Sol e neve em St.Moritz

Com 350 quilômetros de pistas de esqui e clima agradável durante todos os meses, cidade atrai pelo glamour dos hotéis e pela quantidade de passeios, como parapente e trenó de cavalos

por Juliana A. Saad 07/04/2015 00:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Juliana A. Saad/Divulgação - 16/2/12
A cidade parece paisagem de mentira: natureza contrasta com as residências e tudo é limpo e organizado (foto: Juliana A. Saad/Divulgação - 16/2/12)

O impacto dos Alpes com os cumes de neve reluzindo arrebata de cara quem chega a St. Moritz, situada no inspirador Vale do Engadin, no Cantão de Grisões. Conhecido como berço do turismo de inverno e um dos resorts de montanha mais cintilantes do mundo, St. Moritz comemora 150 anos. A cidade cintila ao sol, que brilha ali 322 dias por ano, em média. Com o “clima de champanhe”, isto é, sempre luminoso e agradável, e 350 quilômetros de pistas, tem fama planetária como estação de esqui elegante e cosmopolita com inúmeras atividades, como esqui de altitude, snowboard, passeios de trenó puxados por cavalos, parapente, passeios de balão em vales nevados, festivais de arte, música e infraestrutura hoteleira da melhor qualidade. A temporada de esqui termina em meados de abril. Mas nem por isso a cidade deixa de ser visitada. St. Moritz é cosmopolita, onde se falam várias línguas, graças à proximidade com a Alemanha e a Itália. Construída em uma encosta acima do lago de mesmo nome, o local se estende através do Vale Engadin. Formada por bosques, a região é dividida em: Saint-Moritz-Dorf (a 1.822 metros de altitude), sede da cidade, e Saint-Moritz-Bad (a 1.774 metros), próxima ao lago. O que poucos sabem é que a cidade ganhou fama, inicialmente, em meados do século 19, como refúgio de verão, graças às fontes termais. A notoriedade como destino de inverno veio depois, numa brilhante jogada para preencher os hotéis que ficavam vazios nos períodos mais frios.

Foi o hoteleiro Johannes Badrutt quem convidou quatro ingleses, que sempre ficavam hospedados no seu hotel durante o verão, a retornar a St. Moritz no inverno de 1864. A aposta era de que eles usufruiriam do mesmo sol ameno sem precisar de casacos. Se não gostassem, a viagem seria por conta da casa. O grupo retornou ao Vale de Engadin no Natal e só voltou para a Inglaterra na Páscoa, com todos felizes, bronzeados e cheios de aventuras esportivas para contar.

Vento no rosto e muita aventura


Pegar o funicular para Corviglia e almoçar no Mathis Food Affairs, ou nos restaurantes que vibram nas altas estações, é uma ótima pedida. No inverno ou no verão, a visão grandiosa da subida abre-se em camadas pela paisagem, que vai se revelando verde e macia, com o Lago St. Moritz brilhando azulado em meio ao vale. Lá em cima, um parque esportivo com áreas de caminhada, trekking, restaurantes e bares. Além, claro, de pistas de esqui que chegam até 3.057 metros de altitude, como o Piz Nair e o Snow Park Corviglia, com seus 30 obstáculos – considerado um dos melhores da Europa. Outra opção com direito a vista panorâmica é o funicular que conduz à estação de Muottas Muragl, situada a quase 2.500m. Ela está entre Samedan, St. Moritz e Pontresina e tem uma vista espetacular para o Engadin.

Lá em cima, o Hotel Romantik oferece 16 apartamentos novinhos, no estilo alpino e terraço com vista para os lagos. O programa bacana é passar o dia por ali, jantar e dormir no hotel. Para uma experiência aquática – e que ficará com você para sempre –, reserve uma manhã para velejar no Lago St. Moritz com o vento batendo no rosto. Instrutores conduzem os barcos a vela e você pode marcar/reservar direto no lago. Compras, visita às galerias de arte e passeios a pé pela cidade são atividades gostosas. Para tomar drinques e comer carnes defumadas da melhor qualidade, oriundas de criação local, vá ao despretensioso Hatecke, misto de café e restaurante bem alpino, onde o proprietário prepara a comida na grelha e vende produtos de qualidade.

