Veja dicas para deixar os fios saudáveis no verão

Muita gente se refresca do calor na praia, em piscinas e cachoeiras. Além da pele, é preciso cuidado com os cabelos e o couro cabeludo, que também sofrem com os raios solares

por Gustavo Perucci 09/12/2016 10:00

Ytimg.com
(foto: Ytimg.com)
Muita gente espera com ansiedade por esse momento. A proximidade do fim do ano anuncia que está chegando a hora de deixar as preocupações de lado e se divertir. Como o característico calor do verão não perdoa ninguém, praias, cachoeiras e piscinas ficam ainda mais charmosas. Além do perceptível aumento da temperatura, a incidência dos raios do Sol também se intensifica. Para se cuidar, a receita não é novidade para ninguém. Usar protetor solar, evitar horários de pico e se hidratar evitam muitos problemas. Mas outra parte do corpo sofre nesse período e precisa de atenção: os cabelos.

Mais que o frizz que incomoda muita gente nesta época do ano, o ressecamento dos fios é o principal problema de quem passa uma temporada no litoral ou frequentando clubes e piscinas. Com mais de 20 anos de experiência na área, o cabeleireiro Ramilton Inácio Ferreira, do LM Studio, atesta: “No período pós-verão, os clientes costumam chegar com os cabelos mais maltratados. Com certeza!”

Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS
"Praia e piscina acabam ressecando muito os fios. Vai molhando o cabelo e secando no sol. Vai, digamos, 'cozinhando o cabelo'. E ainda há outros produtos que a pessoa usa na pele como o protetor solar ou descolorante para dourar os pelos com água oxigenada ou amônia e, sem querer, leva a mão suja no cabelo" - Ramilton Inácio Ferreira, cabeleireiro (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS)

Entre os vilões dos fios saudáveis nesta época do ano estão os raios ultravioleta emitidos pelo Sol, o sal da água do mar e o cloro, ainda muito usado na manutenção de piscinas. Cabelos mais claros e finos – ou que já tenham passado por diversas e frequentes intervenções estéticas, como pintura, descoloração e métodos de alisamento – são mais suscetíveis a esses fatores. Mesmo assim, quem mantém a cabeleira do jeito que veio ao mundo não pode se descuidar.

“Praia, piscina, essas atividades de verão, acabam ressecando muito os fios. Vai molhando o cabelo e secando no sol. Vai, digamos, 'cozinhando o cabelo'. E ainda há outros produtos que a pessoa usa na pele, como protetor solar ou descolorante para dourar os pelos com água oxigenada ou amônia e, sem querer, leva a mão suja ao cabelo. Isso atrapalha ainda mais a saúde desse cabelo”, diz Ramilton.

HIDRATAÇÃO Médica dermatologista da Clínica Regis, especializada em dermatologia em restauração capilar, Isabela Gomide explica que o dano mais importante causado pelo Sol é na hidratação do cabelo, assim como o sal da água do mar. Os dois fatores em conjunto acentuam ainda mais a evaporação da água do fio. O cloro, além de também influenciar nessa perda de líquido dos pelos, remove a oleosidade natural que nosso corpo produz para protegê-los. Além disso, esse produto químico usado em piscinas deixa cabelos mais claros com um desagradável tom esverdeado.

“O Sol é também um dos agentes oxidantes mais conhecidos. Esse efeito pró-oxidativo do Sol é muito bem descrito para a pele, associado ao envelhecimento. Hoje, sabemos que esse processo ocorre também com o fio, acelerando o processo de envelhecimento. Esse mesmo efeito causa microinflamações no couro cabeludo, levando a um quadro de eflúvio telógeno agudo, que é aquela queda de cabelo abrupta, que costuma ocorrer em pacientes depois de uma cirurgia ou com a mulher depois de ter o filho. E existe descrição desse tipo de queda em pessoas com exposição solar muito intensa como única causa, mesmo não sendo tão frequente”, alerta Isabela.

Há ótimos produtos no mercado
Pequenas atitudes podem ajudar a manter a saúde do cabelo durante a estação mais quente do ano, quando várias empresas lançam produtos específicos para o período. E a regra ao se expor muito ao Sol é a mesma para a pele: protetor solar. “Os protetores solares para cabelo funcionam muito bem. Hoje em dia, as marcas estão de olho nesse mercado. E a cada ano vemos mais produtos inovadores. Normalmente, são cremes sem enxágue para deixar no cabelo, pois eles protegem os fios como se fosse uma película”, aponta o cabeleireiro Ramilton Inácio.

Na praia, a cada banho de mar o indicado é dar um banho de água doce no cabelo, para remover o máximo de sal possível e reaplicar o produto de proteção. Além desse cuidado no local, ao chegar em casa ou no hotel é importante lavar novamente o cabelo com xampu e condicionadores específicos para estsa época do ano. Ramilton indica, ainda, que hidratações regulares durante o verão ajudam a manter os fios saudáveis.

“A maioria das marcas desenvolve produtos de cabelo para o verão. Xampus, condicionador, linhas para utilizar quando se está na praia com protetor solar. A característica especial desses produtos é a ação hidratante. Esses xampus, por exemplo, não têm um surfactante tão intenso, justamente para não danificar esse cabelo já muito exposto a fatores que o prejudicam. E são produtos indicados para mulheres e homens, com cabelos lisos, crespos, claros ou escuros. Não é comum, mesmo em marcas conceituadas, produtos específicos para cada tipo de cabelo. É um cuidado necessário para todos”, explica Isabela Gomide.

CLORO E LEITE Nas piscinas, o procedimento é o mesmo: saiu da água, lave os cabelos com água doce e reaplique o protetor solar para os fios. Mesmo que existam alternativas, o cloro ainda é muito usado. “Dê preferência para locais onde usem ozônio no tratamento da água”, indica Ramilton Ferreira. Alguns produtos para cabelo durante o verão contêm substâncias que o protegem contra o cloro, principalmente na questão do cheiro. Chegando em casa, outro banho é recomendado. “Hoje em dia, os clubes têm optado por tratamentos sem cloro nas piscinas, como o ozônio. Mas ainda não sabemos, não temos estudos, que indiquem os efeitos desses novos produtos sobre o cabelo”, ressalta, porém, Isabela. “Mas os produtos para o verão, geralmente, contam com substâncias que ajudam na remoção desses produtos de piscina”, completa. Quem tem os fios loiros ou mais claros pode sofrer um pouco mais com o cloro. Afinal, ninguém quer a surpresa de acordar com o cabelo verde. Toucas de silicone podem ser uma boa ajuda para evitar o contato com a água da piscina.

“Hoje em dia, o cloro está cada vez mais forte. Por isso é preciso que se tenha cuidado. Tenho observado que é cada vez mais difícil você tirar o tom esverdeado que ele dá ao cabelo. Um dia desses, uma cliente chegou querendo tirar esse tom esverdeado. Falei para ela que poderíamos descolorir ainda mais, mas que o cabelo ficaria muito danificado, sem resolver o problema. Sugeri que ela passasse leite, que, para mim, é a melhor coisa para tirar o cloro. Ela comprou o leite, deixou o cabelo um tempo imerso e conseguimos diminuir bastante o tom esverdeado”, conta Ramilton. Outra dica importante é evitar prender o cabelo com muita força após o banho de mar ou mergulho na piscina. O fio molhado já é mais frágil. Com a tração intensa, quebra-se facilmente.

Calvos, tenham a atenção redobrada
O cabelo é uma barreira natural contra a incidência dos raios ultravioleta. Quem perdeu boa parte dos fios deve, assim, ter cuidado redobrado, passando com frequência o protetor solar no couro cabeludo. A maioria dos homens calvos sabe disso: vai sair ao ar livre, ou usa o filtro solar ou se protege com chapéu. “Como é mais comum nos homens, eles já são mais conscientes do risco do câncer de pele. Mas as mulheres também devem ficar atentas. A calvície feminina é diferente da masculina, já que elas não costumam apresentar uma área totalmente calva. Mas o afinamento dos fios, aquele que quando se olha permite ver o couro cabeludo, que percebo um aumento dos casos em mulheres jovens, exige proteção”, afirma a dermatologista Isabela Gomide.

VÍDEOS RECOMENDADOS