É possível viajar para Orlando e gastar pouco?

Com um bom planejamento, sim. É possível gastar pouco e aproveitar bem as atrações da cidade

por Ataide de Almeida Jr. 13/05/2015 00:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Walt Disney/Divulgação
No Magic Kingdom, um belo encontro com os personagens da infância (foto: Walt Disney/Divulgação)

Helena Mader/CB/D.A Press - 23/7/09
Como a palavra de ordem é economizar, opte por fazer compras nos outlets e aproveite os cupons de desconto (foto: Helena Mader/CB/D.A Press - 23/7/09)

Ao contrário do que se pensa, é possível sim fazer um roteiro no estilo mochilão por Orlando. Não espere, contudo, as mesmas facilidades de transporte público, como na Europa, ou o curto tempo para se chegar entre um ponto e outro da cidade, dos parques e dos principais pontos turísticos. Na cidade da Flórida, o essencial é fazer um planejamento para aproveitar tudo e gastar pouco – ainda mais com o dólar em alta.

Para começar, estabeleça quais parques, shoppings e regiões da Grande Orlando quer visitar. Isso vai variar com seu estilo. Se quer mais aventura, as atrações do Universal são indicadas. Se pretende reviver a infância, vale a pena ir ao complexo Disney. Quanto às compras, lembre-se de que o objetivo de um mochilão não é gastar muito – ou melhor, quase nada –, portanto, prefira os outlets para comprar algumas lembrancinhas. Em Downtown, o transporte é mais fácil e dá para conhecer parques e bares.

Feito isso, procure um lugar para ficar. Os hostels em Orlando são um pouco diferentes dos encontrados na Europa. Geralmente, são hotéis ou resorts que oferecem quartos a preços bem mais baixos. O Palm Lakefront Resort & Hostel, por exemplo, combina os valores baixos de um hostel com as atividades de resort. Por lá você tem piscina, quadras de esporte e área social com jogos, com preços que começam em US$ 19 a diária (cerca de R$ 60).

O transporte público vai depender do local em que escolheu o hotel. Mas, basicamente, você vai contar com duas opções: os ônibus da Linx, que percorrem Orlando, Lake Buena Vista e Kissimmee, e os da I Ride Trolley, que vão pela região turística da International Drive, uma das principais vias da cidade. Na primeira, a melhor maneira para se planejar é entrar no site da empresa (www.golynx.com) e informar em uma ferramenta o endereço onde está e para qual local quer ir. Em seguida, o sistema indica quais ônibus deve pegar. A passagem custa US$ 2, mas há passes para sete dias de uso ilimitado por US$ 16 – podem ser comprados em vários postos de gasolina e hotéis. A lista também está na internet.

Já os ônibus do I Ride Trolley têm duas rotas predeterminadas, que saem, basicamente, do Orlando Vineland Premium Outlets até o Orlando International Premium Outlets. Eles operam das 8h às 22h30 e as passagens custam US$ 2 para adultos e US$ 1 para crianças.
Universal Orlando/Divulgação
Cidade mágica de Harry Potter é uma das atrações mais recentes de Orlando (foto: Universal Orlando/Divulgação)

NOVIDADES - Planejamento feito, rotas calculadas, agora, o melhor é aproveitar Orlando. Se optou pelos parques das empresas cinematográficas, comece pelo Universal Studios, que traz mais novidades. A primeira delas é mais uma parte da cidade mágica de Harry Potter. O Beco Diagonal, Grimmauld Place e a estação do Expresso Hogwarts são as atrações recentes. No Beco, há lojinhas que vendem todos os tipos de lembranças do bruxo, desde capas até as famosas varinhas. Mas já que o intuito não é gastar, comece logo no novo brinquedo dentro do Banco de Gringotes. Para não dar spoilers por aqui, reservamo-nos o direito de dizer que vale muito a pena ir nesse simulador.

Não deixe também de brincar na cidade dos Simpsons; na montanha-russa Rock It, na qual você escolhe uma música para enfrentar as descidas e as subidas radicais do brinquedo; no simulador do filme Transformers; e na atração do Meu malvado favorito.

Já na Disney, o Epcot e o Magic Kingdom trazem toda a magia da infância. O primeiro faz com que você viaje por vários países sem sair do parque. Já no segundo, os clássicos da empresa tomam forma, como o castelo da Cinderela, a montanha-russa dos sete anões e a Splash Mountain, da qual você sai todo molhado. A dica é: fique até o fim do dia nesses parques e veja o show de fogos de artifício.
[FOTO447075]
HORA DAS COMPRAS - Os dois principais outlets pertencem à mesma empresa. O Vineland tem algumas lojas a mais que o International. O principal conselho aqui é entrar no site deles e imprimir os cupons. Além dos preços das etiquetas, esses cupons podem dar até 20% a mais de desconto nas peças adquiridas. Vale reservar o dia inteiro para eles.

Por fim, não deixe de conhecer a região central de Orlando. A maior parte dos turistas fica concentrada apenas nos parques e nos shoppings e se esquecem das atrações de downtown. Um dos destinos mais procurados por lá é o Parque Lake Eola. Como fica no meio da cidade, o local tem fácil acesso a bons restaurantes e ao comércio. A fonte no lago muda de cor ao longo da noite. É um local perfeito para passar o dia e não gastar quase nada.

Ainda no Centro, visite a Church Street, que concentra o melhor da vida noturna da cidade. Não deixe de ir ao Latitude’s, bar que funciona no terraço de um prédio de três andares e lembra aqueles bares de praia, com tendas e espreguiçadeiras. Do alto, a vista da cidade é cinematográfica.

DE OLHO ABERTO - Desconfie sempre das lojas que vendem ingressos mais baratos para os parques de Orlando. Nem todas são confiáveis e, caso compre delas, pode ser que seja barrado na porta das atrações. O melhor mesmo é pesquisar na internet por promoções. Geralmente, as páginas dos parques oferecem descontos que valem a pena. Há ainda fóruns de brasileiros que compraram os tíquetes, mas que não poderão ir e oferecem por um preço mais em conta.

SEM GASTAR COM INGRESSO - Tanto a Disney quanto a Universal oferecem uma área gratuita repleta de bares, restaurantes e lojinhas que não precisa de ingresso para entrar. Em Downtown Disney, que em breve vai virar Disney Springs, dá para interagir com músicos, que se apresentam regularmente por lá, e comer em estabelecimentos temáticos, como T-Rex. No Universal City Walk, há cinemas, shows e o maior Hard Rock Café do mundo, além de muita música.

CICLOVIA - A Grande Orlando oferece uma imensa ciclovia para quem não quer gastar com transporte. Como a cidade é plana, vale a pena alugar uma bicicleta e dar uma volta por lá. Todas as faixas são muito bem demarcadas e seguras.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO