Grupo Tapa apresenta a peça 'Doze homens e uma sentença'

Escrito nos anos 1950, texto que discute o desafio de julgar dialoga com o Brasil às voltas com o radicalismo e a intolerância

por Ana Clara Brant 09/08/2017 08:00
Tapa/Divulgação
Atores interpretam jurados prestes a definir o destino de um assassino. (foto: Tapa/Divulgação)

Na década de 1950, o texto de Doze homens e uma sentença foi escrito pelo norte-americano Reginald Rose para a TV. Em 1957, virou filme estrelado por Henry Fonda. Quando um jovem porto-riquenho é acusado de matar o próprio pai, 12 jurados se reúnem para decidir o destino dele. A história, que continua atual, é um dos sucessos do Grupo Tapa, de São Paulo.

''Estamos em cartaz desde 2010, um fenômeno. Rodamos muitas cidades do Brasil, fomos para Portugal e só em São Paulo nos apresentamos em seis teatros diferentes. Já estivemos em BH, mas num evento fechado. Agora, o público belo-horizontino vai realmente conhecer esse espetáculo'', comemora o diretor Eduardo Tolentino. Nesta quarta-feira, 09, e quinta, 10, a peça poderá ser conferida no Cine Theatro Brasil Vallourec.

Para Tolentino, um dos aspectos mais interessantes da produção é o fato de ela dialogar com a realidade de muitos lugares diferentes – inclusive a brasileira. ''Estamos vivendo um momento em que o Brasil está muito jurisdicionalizado. Todo mundo julga todo mundo – e do jeito que quer. Como em qualquer julgamento, tem os radicais, os Bolsonaros da vida, e os mais sensatos'', afirma.

Doze homens e uma sentença foi assistida por 200 mil espectadores. ''É difícil analisar um sucesso. É uma história muito interessante, que mescla suspense, humor, reflexão, razão e emoção, ou seja, sentimentos que fazem parte da vida de qualquer indivíduo. Isso bate nas pessoas com muita força'', acredita Tolentino.

De acordo com o diretor, de nada adiantaria uma ótima trama se o elenco não fosse de alto nível, sobretudo com 12 pessoas em cena. Tolentino até brinca, dizendo que como boa parte dos atores tem outros projetos, a peça, na verdade, conta com 36 homens. ''É como se fosse um time. Quando entram os ‘reservas’, a qualidade não cai. A base é o elenco do Tapa, mas, vez por outra, contamos com convidados. O nosso desenho cênico funciona muito bem'', frisa.

PUC O Grupo Tapa surgiu em 1974, na PUC Rio, na capital fluminense. Reunia alunos de diversos cursos e se chamava Teatro Amador Produções Artísticas (T.A.P.A.). A profissionalização ocorreu em 1979, depois de aulas com integrantes do Teatro dos 4. A sigla, então, transformou-se em Tapa.

Em 1986, a companhia se transferiu para São Paulo e o Teatro da Aliança Francesa foi sua sede permanente por 15 anos. O grupo recebeu cerca de 80 prêmios – entre eles, Shell, Mambembe, Molière e APCA.

DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA
De Reginald Rose. Direção: Eduardo Tolentino. Com Grupo Tapa. Quarta (9/8) e quinta (10/8), às 21h. Cine Theatro Brasil Vallourec, Praça Sete, Centro, (31) 3201-5211. Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-inteira). Classificação indicativa: 12 anos. Informações: www.cinetheatrobrasil.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO