Pedro Paulo Cava remonta 'A paixão segundo Shakespeare', peça de Jota Dangelo baseada em clássicos do bardo inglês

Diretor destaca a contemporaneidade de textos escritos há quatro séculos

por Ana Clara Brant 06/10/2016 08:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Talvez ninguém tenha falado com tanta propriedade de paixão, em seu sentido mais amplo, como William Shakespeare (1564 -1616). Jota Dangelo se inspirou nessa premissa para escrever a peça A paixão segundo Shakespeare, cuja remontagem ficará em cartaz até 18 de dezembro no Teatro da Cidade.

 

Hamlet, Othelo, Romeu e Julieta, Júlio César, Macbeth e O mercador de Veneza foram os textos escolhidos pelo dramaturgo mineiro para compor um painel da obra do bardo.

Guto Muniz/divulgação
Andreia Garavello interpreta a personagem Parca no espetáculo que fica em cartaz até dezembro (foto: Guto Muniz/divulgação )

“Em Hamlet, temos a paixão pelo teatro; em Othelo, é a paixão que mata; já em Romeu e Julieta sobressai a paixão juvenil; em Júlio César, a paixão pelos amigos e a lealdade; em Macbeth, a paixão pelo poder. Por fim, em O mercador de Veneza, o destaque é a paixão pelo dinheiro”, explica Pedro Paula Cava, diretor do Teatro de Pesquisa – Cia. do Teatro da Cidade, responsável por encenar o texto.

A peça de Dangelo foi escrita há 21 anos. Cava decidiu remontá-la para homenagear os 85 anos do diretor, ator e gestor cultural nascido em São João del-Rei, que serão comemorados em 2017, e os 400 anos da morte de Shakespeare.

“A gente faz uma releitura mais contemporânea das obras de Shakespeare, incluindo citações, versos, poemas e projeções que contextualizam as várias ações transcorridas na peça. Tudo dele é muito apaixonante e intenso, pois fala da alma humana. O fato de os textos terem sido escritos há quatro séculos é mero detalhe. Ao longo desse tempo, a forma de se expressar mudou, mas não os sentimentos básicos e a essência do homem. A obra shakespeariana sempre será atemporal e universal”, afirma o diretor.

Na remontagem de Pedro Paulo Cava, os personagens trocam seu próprio contexto histórico pelos dias atuais. Isso se dá por meio de uma companhia teatral, que se reúne para falar de amor, morte, dor, vingança, ódio, amizade e política. Os atores se revezam em vários papéis para traçar um retrato trágico, atual e bem-humorado das paixões humanas.

Cada uma das seis peças foi condensada para, no máximo, 20 minutos. Coube à personagem Parca, interpretada por Andreia Garavello, alinhar a dramaturgia. Na mitologia greco-romana, parcas eram as filhas da noite – ou de Zeus e de Témis. Divindades controlam o destino dos mortais e determinam o curso da vida humana, decidindo questões como vida e morte.

“A personagem da Andreia vai interligando cada uma das histórias e comentando sobre a natureza humana, os sentimentos. William Shakespeare sempre foi um grande desafio para qualquer pessoa que mexe com teatro. É um texto poderoso, com diálogos fluidos. Por isso, todo grande ator quer encená-lo”, acrescenta Cava.

 

O elenco também traz Ana Cândida, Fabiane Aguiar, Maria Cecília Mansur, Geraldo Peninha, Gustavo Marquezini, Jefferson de Medeiros, José Maria Amorim, Luciano Luppi e Marcelo do Vale.

EXPOSIÇÃO

A mostra Shakespeare 400 anos depois, em cartaz na Pequena Galeria do Teatro da Cidade paralelamente à exibição da peça, é um recorte da coletiva de artes visuais realizada no Museu Mineiro, em abril, pela Secretaria de Estado de Cultura e pelo Centro de Estudos Shakespeareanos.

“Como o nosso espaço é reduzido, optamos por selecionar apenas uma parte da exposição. Teremos 21 artistas – 14 pintores e sete escultores –, cujas obras dialogam com o tema da peça “, conclui Pedro Paulo Cava.

A PAIXÃO SEGUNDO SHAKESPEARE
De Jota Dângelo. Direção: Pedro Paulo Cava. Teatro da Cidade. Rua da Bahia, 1.341, Centro, (31) 3273-1050. Estreia hoje, às 20h30. Em cartaz até 18 de dezembro, com sessões de quinta-feira a sábado, às 20h30, e aos domingos, às 19h. Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia). Informações: www.teatrodacidade.com.br.

SHAKESPEARE 400 ANOS DEPOIS
Pintura e escultura. Pequena Galeria do Teatro da Cidade. Rua da Bahia, 1.341, Centro, (31) 3273-1050. De segunda a quarta-feira, das 14h às 19h; quinta e sexta-feira, das 14h às 20h; sábado e domingo, das 16h às 20h. Até 18 de dezembro.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO