Festival de teatro reúne companhias internacionais em BH

Evento terá sessões públicas e oficinas para profissionais a partir desta quinta-feira;confira a programação

por Carolina Braga 01/09/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
David Paez/Divulgação
Atriz argentina Maria Viau em cena do espetáculo Una furia patria, um dos convidados do ENcontro Latino-americano de Teatro de Grupo (foto: David Paez/Divulgação)
E os outros 90%, onde estão? Era essa a pergunta que a atriz Carolina Correa se fazia a cada programação de festival de teatro que surgia em sua frente. No Brasil, na Colômbia, no Chile, o padrão se repetia: programação de estrelas. Os 10% da produção das artes cênicas de cada país.

O 1º Encontro Latino-americano de Teatro de Grupo foi pensado para contemplar representantes desse bolo que costuma ficar fora dos grandes eventos: os 90%. Não por uma questão de qualidade, mas de porte internacional mesmo.

O encontro, que se realiza de hoje até segunda nas sedes do Armatrux, grupo Atrás do Pano e Grupo Dos Dois, em Nova Lima, lança luz sobre trabalhos de companhias parceiras no continente. São coletivos jovens, que, em geral, circulam pelas programações paralelas. Ocupam as bordas do mainstream.

“O maior desafio é que os participantes possam renovar seus vínculos e criar espaços de reflexão para promover a circulação internacional”, diz Mauro Molina, diretor do corredor latino-americano de teatro. Ao longo dos cinco dias, serão apresentados sete espetáculos, sendo cinco estrangeiros. Haverá ainda mesas-redondas, oficina de dramaturgia e também o Café com Trocas, espécie de rodada de negócios à la mineira.

É característica desses grupos produzir seus próprios festivais de teatro. Todo mundo da mesma turma, disposta a investir para fomentar as trocas e também a discutir temas que são caros para a vida social e política de seus países. De uma forma ou de outra, todas as peças que participam do encontro falam sobre política, família, arte e gênero.

OLHAR FEMININO

Para a uruguaia Veronica Mato, o desenvolvimento da dramaturgia latino-americana é recente. “Isso não tem a ver com a língua em si, mas com outros tipos de paradigmas que nos ocorreram. Hoje queremos contar nossas histórias e não temos medo de fazê-lo.” Veronica oferece com a mineira Lívia Gaudêncio a oficina de dramaturgia sobre o olhar feminino.

A programação reúne nomes reconhecidos de seus respectivos países, mas do circuito off. Por exemplo, a atriz Maria Viau, integrante do grupo Caníbal, é considerada hoje uma das grandes intérpretes do teatro argentino contemporâneo. Ela participa do elenco da peça La furia patria. O grupo Lafamiliateatro é o representante do Chile com a montagem La niña astronauta. Do Uruguai participa o grupo Paréntesis Teatro & Extra Conglomerado e tem ainda a Companhia de Teatro Lendias, convidada de Portugal.

O Grupo Armatrux acaba de voltar de uma turnê pela Argentina, onde apresentou No pirex. Para Tina Dias, integrante da companhia mineira, a experiência recente em Buenos Aires reforçou a ideia de que os grupos estão mesmo trabalhando de forma colaborativa para fomentar suas pesquisas e a circulação. “O que está ocorrendo em BH se passa na América toda com uma força muito grande. Temos estruturas semelhantes”, diz.

Para Eduardo Luna, diretor do grupo chileno Lafamiliateatro, a dramaturgia latino-americana responde a um processo de mestiçagem cultural produzido pela colonização que arrasou as culturas indígenas. Com o tempo, essa transposição cultural se entrecruzou com nossas histórias e vivências, dando origem a um teatro que busca sua autonomia. “É a cultura mestiça que nos permite estar abertos a todas as colaborações, recebê-las e transformá-las”, comenta.


ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE TEATRO DE GRUPO
Ingressos para os espetáculos: R$ 10 (preço único). Informações: (31) 3517 8282. Confira programação nesta página

PROGRAMAÇÃO

QUINTA-FEIRA

Casa Cultural Atrás do Pano (Rua Dr. Lund, 632, Nova Lima)
21h – Por parte de pai, com Grupo Atrás do Pano (BRA)
22h – Bar do Encontro: Marcos Frederico Trio

SEXTA-FEIRA
C.A.S.A (Rua Himalaia, 69, Vale do Sol, Nova Lima)
15h – Mesa-redonda: Gestão e internacionalização do teatro
20h – No Limite da dor, com Companhia de Teatro Lendias d’Encantar (POR)
21h – La niña astronauta, com Lafamiliateatro (CHI)
22h – Bar do Encontro: Toda Deseo apresenta No soyunmaricón + Bar Pastel de Angu com DJ Deco Lima

SÁBADO
Casa Cultural Atrás do Pano
15h – Mesa-redonda: Teatro e comunidade
20h – Una furia patria, com Grupo Caníbal (ARG)
21h – Bar do Encontro: Samba
sem Compromisso

DOMINGO
C.A.S.A
14h – Café com Trocas
18h – YocualDelmira, com Paréntesis Teatro & Extra Conglomerado (URU)
19h – No pirex, com Grupo de Teatro Armatrux (BRA)
20h – Bar do Encontro: Mambo Five+ Bar Pastel de Angu com DJ Deco Lima

SEGUNDA-FEIRA
Casa Cultural Atrás do Pano
15h – Mesa-redonda: Dramaturgia latino-americana
18h – Pichanga, com Compañia La Criatura (CHI)
20h – Bar do Encontro: Sarau Carolina Maria de Jesus

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO