Emmy premia os melhores da tevê americana; veja os vencedores

por Diego Ponce de Leon 18/09/2016 19:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
KEVIN WINTER
O apresentador Jimmy Kimmel na 68ª edição do Emmy Awards (foto: KEVIN WINTER)

O humorista Jimmy Kimmel começou a 68ª edição do Emmy Awards, a principal premiação da tevê mundial, abusando da comédia ao brincar com os convidados, mas, em tom de seriedade, logo lembrou se tratar de uma edição marcada pela diversidade entre os concorrentes. Uma referência à última edição do Oscar, tão criticada pela falta de nomes negros nas categorias.O Emmy foi no sentido oposto. Pela primeira vez, por exemplo, todas as categorias de melhor ator contaram com artistas negros. Além da pluralidade étnica, ilustrada, entre outros, pela presença do ator egípcio Rami Malek, de Mr.Robot.

AFP / FREDERIC J BROWN
Louie Anderson ganha o primeiro Emmy da noite como melhor ator em série cômica (foto: AFP / FREDERIC J BROWN )

O primeiro prêmio da noite saiu para Louie Anderson, da série Baskets, como melhor ator em série cômica. Foi a primeira indicação do ator. Um belo começo para o comediante de 63 anos. A melhor atriz coadjuvante em série cômica foi Kate McKinnon de Saturday Night Live. Ela venceu Judith Light e Gaby Hoffman, da ótima Transparent, a sempre favorita Anna Chlumsky, que brilha na hilária Veep, e a veterana Allison Janney, figura querida da audiência norte-americana que atua em Mom. Certamente, uma das mais disputadas categorias desta edição.

AFP / Valerie MACON
A protagonista de Veep, Julia Louis-Dreyfuss, foi mais uma vez laureada como melhor atriz de série cômica (foto: AFP / Valerie MACON )

A protagonista de Veep, Julia Louis-Dreyfuss, foi mais uma vez laureada como melhor atriz de série cômica, confirmando as apostas. No discurso, ela alfinetou o candidato republicano Donald Trump e agradeceu ao pai, que faleceu poucos dias antes da cerimônia, no primeiro momento emocionante da noite. Julia também costuma ser lembrada pelo trabalho em Seinfield, mas se reinventou em Veep. Ela venceu na categoria nos últimos cinco anos, além de deter 21 indicações. Impressionante.

Outra a aproveitar o microfone para um discurso mais contudente foi Jill Solloway, que venceu pela direção em Transparent. "Quando colocamos um negro, um gay, uma transexual no centro da história, a gente muda o mundo. Precisamos acabar com a violência contra a comunidade trans", pediu, aplaudida pelo público presente.

AFP / Valerie MACON
Jill Solloway venceu pela direção em Transparent (foto: AFP / Valerie MACON )

Transparent, inclusive, também levou o Emmy de melhor ator em série cômica. O ator Jeffrey Tambor levou a estatueta pela segunda vez consecutiva e endossou o discurso da diretora Jill Solloway: "Deem uma chance aos atores e atrizes trans. Eu não ficaria triste se eu fosse o último ator cisgênero a interpretar uma personagem trans". A atriz e produtora trans Laverne Cox, que foi uma das apresentadoras convidadas, ratificou as palavras de Jeffrey e disse que não estaria ali se não fossem por essas oportunidades.

A comentada e elogiada minissérie American Crime Story: The People vs. O.J. Simpson confirmou as expectativas e levou, até o momento, nove estatuetas para casa, incluindo a de melhor minissérie. Uma curiosidade: David Schwimmer, o eterno Ross de Friends, concorria como ator coadjuvante pelo trabalho na série, mas perdeu para o colega de cena Sterling K. Brown.

A queridinha série Game of thrones liderou as indicações, pela quarta vez, concorrendo em 23 categorias. O primeiro prêmio veio com melhor roteiro. Mas viriam outras estatuetas, como a de direção. Mas a série perdeu em categorias nas quais era favorita, como melhor ator coadjuvante, em que concorria com dois atores. O troféu ficou com Ben Mendelsohn, de Bloodline.

No tapete vermelho, alguns nomes chamaram a atenção dos fãs de plantão, como a turma de Stranger things, o simpático elenco adolescente de Modern family, além de nomes consagrados das telas, como a favoritíssima Viola Davis, que pode ganhar, pelo segundo ano consecutivo, a estatueta de melhor atriz em série dramática por How to get away with murder.

Diferentemente do ano passado, quando o Brasil tinha Wagner Moura na disputa por um troféu por conta do trabalho em Narcos, este ano não houve brasileiros na corrida.

Confira os vencedores conforme os nomes são anunciados no Microsoft Theater, em Los Angeles:

// Melhor ator coadjuvante em série cômica
Louie Anderson, Baskets

// Roteiro - Série cômica
Master Of None – eps. Parents – Aziz Ansari e Alan Yang

// Melhor atriz Coadjuvante em Série Cômica
Kate McKinnon, Saturday Night Live

//Direção - Série cômica
Jill Soloway, Transparent

// Melhor atriz de série cômica
Julia Louis-Dreyfuss, Veep

// Melhor ator de série cômica
Jeffrey Tambor, Transparent

// Melhor reality show de competição
The voice

//Roteiro – Minissérie, Telefilme ou Especial
American Crime Story: The People vs. O.J. Simpson – D.V. DeVincentis

//Atriz Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme
Regina King, American Crime

// Direção – Minissérie, Telefilme ou Especial
Susanne Bier, The Night Manager

//Ator Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme
Sterling K. Brown, American Crime Story: The People vs. O.J. Simpson

//Atriz em Minissérie ou Telefilme
Sarah Paulso, American Crime Story: The People vs. O.J. Simpson

// Ator de Minissérie ou Telefilme
Courtney B. Vance, American Crime Story: The People vs. O.J. Simpson

//Telefilme
Sherlock

//Minissérie
American Crime Story: The People vs. O.J. Simpson

// Melhor roteiro em programa de variedades
Patton Oswalt

// Melhor série de variedades
Last week tonight, John Oliver

// Melhor direção em programa especial de variedades
Grease: Live

// Roteiro – Série Dramática
David Benioff e D.B. Weiss, Game of thrones

// Atriz Coadjuvante em Série Dramática
Maggie Smith, Downton Abbey

// Direção – Série Dramática
Miguel Sapochnik, Game Of Thrones

//Ator Coadjuvante em Série Dramática
Ben Mendelsohn, Bloodline

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SÉRIES E TV