FIT-BH abre espaço para experimentações de grupos formados em escolas da capital mineira

Até domingo, quatro montagens poderão ser conferidas no Teatro Marília, com entrada franca

por Carolina Braga 26/05/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Catarina Paulino/divulgação
Montagem da Cia. Teatro Adulto, Horror vacui Hamlet está em cartaz hoje (foto: Catarina Paulino/divulgação)
Tem Nelson Rodrigues. Tem Shakespeare. Tem Dom Quixote. Nenhum deles de forma tradicional. A característica comum dos espetáculos selecionados para projetos especiais do Festival Internacional de Teatro Palco e Rua de BH (FIT-BH) é experimentar. As montagens foram idealizadas por grupos formados em escolas de artes cênicas da capital.

''Espetáculo de escola geralmente tem uma disposição de experiência artística, pois não há o compromisso de venda imediata. A relação é com o processo criativo'', destaca Bya Braga, artista cênica, professora e pesquisadora. Não é a primeira vez que o FIT abre espaço para a produção de atores em formação, mas agora é diferente: seis montagens ganharam espaço destacado na grade.

Horror Vacui Hamlet, da Cia. Teatro Adulto em parceria com a Escola de Teatro da PUC Minas, é a atração de hoje. A adaptação do texto de Shakespeare é dirigida por Cynthia Paulino e protagonizada por Luiz Arthur, veterano que divide a cena com 11 jovens atores. Amanhã, será a vez de Cama, mesa e banho, do grupo Batatas e Carambolas, fruto do curso de formação do Galpão Cine Horto. Da Escola Livre de Artes do Arena da Cultura estará em cartaz Dom Quixote, no domingo.

“As peças combinam com a ideia do que deve ser um festival: lugar para apresentar os processos criativos que não estão no mercado, propondo um diferencial”, afirma Bya Braga. Todas as peças do projeto têm entrada franca.

Outra aproximação do FIT com criações ainda em processo de desenvolvimento é Mínima cena, atração de sábado, no Teatro Marília. Serão quatro cenas curtas, de cinco a 25 minutos: Eles fazem parte da legião brasileira da má vontade?, do Arena da Cultura; Trainspotting, da PUC Minas; Ventre sem umbigo, do Centro de Formação Artística e Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado (Cefart); e Ensaio de uma infância medrosa, da Escola de Belas-Artes da UFMG.

''O retorno artístico do público vai me ajudar muito. Como é um trabalho ainda em construção, todo respaldo é importante'', comenta o ator e diretor Diego Poça, autor de Ensaio... . Com 15 minutos, a peça é inspirada em fragmentos de obra do escritor argentino Julio Cortazar.

• Programação

Hoje

» 15h e 20h – Horror vacui Hamlet. Com Cia. Teatro Adulto e Escola de Teatro da PUC Minas

Amanhã

» 20h – Cama, mesa e banho. Com Grupo Batatas e Carambolas, do curso de formação do Galpão Cine Horto

Sábado

» 19h – Mínima cena. Criação coletiva

Domingo

» 18h30 e 20h30 – Dom Quixote. Com Escola Livre de Artes do Arena da Cultura

• Teatro Marília. Avenida Alfredo Balena, 586, Centro, (31) 3277-4697. Entrada franca. Retirada de senhas na bilheteria
30 minutos antes da apresentação


LIVRO
Dentro da programação paralela do FIT-BH, será lançado hoje A arte e a cidade: lugares e expressões teatrais de Belo Horizonte. A publicação analisa técnicas, linguagens e formas de expressão marcantes na história das artes cênicas em Minas. O livro foi organizado por Françoise Jean, Glória Reis e Leônidas Oliveira, com base no Inventário do Teatro em Belo Horizonte. A noite de autógrafos começa às 19h, no Cine Santa Tereza (Praça Duque de Caxias, Santa Tereza).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TEATRO