Como aliviar as dores constantes causadas pela endometriose?

Márcia Mendonça Carneiro, ginecologista do Biocor, explica que a endometriose constitui um dos principais agravos à saúde da mulher, causando dor pélvica e infertilidade e tem tratamento

07/08/2017 14:51
Biocor/Dvilgação
Márcia Mendonça Carneiro e Ivete de Ávila (foto: Biocor/Dvilgação)
A endometriose é uma doença benigna que se desenvolve quando o tecido de revestimento do útero (endométrio) cresce em outras regiões do organismo, como ovários, tubas uterinas, intestinos, bexiga e até mesmo pulmões. De acordo com Márcia Mendonça Carneiro, ginecologista do corpo clínico do Biocor Instituto, trata-se de uma doença crônica que exige cuidado contínuo em vista da melhora muitas vezes ser temporária, com retorno dos sintomas após interrupção do tratamento.

Ela explica que a endometriose constitui um dos principais agravos à saúde da mulher, causando dor pélvica e infertilidade. A doença atinge mulheres jovens, afetando aproximadamente 10% daquelas com idades entre 15 e 49 anos. “Embora seja uma doença benigna, compromete a qualidade de vida e pode levar a desgaste físico e mental das mulheres acometidas, especialmente porque são frequentes as falhas diagnósticas e o atraso entre o início dos sintomas até a confirmação da doença.”

Segundo a médica, acredita-se que múltiplas causas se combinem para produzir a doença, havendo interação de fatores mecânicos, genéticos, imunológicos, endócrinos e ambientais. “Infelizmente, o diagnóstico permanece um desafio para a medicina, pois os sintomas podem ser inespecíficos, o que leva ao atraso no diagnóstico entre cinco e 12 anos. Em 25% dos casos, a doença é silenciosa e não há qualquer sintoma. Na maioria das pacientes, porém, a endometriose apresenta sintomas que podem comprometer a qualidade de vida da mulher”, observa Márcia Carneiro, acrescentando que as queixas mais comuns nessas mulheres são dor pélvica e infertilidade.

Segundo Ivete de Ávila, coordenadora médica da equipe autônoma de ginecologia, a suspeita de endometriose surge durante a consulta médica, a partir da avaliação das queixas da paciente e do exame clínico-ginecológico. A especialista ressalta que o ginecologista deve valorizar os sintomas de cólica menstrual intensa, dores nas relações sexuais e todas as dores pélvicas e abdominais que ocorrem em torno da fase menstrual, como o desconforto para evacuação e distúrbios da micção.

Os exames de ultrassonografia e ressonância magnética colaboram muito para o diagnóstico de certos tipos de endometriose, como os cistos ovarianos e a forma profunda em intestino, vias urinárias e parede pélvica permitindo iniciar ações terapêuticas. “Ainda não temos um exame laboratorial, sanguíneo ou urinário capaz de diagnosticar a endometriose. A cirurgia laparoscópica confirma o diagnóstico quando se torna necessária uma intervenção cirúrgica para alívio das dores e para otimizar o tratamento da infertilidade.”
Embora nem toda mulher com endometriose seja infértil, a doença está presente em 20% a 50% das inférteis. Segundo Márcia Carneiro, não está cientificamente bem estabelecida a relação entre endometriose e infertilidade. “Felizmente, já estão disponíveis vários recursos tecnológicos de diagnóstico e tratamento para esses casais, desde terapias de baixa complexidade como possibilidade de congelamento de óvulos e programas de fertilização in vitro.”

Nos últimos anos, pesquisas têm apontado avanços promissores para o desenvolvimento de abordagens diagnósticas e terapêuticas. Segundo a médica,  a individualização do tratamento coordenado por equipe multidisciplinar é fundamental para o sucesso terapêutico.

O conhecimento médico atualizado e sistematizado é fundamental para assegurar tratamento adequado, com otimização dos recursos disponíveis no sistema de saúde público ou privado. Márcia Carneiro explica que, como  a doença pode atingir vários órgãos, é necessário que o tratamento envolva equipes multidisciplinares. 
“No Biocor Instituto, dispomos de todo o aparato de investigação e tratamento. O grupo de cirurgia multidisciplinar vem realizando procedimentos de alta complexidade por meio de cirurgia minimamente invasiva, videolaparoscopia, para tratamento de todas as formas da endometrioses”, afirma.


BIOCOR INSTITUTO
 
Alameda Oscar Niemeyer, 217 - Vila da Serra
Fone: (31) 3289 5000
 
Responsável Técnica: Dra. Erika Corrêa Vrandecic, CRM/MG 28.946 

VÍDEOS RECOMENDADOS