Conheça o pulsation, método de autoexploração e transformação pessoal

Conciliada com a meditação, técnica promove mais saúde e potencializa a capacidade amorosa e a vitalidade

por Lilian Monteiro 16/05/2017 13:58
Arquivo Pessoal
Terapia funciona por meio da expressividade do corpo por emoções, movimentos e respiração (foto: Arquivo Pessoal)

Com o ritmo frenético do dia a dia, muitas pessoas têm atropelado a vida sem saber vivê-la. Entram no piloto automático e sofrem. Seja pelo estresse, seja por não pensar e lidar com suas questões mais íntimas. O método pulsation, criado pela terapeuta americana Aneesha Dillon, pode ser uma das saídas para quem precisa reaprender a caminhar de forma mais leve. O médico, psiquiatra e psicoterapeuta José Eugênio Noujeimi, um de seus seguidores, explica que a terapia consiste na autoexploração e transformação pessoal, conciliado com a meditação, promovendo mais saúde e maior consciência, potencializando a capacidade amorosa e a vitalidade.

José Eugênio conta que o pulsation funciona por meio da expressividade do corpo por emoções, movimentos e respiração, desobstruindo e desbloqueando as tensões crônicas, condicionamentos e repressões inconscientes. “Todo o nosso processo de sofrimento, desde o início de nossas vidas, vindo de abusos físicos, sexuais, violência, negação das emoções, manipulações, falta de amor, negligências, isolamentos, abandonos, falta de cuidados, tudo isso impacta no nosso corpo, gerando tensões musculares e sofrimento. Ocasionando no futuro distúrbios na saúde e nas relações consigo mesmo e com os outros.” Ele explica que o processo de bloqueio muscular das emoções cria um corte e repressão no fluxo natural da energia e expressividade. O que causa a sensação de anestesiamento, tristeza e baixa criatividade. “Esse corte energético, psíquico e emocional nos faz ficar divididos contra nós mesmos. O pulsation visa ajudar o desbloqueio dessas tensões corporais, chamadas de armaduras musculares, que são as tensões armazenadas, energias bloqueadas e não expressas e emoções reprimidas. Os desbloqueios ocorrem nos sete segmentos do corpo, que na teoria oriental correspondem aos sete chacras, que são a pelve, o abdômen, o diafragma, o peito (coração), pescoço, boca e olhos”, diz.

De acordo com o médico, no pulsation são utilizadas as técnicas de respiração, exercícios neorreichianos de aterramento e abertura dos segmentos corporais, movimentos e expressões corporais, sons expressivos e meditação. “O que é inédito no pulsation é a integração de teorias e práticas ocidentais de Wilhem Reich com a linhagem oriental da meditação.” Os benefícios são inúmeros, segundo ele. “Uma vez removidos ou diminuídos os bloqueios, é gerada uma maior consciência de si mesmo e do que nos rodeia. A vitalidade e o entusiasmo de viver ficam mais presentes. A autoestima e a autoconfiança se restabelecem. A nossa capacidade amorosa se faz presente. Por meio da respiração, o nível de oxigênio é aumentado em todas as células e órgãos, melhorando a oxigenação corporal e ajudando na eliminação das toxinas. Tensões, energias e emoções (raiva, ódio, dor, medos) que estão voltadas contra nós mesmos, nos processos de depressão, pânico, doenças psicossomáticas e doenças autoimunes, são liberadas, restabelecendo uma melhora nesses quadros de doenças.” José Eugênio enfatiza que, além de ser um processo terapêutico e de autoconhecimento, o pulsation é também um processo de produção de saúde. “É comum nos compartilhamentos das vivências do método muitas pessoas dizerem que não se lembram de ter se sentido tão vivas. O pulsation restaura a capacidade natural de autocura”, afirma.

COMPAIXÃO

José Eugênio afirma que o pulsation é indicado para pessoas com problemas emocionais de depressão, pânico, distúrbios sexuais, doenças psicossomáticas e autoimunes. E para aquelas que querem aprofundar o seu desenvolvimento pessoal e ter uma compreensão melhor de si mesmas. Segundo ele, profissionais da área de saúde e educação, terapeutas corporais e pessoas interessadas em ioga têm a chance de agregar conhecimento na sua pratica. É indicado para pessoas entre 20 e 70 anos.

Arquivo Pessoal
(foto: Arquivo Pessoal)

O psiquiatra e psicoterapeuta lembra que o pulsation ajuda “a desmistificar a dicotomia entre o corpo e a alma, pois somos integrados. O modo de vida atual que cria a competição, o isolamento, o distanciamento de si mesmo e nos dá a ideia de que somos separados da natureza tem nos feito dissociados e doentes. Cada vez mais desamparados, amedrontados, depositando uma responsabilidade em que algo, ou alguém de fora, vai resolver. O pulsation vai nos ajudar a restabelecer nossa própria potência e restaurar nosso elo perdido, que é recuperar a autoestima e a consciência de si e do mundo”.

Aos interessados, José Eugêncio alerta que é “sempre importante procurar um profissional do qual se tenha referência”. Ele diz que alguns profissionais já atendem com o método pulsation em Belo Horizonte. Para saber mais, enviem e-mail para zennoujeimi@yahoo.com.br. “Sobre um terapeuta, o mais importante, além da técnica, é que ele tenha a capacidade de ouvir, ter aceitação e qualidade de presença para qualquer coisa que surja na manifestação do cliente. É um tipo de presença viva que na realidade faz a cura, com o coração aberto e com compaixão”, ressalta.

Palavra de especialista
“Seja livre, sadio e insurgente”
Aneesha Dillom, terapeuta americana criadora do método pulsation


Arquivo Pessoal
(foto: Arquivo Pessoal)
“Sempre senti que meu trabalho é um tipo de convocação, algo que eu tenha nascido para fazer. Hámuito tempo, enquanto dirigia uma sessão no Instituto Esalen, na Califórnia, senti-me inundada pela sensação de que estava fazendo, naquela hora, exatamente o que tinha de fazer, por ser a obra da minha vida. Foi uma sensação extasiante, profundamente satisfatória, enriquecedora e completa. Esse sentimento permanece o mesmo e tem estado comigo durante a execução dos trabalhos com pulsation. Espero mostrar o que aprendi sobre a energia do ser humano - a compreensão prática que ganhei ao trabalhar com as teorias de Reich sobre o corpo e as emoções. Pela participação ativa por quase 30 anos na forma com o Osho visualiza a terapia e a meditação, integralizei a dimensão do Tantra e tenho sido uma terapeuta neorreichiana, utilizando princípios básicos descobertos por Wilhelm Reich, cientista e psicoterapeuta pioneiro, que viveu na primeira metade do século 20. Na prática, isso quer dizer que utilizo exercícios de respiração e movimentos para criar uma carga intensa de energia no corpo de um cliente, o que, por sua vez, cria uma descarga, igualmente intensa, de sentimentos e emoções. Não sou uma observadora neutra. Envolvo-me intimamente com cada cliente, experienciando a dor que surge quando cada um entra em contato com as feridas emocionais e os sentimentos confinados e há muito esquecidos. Vivencio, também, o alívio, a leveza e a felicidade que surgem quando tais elementos são liberados. Não sou uma psicanalista tradicional, que se assenta com segurança em uma cadeira, atrás do divã. Fico presente, próxima ao colchonete, guiando o cliente por um campo minado por tensões e memórias acumuladas, buscando aquelas que estejam prontas para explodir, provocando-as até que a explosão aconteça.E o que surge nessa explosão é uma indicação de como somos criados, de como somos instruídos a viver nossas vidas. Meu trabalho é eliminar problemas crônicos causados pela má-criação, e oferecer às pessoas a oportunidade de viver a experiência de serem indivíduos livres, sadios e insurgentes.”

DEPOIMENTOS
VEJA DECLARAÇÕES DE QUEM JÁ PASSOU PELO PULSATION:

JORGE ELIAS
ENGENHEIRO

“Hoje começo a sentir credibilidade no meu EU, não preciso dizer que meu corpo está no espaço, nem que está no tempo, eu habito esse espaço e tempo. Eu não estou diante do meu corpo e nem estou no meu corpo, EU SOU O MEU CORPO, consequentemente eu sou essência pura …, sou um animal vivo e expressivo, que tenho capacidades e agora consciência energética, posso e quero me reestruturar, ou seja, quero fazer diferente”

CLÁUDIA
PSICÓLOGA

“Experimentei duas coisas que acho importantes para o crescimento pessoal: saber se colocar no lugar dos outros e recuperar o prazer das pequenas coisas”

ANA LÚCIA
ASSISTENTE SOCIAL

“Estou me sentindo muito bem, não me lembro de quando me senti assim na vida, hummm... acho que nunca me senti assim. Foi maravilhoso, luminoso demais…. adorei. Estou me sentindo CHEIA… mas cheia de luz....”

CELINA ASSISTENTE
SOCIAL

“Como foi bom me conhecer e ver quais os caminhos para eu alcançar o crescimento interno… Como foi bom descobrir que às vezes é preciso sofrer num primeiro momento para conseguir a felicidade. Hoje sou uma nova pessoa, que tentará aceitar ser cuidada. E estar aberta para receber do outro, mesmo que pouco, o que ele pode me dar.”

SERVIÇO

Curso: A vivência em tantra pulsation será ministrada de 1º a 4 de junho e o treinamento básico empulsation (parte 1) será de 5/6 a 13/6
Local: Pousada Sítio Sertãozinho
Inscrições e informações: (31) 99935-3891
E-mail: ennoujeimi@yahoo.com.br
Site: www.oshopulsation.com

VÍDEOS RECOMENDADOS