Comédia de Jeff Gould brinca com os relacionamentos modernos

Espetáculo será encenado neste fim de semana no Teatro Bradesco

por Helvécio Carlos 02/03/2017 20:03

Mesmo acostumada aos desafios da profissão, Nina Morena não esconde que atuar na comédia Jogo aberto foi um desafio. “Dez dias antes da estreia, fui convidada para substituir uma das atrizes. Tive medo pelo pouco tempo para construir a personagem.

 

O elenco já estava ensaiando há dois meses”, conta Nina, que amanhã e domingo se apresenta em BH. Ela contracena com André Bankoff, Mariana São João, Eduardo Leão, Pedro Henrique Moutinho e Nathália Rodrigues.

João Caldas/divulgação
Cena do espetáculo 'Jogo aberto' (foto: João Caldas/divulgação)

A trama envolve três casais, que, depois de muitos drinques, começam o velho – e temido – jogo da verdade. Paulo, executivo do mercado financeiro, é casado com Evelyn. A massagista Júlia é mulher do insaciável Milton. André, do ramo da informática, é o marido da advogada Lilian. “É uma comédia atual, que gira em torno de relacionamentos”, resume Nina Morena. O texto é de Jeff Gould, com direção de Isser Korik.

 

Nina faz o papel de Evelyn. “Fria, naquela noite ela se torna vingativa. Já eu sou mais emocional, espontânea”, revela a atriz, que ingressou no elenco depois do fim das gravações de Cúmplices de um resgate, novela exibida pelo SBT/Alterosa até o ano passado.

Aos 36 anos, a atriz tem trabalhado mais na TV. “A televisão é maravilhosa, era muito divertido aquele elenco de A grande família”, conta, referindo-se à série da Rede Globo, da qual participou em 2011 e 2013. “Adoraria fazer mais cinema, mas não rolam convites. A técnica é diferente, seria enriquecedor para a minha formação”, observa.

Nina só fez um filme: o longa Um romance de geração (2009), dirigido por David França Mendes. Agora, planeja montar seu primeiro texto. Escrita no carnaval de 2016, alguns meses depois da morte de sua mãe, Marília Pêra, a peça terá apenas Nina e outra atriz em cena. “Nada biográfico”, garante.

Filha de Marília e Nelson Motta, Nina só tem boas lembranças da mãe. “Ela é parte da minha carreira. Com ela fui a vários lugares, onde conheci atores maravilhosos. Ela me ensinou tanta coisa, aprendi a importância de ter fibra para encarar a profissão. Minha força veio de minha mãe”, revela, com carinho.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO