Diga: "Ciao, Roma, ciao!"

Passear pelas ruas antigas da capital é como ter aula de história a céu aberto e sem precisar pagar muito para isso. E, claro, durante a caminhada, pare e compre um sorvete italiano

por Mateus Vidgal 03/03/2015 00:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Mateus Vidigal/Esp. EM/D.A Press
No Panteão, é possível conhecer as sepulturas de figuras importantes da história, como o pintor Rafael Sanzio. Na praça em frente, a pedida é saborear um delicioso gelato (foto: Mateus Vidigal/Esp. EM/D.A Press)


Ciao. Decore isso. Pronuncia-se igual ao nosso tchau, porém com a letra “o” em vez do “u”. Parece bobagem, mas memorize isso, pois vai soar mais educado do que falar inglês com os nativos. A expressão tanto é usada para dizer “oi” como para se despedir. Agora, você já sabe falar outra palavra em italiano que não seja “prego” e balançar a mão ao estilo dos personagens da novela Terra nostra. Se não for suficiente, não se preocupe, a maior parte das situações pode ser resolvida apontando para placas.

Para se hospedar, procure uma região próxima aos principais atrativos da cidade, o que não vai ser difícil, visto que em Roma tudo é muito perto. Conseguiu encontrar algo ao lado do Coliseu? Ótimo, comece o passeio por lá (12 euros para entrar). Esse é um dos maiores símbolos da arquitetura da história, a mítica arena dos gladiadores. É um daqueles monumentos que, antes de ir, você se pergunta: “Será que é tudo isso?”. Sim, é tudo isso. Depois de chegar perto dessa imponente construção, você enxerga o quão pequeno é e se questiona como as pessoas construíram tal obra séculos atrás.

E não para por aí. Atravessando uma pequena rua ao lado do Coliseu está o Foro Romano, que, definitivamente, põe você para viajar por esculturas e ruínas que datam de séculos anteriores a Cristo. Vale a pena visitar os dois lugares. Se puder, dedique um dia para essas duas atrações, pois elas são grandiosas e com muitas histórias.

 

Depois, aproveite para decorar uma outra frase (ainda mais se for a Roma no verão): “Un piccolo due, per favore”. Pronto, os dias de sofrimento acabaram. Agora, você já sabe pedir um sorvete sem auxílio de gestos desengonçados e sem falar alto com os atendentes.

Gelato consumido, hora de seguir a caminhada para um dos monumentos mais fotografados por turistas e mais criticado por arquitetos: Piazza Venezia. É uma obra gigantesca e imponente, mas tão imponente, com tantas influências arquitetônicas diferentes, que acaba destoando do resto da cidade.

PANTEÃO Não vá embora de Roma sem ir à Fontana di Trevi, talvez a mais famosa do mundo. Geralmente, chegar até ela é uma surpresa. Você andando por entre ruas estreitas e, de repente, ouve um burburinho e ela está lá. Sempre cercada de gente de todos os países. Às vezes é difícil encontrar um cantinho livre para posar e fazer uma foto. E não desperdice a sua sorte. Jogue a sua moeda.

Outra construção que vale a pena ser vista de perto é o Panteão. A cúpula, os ornamentos, os quadros e as esculturas… tudo é magistral. Lá estão sepultadas diversas figuras importantes da história do país, como o grande pintor renascentista Rafael Sanzio. Além de todas essas peculiaridades, uma pequena praça em frente ao Panteão é um lugar muito agradável para descansar e tomar mais um sorvete. Afinal, nunca é demais provar um gelato em plena capital da Itália.

Hora de tomar uma brisa. Lembrando que, se for a Roma durante o verão, leve roupas leves, pois as temperaturas ultrapassam os 30 graus com bastante facilidade. Dê um passeio ao longo do Rio Tibre, admire as construções e a paisagem. No cair da tarde, procure por uma autêntica pizza italiana. Afinal, quem vai para a Itália e sai de lá sem comer ao menos uma pizza decente pode falar que não foi. Opções não vão faltar. Dizem que quanto mais fina a massa, melhor. Prove várias e tire as próprias conclusões.


[FOTO420320]

VATICANO
Sabe aquele ditado que diz “…é como ir a Roma e não ver o papa”? É quase a mesma obrigação: deve-se passar pela Piazza del Popolo. Ali perto há alguns jardins mais elevados que lhe darão uma boa vista desse que é um dos ícones da cidade. De praças bonitas e com riqueza cultural, Roma está cheia. Dependendo de quanto tempo tiver, fazer marcações no mapa e passar por cada uma delas, cortando caminho por meio das ruelas, é um passeio que define a essência do local.

Por último, mas não menos importante, é chegada a hora de partir para outro Estado. Sim, você irá abandonar Roma. Mas não se preocupe, partindo do Centro da cidade para o novo destino, não levará mais que 30 minutos. De ônibus ou metrô, é possível desembarcar dentro ou bem próximo ao Vaticano. Basta atravessar uma ponte e estará lá, diante da gigantesca Basílica de São Pedro, importante edifício católico e atual residência do hermano papa Francisco. Se você pensa que já viu igrejas de todos os jeitos, reformulará as ideias depois de visitar a basílica. Não é preciso pagar para entrar, apenas enfrentar uma grande – enorme – fila.

Ali perto está o Museu do Vaticano. Esse sim, cobrará entrada –16 euros. Após entrar e percorrer boa parte do local, você vai olhar para cima e pensar: “Acho que já vi isso em algum lugar”. Talvez em um livro de arte ou de história. Enfim, é o famoso afresco pintado por Michelangelo, que talvez seja um dos maiores símbolos do Renascimento. É uma overdose de história e arte. Depois desse êxtase romano, é hora de dar adeus a essa cidade milenar e seguir viagem para o próximo destino. Compre mais um gelato e arrivederci, Roma!

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO