'Todos me querem', diz Whindersson Nunes, que está hoje em BH

Piauiense é o campeão do Yutube: seu canal tem 17 milhões de inscritos. Apresentação de stand up será em dois horários no Palácio das Artes

por Redação EM Cultura 10/03/2017 09:48

Bruna Rodrigues/Divulgação
(foto: Bruna Rodrigues/Divulgação)
O carioca Marcelo Adnet, de 35 anos, era o cara mais engraçado de sua turma. Foi parar na MTV e, de lá, pulou para a Globo. O piauiense Whindersson Nunes também era o cara mais engraçado de sua turma. Abriu um canal no YouTube. Na ocasião, com 15 anos, jamais imaginaria que hoje, aos 22, alcançaria mais de 17 milhões de inscritos, se consagrando como o segundo maior influenciador digital do mundo. Hoje ele tem a liderança em audiência de um canal brasileiro na plataforma e circula pelo país com sua segunda turnê, que chega nesta sexta (10) a Belo Horizonte.


Nunes é a mais perfeita tradução do sucesso nos tempos em que a internet mudou o modo de se fazer e difundir produtos audiovisuais. Do YouTube para o teatro, ele mantém o despojamento. Sobe ao palco usando camiseta, bermudas e boné. Conta casos de sua vida, faz imitações e comentários, como se estivesse na sala de casa. Mas lota auditórios. No Grande Teatro do Palácio das Artes, fará sessão extra de Proparoxítona, que inicialmente tinha apenas uma apresentação agendada.


"Devo esse resultado à minha beleza. Todos me querem", diz, no tom (constante) de brincadeira e alto astral. Seus vídeos abordam temas diversificados, abrangendo paródias, músicas autorais e críticas de filmes. Neste ano, ele pretende estrear também no cinema e afirma ter negociações em andamento com um canal fechado de TV.

 

Sua estreia em stand ups foi com Marminino. O novo show empresta seu nome do termo gramatical que o youtuber utiliza quando quer se referir a algo grandioso e muito bacana. "Quero ver todos na minha apresentação em BH, que vai ser proparoxítona!”, afirma.


A entrevista a seguir ao Estado de Minas foi feita por e-mail. Segundo a assessoria de Nunes, o volume de compromissos em sua agenda tornava inviável uma conversa telefônica.

Como foi o início de seu canal? O que o motivou a começar? Você sempre se viu como um artista? De que tipo: ator ou comediante?
O início do meu primeiro canal foi uma brincadeira com os meus amigos de escola. Depois, ele foi invadido e perdi tudo. Então resolvi começar do zero, sem nenhum seguidor, sem nada e ele foi crescendo, crescendo. O que me motivou foram meus amigos e os comentários. Vi que estava fazendo a coisa certa. Sempre me vi como uma pessoa engraçada, acho que estou mais para comediante e ator, não sei dizer ao certo.

Há quanto tempo você investe no seu canal? E quanto demorou para ter um retorno?

A minha dedicação é o compromisso com os meus fãs. Dedico minhas postagens a eles.

Qual foi o primeiro vídeo a viralizar?

Foi a paródia Vó, tô reprovado. [Paródia do forró Vô, tô estourado, de Israel Novaes.

Confira o vídeo: 

 

 

Você pensa em ir para a TV ou o cinema? Muitos youtubers estão fazendo filmes, mas o sucesso tem sido menor do que se supunha. A que você atribui esse resultado?
Jamais imaginei que receberia convites para ir para a televisão. Sempre pensei que meu mundo seria a internet. Hoje tenho convites para filme, que deve estrear ainda este semestre, e televisão. Devo esse resultado à minha beleza, todos me querem!

Que planos você tem para a sua carreira?
Meus planos são de continuar neste caminho, que está dando certo. E, quem sabe, um programa na televisão?

Como tem lidado com a fama?

Amo meus fãs, e a fama nos aproxima das pessoas queridas.

Sua família entende o que você faz?

Sim, entende. Hoje todos me ajudam. Eles me dão suporte para seguir em frente!

Quando você sentiu segurança para ir ao teatro? E qual foi o maior teste ao vivo por que já passou?

Nunca tive esse medo, sempre encarei meus desafios de frente.

Marminino
fala sobre o cotidiano e, principalmente, sobre casos da sua infância. Proparoxítona aborda o quê?

Nesse novo espetáculo, continuo contando casos da minha infância e também casos engraçados do antes e depois da fama, casos que ninguém sabe, por enquanto, né.

Quem acompanha o seu canal pode esperar coisas inéditas no show?

Pode esperar coisas bacanas que jamais viram no canal, que eu nunca tive coragem de contar no canal, por exemplo. Dá até frio na barriga só de pensar.

O Grande Teatro do Palácio das Artes é considerado um local nobre em Belo Horizonte, que cobra preços altos pelos ingressos e recebe apresentações voltadas para um público adulto, não necessariamente jovem. Que tipo de público é sua prioridade no momento?

Meu público vai desde uma criança de sete anos até pessoas de 90 anos. E eu gosto de todos, quero ver todos na minha apresentação em BH, que vai ser proparoxítona!

De onde você tira as ideias para os vídeos no canal e para os shows?

Tudo o que me chama a atenção pode virar vídeo, tudo que eu acho que vale a pena contar para meus seguidores.

Que vídeo fez mais sucesso até hoje?
Foi a paródia que fiz da música Hello, da Adele: Qual é a senha do wi-fi?

Confira o vídeo:

 

A que você atribui o seu sucesso?
Dedicação e honestidade. São a chave de sucesso para qualquer negócio.

Você fez escola de interpretação ou algum outro curso na área artística? Tem planos de estudos?
Não fiz cursos de teatro, mas pretendo seguir nessa profissão. Agora me falta tempo para estudar, mas quero muito me aprimorar na área artística.

Já esteve antes em BH? Que lugares da cidade pretende visitar? O que mais te chamou atenção no público mineiro?

Já me apresentei na cidade, achei tudo muito lindo. Queria visitar os pontos turísticos, mas acho que não teremos tempo para isso. A passagem pela cidade vai ser curtinha.

Proparoxítona
Stand up comedy com Whindersson Nunes. Sexta (10), às 18h30 e 21h30, no Grande Teatro do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.538, Centro). Ingressos: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia), à venda na bilheteria e pelo site www.ingressorapido.com.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO