Conheça outros transexuais e artistas famosos

por Laura Valente 11/09/2017 12:40

» Bruce Jenner

Reprodução de internet
(foto: Reprodução de internet)

Ex-atleta olímpico, ele surpreendeu o mundo ao revelar que, desde a infância, tem uma “alma feminina” e que está passando por um tratamento de mudança de sexo. Jenner hoje é conhecido como o patriarca da família Kardashian graças a um reality show.

»Roberta Close

Reprodução de internet
(foto: Reprodução de internet)

Atualmente com 52 anos, ela foi a primeira mulher transexual a conquistar a capa da edição brasileira da revista Playboy. Em março de 1990, ela apareceu novamente nas páginas da publicação, dessa vez após ter feito a cirurgia de redesignação sexual, realizada em 1989. Roberta se identifica intersexual, pois nasceu com características sanguíneas tanto femininas quanto masculinas, comprovadas em exames de DNA. Após muita luta, conseguiu, em 2005, trocar seu nome de registro civil pelo nome Roberta Gambine Moreira. Atualmente, ela vive em Zurique, na Suíça.

» Lea T.

Reprodução de internet
(foto: Reprodução de internet)

Filha do ídolo de futebol Toninho Cerezo, a modelo conhecida como Lea T. desenvolveu carreira de sucesso na Europa e desfilou para grifes como Givenchy e Benetton. Segundo entrevistas, ela começou a notar mudanças e perceber-se diferente aos 13 anos, e, em 2012, fez procedimentos de redesignação sexual na Tailândia. Depois da cirurgia, a top internacional declarou sentir o mesmo prazer durante a relação sexual: “É igualzinho”.

» Rogéria

Reprodução de internet
(foto: Reprodução de internet)

Nascida Astolfo e falecida na terça-feira, aos 74 anos, Rogéria ostentava o título de travesti da família brasileira, mas de fato preferia ser reconhecida como a artista plural que foi. Na carreira, e por amor a ela, enfrentou preconceitos e foi precursora em defender os direitos da comunidade trans. “Luto com as minhas amigas transexuais. Meu p... está aqui pendurado, mas eu defendo que cada um faça o que quiser com seu corpo”, disse em entrevista recente. E registrou: “Não tenho o que reclamar. As pessoas me chamam até de 'senhora', sendo que eu continuo sendo o Astolfo, e eu acho divertido e ao mesmo tempo respeitoso. Depois dos meus anos de carreira eu sou muito respeitada e principalmente amada, especialmente pelas mulheres”.


Bombando no show biz

Também presentes na cena artística, músicos que não se enquadram em categorias de gênero têm feito sucesso. Saiba quem são e o que
eles dizem a respeito da própria identidade:

» Pabllo Vittar


Conhecido por hits como Sua cara, (lançamento em parceria com Anitta e o trio de Djs Major Lazer), o maranhense Pabllo Vittar é reconhecido como drag queen, mas ele mesmo evita se encaixar em conceitos: “Sou gay, me relaciono com homens, e também sou drag. Mas o que é ser menino? Menina? Trans? Não gosto de me encaixar, meu negócio é transitar”.

» Liniker
Misturando barba, maquiagem e maxibrincos em figurino chamativo, Liniker também não se identifica em rótulos. “Eu tirei o gênero da minha vida. Eu me chamo de a Liniker, o Liniker, apenas Liniker. Eu não tenho uma fórmula”, disse o autor de canções como Zero (em parceria com a banda Os Caramelows).

» Johnny Hooker
Ovacionado por público e crítica já no primeiro álbum solo, Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, Maldito!, o músico, compositor, ator, roteirista e diretor desafia as normas de gênero ao afirmar que “não tem uma identidade, não é homem, nem mulher, mas uma entidade”.

» Jaloo


Inventivo nome do pop nacional, o cantor e produtor paraense costuma dizer ser uma pessoa não binária, que é quando a identidade de gênero de alguém não é nem homem nem mulher, pode ser uma combinação dos dois ou nenhum deles. Em letras como Ahdor!!, ele mistura ritmos como tecnobrega e synths oitentistas em hits que embalam 10 entre 10 baladas atuais.

VÍDEOS RECOMENDADOS