônaco, Monte Carlo e Èze em serviço regular com guia local falando espanhol; cartão-assistência Assist Card – Produto Classic

» Preço: A partir de € 3.122, por pessoa, em apartamento duplo, para saída em 19/07

» Master Turismo: (31) 3330-3655

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO