Com crise econômica, Grupo Corpo busca o apoio financeiro dos fãs

Companhia de dança, que tem como principal patrocinadora a Petrobras, está atrás de alternativas para driblar momento ruim

por Márcia Maria Cruz 25/10/2016 08:30

Os mineiros costumam transbordar de orgulho ao ver os bailarinos do Grupo Corpo em cena, mas muitos, certamente, temem que ele possa ser afetado pela crise da Petrobras, a maior patrocinadora de suas atividades.

José Luiz Pederneiras/Divulgação
Com 41 anos, o Grupo Corpo busca diversificar parcerias para financiar as suas atividades (foto: José Luiz Pederneiras/Divulgação)

Com 41 anos, a companhia, de renome internacional, é sinônimo de excelência. Sempre manteve sua base em Belo Horizonte, onde cativou público fiel.

Diante da crise econômica, o grupo criou a rede Amigos do Corpo, com o objetivo de estimular o fã a contribuir para sua manutenção. Para apresentar a proposta, a companhia convidou admiradores para conhecer sua “cozinha”, onde espetáculos são gestados e preparados.

 

“É algo muito novo, mas estamos muito felizes com o retorno”, afirma a diretora de programação Cláudia Ribeiro. “É um patrocínio genuíno. Uma maneira de cada cidadão decidir para onde vai um pedaço do seu Imposto de Renda.”

Na sexta-feira, apoiadores foram apresentados ao projeto depois de assistir ao ensaio de Parabelo, na sede da companhia, no Bairro Mangabeiras. Amanhã, haverá outra sessão.

 

“O país está em crise. Quebramos a cabeça para buscar novas formas de sustentabilidade”, explica Cláudia. Em 2000, a Petrobras se tornou patrocinadora exclusiva do Corpo, cuja manutenção anual custava R$ 15 milhões – R$ 10 milhões a cargo da estatal. Os outros R$ 5 milhões vinham de apresentações e de turnês.

PARCERIAS

Com a redução dos recursos repassados pela estatal para R$ 2,5 milhões, o Corpo passou a contar com outros parceiros. “A queda não foi de uma vez. Foi aos poucos”, relata a diretora de programação. Diante desse cenário, o grupo buscou diversificar os financiadores.

 

Entre eles estão Itaú Cultural, Unimed e governo de Minas, por meio da Cemig. Ainda assim, é urgente encontrar outras fontes de receita. Com base em experiências bem-sucedidas do Instituto Unimed, Inhotim e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, a companhia decidiu recorrer à doação de pessoas físicas, por meio do Imposto de Renda.

O processo é simples, acessível a qualquer um que tenha recebido rendimentos tributáveis que superem o valor a ser estipulado pela Receita.

 

Pessoas físicas podem destinar até 6% do imposto devido a pagar ou a restituir para projetos da Lei Rouanet. A destinação deve se dar no ano-base do Imposto de Renda. Ou seja, quem desejar usar o imposto em 2017 precisa fazer a opção até o fim deste ano.

De acordo com Cláudia, é como se a pessoa “emprestasse o valor, devolvido quando é feita a declaração”. Simulações podem ser feitas no site www.amigodocorpo.com.br. A pessoa indica o projeto ao qual deseja destinar seu dinheiro. O grupo emite um recibo, que deverá ser apresentado no momento da declaração.

 

“É uma forma de alimentar a economia criativa sem pagar nenhum tostão a mais. A pessoa desembolsa o valor até dezembro e o recebe de volta depois de abril do ano seguinte”, diz.

FOLDER

O público dos ensaios é formado por espectadores que acompanharam as apresentações recentes do grupo e, depois de receber folder explicativo, decidiram apoiar o projeto. Paulo Pederneiras, diretor artístico do Corpo, garante que a crise não influenciou o projeto artístico do Corpo. “Não alteramos em nada nossas produções e nem as viagens para o exterior. Tudo é feito da mesma forma”, afirma.

Pederneiras lembra que a Petrobras segue como a maior patrocinadora do grupo, mas observa que é preciso diversificar. Para se adaptar aos novos tempos, a companhia, com 67 funcionários (21 deles bailarinos), readequou seu orçamento. “Procuramos enxugar sem que isso afete a nossa produção e os compromissos”, diz.

O grupo apresenta, em média, 70 sessões por ano. Para estreitar o relacionamento, os apoiadores serão convidados a assistir aos ensaios em BH e a acompanhar o processo de construção dos espetáculos.

AMIGOS DO CORPO
Informações: www.amigosdocorpo.com.br e amigos@grupocorpo.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO