Susana Vieira chega a BH com o espetáculo 'Uma Shirley qualquer'

Dirigida por Miguel Falabella, a peça trata dos desafios femininos com bom humor

por Helvécio Carlos 11/11/2016 09:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Daniel Chiacos/divulgação
(foto: Daniel Chiacos/divulgação)

Quando o convite é de Miguel Falabella, Susana Vieira não pensa duas vezes para dizer sim. ''Tenho muito carinho e respeito por ele. Onde Miguel põe a mão, pode ter certeza: será felicidade ou sucesso. Geralmente, são as duas coisas juntas'', elogia a atriz, que chega a BH com o espetáculo Uma Shirley qualquer.


A montagem é dirigida por Falabella, que também assina a adaptação da peça do inglês Willy Russell. ''Miguel sempre dá um jeito de os personagens parecerem ser uma criação nova. Observador, ele tem uma linguagem universal'', acrescenta Susana, que comemora o terceiro trabalho no teatro sob direção do amigo. Os outros foram A partilha, com sucesso estrondoso, e A vida passa.

Não é fácil para essa dupla compatibilizar agendas de ensaios. A solução foi ela dar um pulinho em Belo Horizonte durante a temporada de God, estrelada por Miguel. ''Passamos algumas horas estudando e fazendo a marcação. Foi maravilhoso, apesar de não terem sido ensaios como queríamos'', revela a atriz, que elogia o resultado final.

Uma Shirley qualquer (no original, Shirley Valentine) conta a história de uma mulher em crise. Certo dia, ela recebe um convite para viajar e sua vida muda para melhor. ''É uma comédia muito emocionante. Trata dos sentimentos de alguém casada há 25 anos com um marido que só vai em casa almoçar e jantar. Ela virou uma Shirley qualquer, mas está em busca da Shirley que era quando mais moça, sem o sobrenome do marido'', resume.


Susana Vieira se reconhece na personagem. ''Esses sentimentos também fazem parte da minha vida e de todas as mulheres, pois, em algum momento, não realizamos um sonho ou sentimos saudades dos filhos que saíram de casa. Mas a Shirley é alegre, tem bom humor como eu'', diz, às gargalhadas.

Para Susana, a mulher deve romper com a obrigação de ser esposa e mãe. ''É preciso ter vida própria, independentemente de ser dona de casa, o que não é ofensa para ninguém. Casamento e filhos são coisas naturais, só não podem ser o objetivo da vida''.

Encarar um monólogo foi um desafio. ''Você acha fácil decorar 70 páginas e falar ali, sozinha, por uma hora e 45 minutos?'', questiona, bem-humorada. ''E ainda tenho de contar a história fazendo os papéis do marido e do filho da Shirley. Essa junção é muito difícil, mas um exercício para a mente. Aliás, mais recomendável do que qualquer remédio'', conclui.

UMA SHIRLEY QUALQUER
Peça de Willy Russell. Adaptação e direção: Miguel Falabella. Com Susana Vieira. Sexta, 11, e sábado, 12, às 21h. Cine Theatro Brasil Vallourec, Praça Sete, Centro. Inteira: R$ 100 (plateia 1), R$ 80 (plateia 2) e R$ 70 (plateia 3). Meia-entrada de acordo com a lei. Informações: (31) 3889-2003.'

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO