A tradição é britânica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Mateus Vidigal/Esp. EM/D.A Press
Às margens do Rio Tâmisa estão várias atrações turísticas, como a Ponte de Londres, um dos principais cartões-postais da cidade (foto: Mateus Vidigal/Esp. EM/D.A Press)

Londres é daquelas cidades que fazem repensar os conceitos de cidade grande. De todos os destinos deste Turismo, talvez seja a capital com menos oportunidades para chegar a pé aos locais desejados. Mas isso não será problema, já que o transporte público é um dos mais eficiente da Europa. Milhares de ônibus vermelhos de dois andares, que param a poucos metros do destino, além de um ágil sistema de metrô, com o rígido horário britânico, que não deixa ninguém na mão.

Como nas cidades anteriores, Londres tem pontos turísticos que são fundamentais para conhecer a cidade. Por exemplo, o Parlamento, local onde fica o Big Ben. A área é uma espécie de apanhado de alguns dos ícones mais representativos: o relógio na torre, as cabines vermelhas espalhadas e os ônibus de dois andares circulando.

Depois de conferir a região e das fotos, vai bater aquela fome. Você pensa: estou em Londres, qual o prato tradicional?. Fish n’ chips. Nada mais é que batata frita com peixe frito. Francamente, ninguém saiu de mochilão e foi para Londres para se encher de fritura – se você é dos que apreciam, sorry. O segredo da capital da Inglaterra é a multiculturalidade. Assim, há muito mais para comer. Então, não perca seu tempo procurando um fish’n chips.

 

 

Nas feiras do distrito de Shoreditch você encontra culinária de todo o mundo. Da Ásia à América do Sul, incluindo o prato tradicional inglês, se ainda estiver determinado a experimentá-lo. Na realidade, a feira é uma maravilha cultural: tem objetos para comprar e levar para casa, opções de presentes, novidades, antiguidades...

Se lhe disserem a frase: “Um lugar chamado…?”, você completaria com o quê? Isso mesmo, Notting Hill. Bairro nobre de Londres, com fileiras de casas padronizadas, alterando apenas a cor da porta. Nos fins de semana são montadas várias feiras de artesanato, de alimentação e lazer. Vale a pena conferir.

PUBS Antes dos pontos tradicionais, é importante conhecer os pubs. Ah, os pubs de Londres são um capítulo à parte na cidade! Já fica o aviso: não é barato beber. Cada pint, aproximadamente meio litro de cerveja, custa cerca de 4 libras (em média R$ 16). Dependendo da sede, a noitada pode sair bem cara. E, como se está num mochilão, cada moeda guardada é lucro. A dica é comprar a bebida em supermercados e escolher alguns pubs – seu bolso agradecerá. As cervejas inglesas são bem saborosas. Fãs da bebida podem dedicar um tempo conhecendo novos bares.

Aproveite as margens do Rio Tâmisa. Lá estão a London Eye, a roda-gigante; a Ponte de Londres; e o Tate Modern, museu de arte moderna. Quando o assunto é museu, Londres oferece diversas opções: National History Museum, Tate Britain, National Gallery etc.

Londres é daquelas cidades singulares que exigem um pouco de imersão para absorver e compreender o estilo de vida. Se precisar refletir, vá até o Hyde Park, um dos mais famosos, compre alguma comida, sente-se em um banco ou no gramado. Não se assuste com aquelas figuras brancas — homens sem camisa, por exemplo — esticadas ao sol. Geralmente, os moradores não se importam com o frio. Se for verão, então, a paisagem é salpicada de pontos claros. Desfrute o mundo londrino e aprecie o clima. (MV)

Mateus Vidigal/Esp. EM/D.A Press
Tradicionais ônibus vermelhos de dois andares levam turistas aos destinos escolhidos (foto: Mateus Vidigal/Esp. EM/D.A Press)

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO