Morre Carrie Fisher, a princesa Leia de Star Wars

Atriz de 60 anos foi vítima de um infarto. Princesa rebelde de Hollywood teve vida marcada por drogas, transtorno mental e abusos machistas nos sets de filmagem

por Cecília Emiliana 27/12/2016 16:01
LEON NEAL/AFP
Carrie Fisher durante a premiére do filme Star Wars o despertar da força (2015) (foto: LEON NEAL/AFP)
Faleceu nesta terça-feira, aos 60 anos, a atriz norte-americana Carrie Fisher - famosa por sua interpretação da princesa Leia, da série Star Wars. Fisher foi vítima de um ataque do coração a bordo de um voo que partia de Londres (Reino Unido) para Los Angeles (EUA) na última sexta-feira (23). Ela chegou a receber atendimento no avião, onde se sentiu mal cerca de 15 minutos antes do pouso, e foi levada para o hospital UCLA Medical Center, na capital do estado da Califórnia. Após internação e cuidados intensivos, acabou não resistindo ao infarto.

Um comunicado da família divulgado pela revista People diz que a artista morreu às 8h55 da manhã. "É com uma tristeza muito profunda que Billie Lourd confirma que sua amada mãe Carrie Fisher faleceu às 8h55 desta manhã. Ela era amada pelo mundo e sua falta será sentida profundamente. Toda nossa família agradece pelos pensamentos e orações", diz a nota.

Filha do cantor Eddie Fisher e da atriz Debbie Reynolds, Carrie Frances Fisher nasceu em Beverly Hills, na Califórnia, em 21 de outubro de 1956.

Century Fox/Divulgação
Carrie Fisher encarna princesa Leia, mocinha intergal tica da trilogia 'Star Wars', de George Lucas (1977) (foto: Century Fox/Divulgação)
A popularidade veio com o papel da mocinha intergalática Leia, irmã gêmea do protagonista Luke Skywalker e par romântico de Han Solo (vivido por Harrison Ford) da trilogia Star Wars, criada em 1977 por George Lucas, mas sua carreira tomaria rumos bem mais ecléticos agumas décadas depois. Nos anos 1980, aventurou-se como escritora e roteirista.

Entre suas obras de destaque está Postcards From the Edge, publicação semi-autobiográfica em que Carrie satiriza e noveliza sua própria história, abordando o uso de drogas nos anos 1970 e o relacionamento com a mãe. O livro se tornou um bestseller, e ganhou o prêmio Los Angeles Pen de melhor livro. Em 1990, a obra ganhou versão para o cinema com direção de Mike Nichols, trilha sonora de Carly Simons e Meryl Streep no elenco.
Columbia Pictures/Divulgação
Carry Fisher ao lado de Meg Ryan, em 'Harry & Sally: Feitos um para o Outro' (foto: Columbia Pictures/Divulgação)


Em 2008, a americana escreveu uma e estrelou uma peça solo. Intitulada Wishful Drinking, o trabalho ganhou uma indicação ao Grammy e virou documentário transmitido pela HBO em 2011.

Em 2015, voltou às telonas como versão madura da princesa Leia em Stars Wars: o despertar da força, continuação da célebre trilogia de Lucas.

Biografia explosiva
Em 2016, Fisher voltou à literatura e lançou sua obra mais polêmica: a autobiografia The Princess Diarist, em que revelou seu caso de três meses com o ator Harrison Ford enquanto ele ainda era casado, durante filmagens de Star Wars em 1976. "Foi tão intenso", disse Carrie sobre o romance em entrevista à imprensa americana. 

De acordo com a revista People, Ford foi avisado de que a colega de elenco contaria a história no livro e recebeu um rascunho da obra, mas não quis se pronunciar sobre o assunto. O ator, contudo, não parece chateado com a exposição - ou quem sabe já superou possíveis rancores guardados em decorrência do episódio. Na última sexta-feira (23), ao saber do estado de Saúde de veterana de Hollywood, soltou uma carinhosa declaração:

"Estou chocado e triste de ouvir sobre o que aconteceu com Carrie, minha querida amiga. Nossos pensamentos estão com Carrie, sua família e seus amigos”.

The princest diarist falou ainda abertamente sobre a dependência química da atriz - viciada em cocaína -, e o sofrimento que lhe causava o transtorno bipolar. A cocaína e outros remédios, segundo Carrie, eram muitas vezes usados para esconder os sintomas deste distúrbio psicológico.

Trajetória
Ron Galella/WireImage
Carrie Fisher e o então cônjuge, o músico Paul Simon, com quem foi casa durante poucos meses entre 1983 e 1984 (foto: Ron Galella/WireImage)
A carreira de Carrie Fisher inclui a participação em 46 filmes e 47 trabalhos na TV, entre séries e outros programas. Após a épica trilogia espacial, contudo, a atriz interpretou apenas dois papeis considerados relevantes: Dianne Wiest em Hannah e suas Irmãs (1986), de Woody Allen, e Marie, em Harry & Sally: Feitos um para o Outro, de Rob Reiner.

Enteada da estrela Elizabeth Taylor - com quem seu pai, Eddie Fisher foi casado entre 1959 e 1964 - Carrie contraiu um único matrimônio oficial durante toda sua vida, com o músico Paul Simon, entre 1983 e 1984. O casamento durou poucos meses.

A eterna princesa Leia deixa uma única filha: Billie Catherine, fruto do relacionamento com agente Bryan Lourd, nascida em 1992.

Veja fotos de Carrie Fisher em diversos momentos de sua carreira:





 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SÉRIES E TV