Benefícios dos anticoncepcionais vão muito além de evitar gravidez

Outros bons resultados incluem amenização da TPM, melhora da aparência da pele, redução de risco de câncer, entre outros

por Joana Gontijo 02/08/2017 13:02
Reprodução/Internet/Vix
(foto: Reprodução/Internet/Vix)

Desde a década de 1960, quando despontou no mercado, ela mudou muito. A variedade atual da pílula anticoncepcional perpassa diferentes opções para as mulheres, encaixando bem de acordo com a composição hormonal, posologia, dosagens e ocorrências colaterais. Muito mais evoluído, o medicamento serve principalmente para evitar a gravidez não planejada. Mas os benefícios vão além, e outros efeitos positivos da pílula na maioria das vezes não estão claros para a população feminina. Os resultados logo aparecem na saúde e na leitura estética das mulheres.

O foco principal da pílula é a contracepção, reforça o ginecologista e especialista na área Agnaldo Lopes da Silva Filho, acrescentando que, se feito corretamente, esse método tem eficácia superior a 99%. Porém, as derivações desejáveis do uso do anticoncepcional são muitas, faz questão de pontuar o médico: “Outras boas consequências comprovadamente associadas ao uso desses fármacos são a redução do volume, intensidade e dor da menstruação, amenização do transtorno pré-menstrual (TPM), diminuição do risco de câncer de ovário e endométrio, combate ao ovário policístico, redução das chances de desenvolvimento de anemia, além da queda das taxas de gravidez tubária”. Algumas combinações constituem, ainda, alternativas para o tratamento de sangramento uterino anormal (SUA), que atinge cerca de um terço das mulheres em todo o mundo.

Unindo tudo isso, as mulheres são agraciadas com uma melhora exponencial da qualidade de vida e a sensação de bem estar. Agnaldo Filho reafirma os ganhos também pela questão da aparência. “Quando falamos em qualidade de vida, sabemos que é importante manter a autoestima. Nesse sentido, os medicamentos possuem hormônios semelhantes aos dos ovários que podem ajudar na luta contra a celulite, queda de cabelos, acnes e oleosidade da pele. A derme também é beneficiada pelo aumento da produção de colágeno, ficando mais firme e saudável”, revela.

E é preciso estar atento. A seleção pelo medicamento mais indicado em cada caso deve ser orientada. A utilização indiscriminada e a troca constante dos remédios sem supervisão médica são ações arriscadas, lembra o ginecologista. “Quando a mulher procura um profissional especialista, ela passa por uma consulta de avaliação de características pessoais, histórico familiar, para, somente assim, se chegar a uma conclusão sobre o método contraceptivo mais indicado”, finaliza.

VÍDEOS RECOMENDADOS