CHOCOLATES E LEMBRANÇAS Para provar os melhores doces e chocolates – em forma de trufas, barrinhas, tortas e outras delícias irresistíveis –, dirija-se à Hauser, confeitaria e casa de chá, e se jogue, sem culpa, nas tentações disponíveis. Quando a tarde cair, vá tomar drinques e comer petiscos no gostoso La Baracca e, depois, siga de carruagem para um jantar formal no elegante Chasellas. Não se esqueça de trazer na mala a fragrância Inviern, que epitoma o aroma invernal em velas e difusores perfumados, invenção de Eveline Fasser Testa para comemorar os 150 anos de St. Moritz. A mesma Eveline realiza todo verão, com o curador Reiner Opoku, um dos mais bacanas festivais de arte do calendário mundial, o St. Moritz Art Masters, em sua 8ª edição em 2015. Todos os meses de agosto, a região é tomada por exibições de arte, instalações, workshops, simpósios e extensa programação cultural que atraem visitantes e artistas e colocam St. Moritz no centro do cenário internacional das artes. Este ano, a arte moderna e contemporânea italiana é a bola da vez. (JAS)
Juliana A. Saad/Divulgação - 16/2/12
Chocolates suíços estão entre os melhores do mundo e podem ser degustados em lojas especializadas (foto: Juliana A. Saad/Divulgação - 16/2/12)

Conheça

» Hotel Kronenhof
www.kronenhof.com
» Hatecke Restaurante
www.hatecke.ch
» Mathis Food Affairs Corviglia
www.mathisfood.ch
» Hauser Chocolaterie
www.hotelhauser.ch
» St. Moritz Art Masters
www.stmoritzartmasters.com
» Romantik Hotel Muottas Muragl
www.muottasmuragl.ch


Dicas espertas


» Hospedagem

O Grand Hotel Kronenhof, localizado na pequena Pontersina, uma vila a poucos minutos de St. Moritz, tem uma magia especial. O local, em estilo belle époque, data de 1848, sendo um dos primeiros da região, e foi totalmente modernizado em 2007. Os salões decorados, com afrescos originais, pinturas e janelas que se abrem em vistas, são únicos. Não deixe de fazer um tour pelas instalações e conhecer um pouco da história dos esportes de inverno contadas em salas nas quais são exibidos esquis e acessórios. Quando a tarde cai, um pianista toca os primeiros acordes no salão principal, conferindo um ar totalmente surreal ao happy hour. Para completar, quartos amplos com terraços privativos e decoração moderna.

» Viaje de trem
Na Suíça, não deixe de tirar partido do sistema ferroviário, com uma ampla malha que percorre e conecta o país de maneira confortável, eficiente e segura. Tudo de bom é poder embarcar minutos após chegar à estação ferroviária em trens luxuosos – melhor ainda se forem panorâmicos. Sentar-se em poltronas confortáveis com direito a wi-fi, maleiro, serviço de venda de alimentos e vagões-restaurante para cruzar o país, vislumbrando paisagens de cartão-postal, torna o trajeto um destino em si. Do lado de fora, montanhas, vales, rios, lagos e vilarejos desfilam lânguidos ao sabor do olhar dos passageiros extasiados. Logo abaixo das janelas, mapas ilustram o percurso percorrido. E a pontualidade suíça é real. Programão! Conheça mais em www.swisstravelsystem.com.

» Voos diários

A Swiss oferece voos diários ligando o Brasil à Suíça. Gastronomia requintada, poltronas pneumáticas ultraconfortáveis, entretenimento premium e atendimento individualizado são marcas da companhia aérea suíça. Com a recente remodelação do serviço de bordo, a Swiss Business ficou ainda melhor e oferece promoção para embarques até 30 de junho. Confira as tarifas no site www.swiss.com.

 

Arnd Wiegmann/Reuters - 17/2/08
Antes de se tornar um dos destinos preferidos do inverno, a região era muito popular também no verão (foto: Arnd Wiegmann/Reuters - 17/2/08)
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO