Fé como remédio: ir à igreja diminui índice de mortalidade, diz pesquisa

Os dados obtidos no estudo atestam que ir à igreja ao menos uma vez por semana pode reduzir a mortalidade de 20% a 30% em um período de até 15 anos

por Correio Braziliense 14/11/2016 08:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gent Shkullaku
"Para alguns, ir a igreja é visto como algo ultrapassado, chato. Porém, a religião, mais do que uma prática individual, é coletiva e solidária e traz grandes resultados a saúde", garante o professor (foto: Gent Shkullaku)


Uma pesquisa realizada na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, chegou à conclusão de que a religião é um remédio capaz de aumentar, consideravelmente, a saúde física e mental de seus adeptos. O resultado foi divulgado no início deste mês pelo professor de epidemiologia Tyler J. VanderWeele e publicado pelo jornal Usa Today.

Os dados obtidos no estudo atestam que ir à igreja ao menos uma vez por semana pode reduzir a mortalidade de 20% a 30% em um período de até 15 anos. A pesquisa levou em conta dados colhidos em duas décadas de pesquisa, comparando a expectativa de vida de adultos que visitavam regularmente aos templos com outros que não tinham religião. "Posso dizer com tranquilidade, que temos um resultado concreto", garantiu o professor.

O estudo revela ainda que pessoas religiosas tendem a ser mais otimistas e com menores taxas de depressão. "Gente com fé costuma ter um grande propósito de vida e serem mais controladas", disse VanderWeele ao justificar o porquê de o números de suicídios de pessoas que trabalham a espiritualidade dessa forma serem significativamente menores.

"Para alguns, ir a igreja é visto como algo ultrapassado, chato.  Porém, a religião, mais do que uma prática individual, é coletiva e solidária e traz grandes resultados a saúde", garante o professor.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA