Peça em cartaz no CCBB conta a história de Santa Teresa de Ávila

por Mariana Peixoto 12/08/2016 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Deck/divulgação
(foto: Deck/divulgação )
A freira Teresa de Cepeda e Ahumada (1515-1582) foi uma mulher notável. Teresa d’Ávila (referência à cidade espanhola onde nasceu) era uma das fundadoras da Ordem dos Carmelitas Descalços. Ficou conhecida também como uma das reformadoras dessa ordem. Escritora e mística, deixou como legado uma série de livros. Quarenta anos depois de sua morte, foi canonizada pelo papa Gregório XV. Tornou-se Santa Teresa de Ávila – ou Santa Teresa de Jesus.

Os 500 anos de seu nascimento vêm sendo celebrados em palcos bem distantes da Espanha. Desde 2015, a atriz baiana Ana Cecília Costa interpreta Teresa d’Ávila no espetáculo A língua aos pedaços. A peça, de Juan Mayorga (considerada o melhor texto de literatura dramática de 2013 pelo Ministério da Cultura da Espanha), é baseada em O livro da vida (1565), autobiografia da religiosa e clássico espanhol. A montagem, que estreia hoje no CCBB, tem direção de Elias Andreato. Ana Cecília divide a cena com Joca Andreazza.

O fictício embate entre a freira e o inquisidor que a acusa de heresia tem como cenário a cozinha do Mosteiro São José, o primeiro convento das carmelitas descalças, fundado por Teresa em 1562. De um lado está a mulher tachada de profana por suas experiências místicas (entre visões e arrebatamentos) e pelo racha que promoveu na Igreja Católica. Do outro está um homem de mente aguda, representante do poder eclesial.

“A situação é ficcional, mas boa parte do que é falado vem do próprio livro. A partir do texto, conseguimos entender a trajetória daquela mulher e mergulhar na mística e no pensamento dela”, comenta Ana Cecília. A montagem foi iniciativa da atriz, que, depois de alguns trabalhos na TV (o mais recente foi a novela Joia rara, em 2013), desejava voltar ao teatro. Quem lhe apresentou o texto de Mayorga foi Washington Luiz Gonzales, que traduziu a peça do espanhol para o português.

“Conhecia apenas os poemas dela. Quando comecei a estudá-la, vi que seria uma grande personagem no teatro. Foi uma mulher com várias nuances: mística, poeta, escritora e a primeira doutora da Igreja Católica. Muito à frente de seu tempo, podemos até chamá-la de precursora do feminismo”, conclui Ana Cecília.

A LÍNGUA EM PEDAÇOS
Estreia sexta (12), às 20h. CCBB. Praça da Liberdade, 450, Funcionários, (31) 3431-9503. Em cartaz até 5 de setembro, de quinta a segunda-feira, às 20h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO