Acessórios corretos podem melhorar o rendimento nos treinos e evitar sobrecarga no corpo

por Revista do CB 03/11/2016 13:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Alexandre Lins sentiu diferença quando passou a usar um tênis mais adaptado aos altos e baixos do CrossFit (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Na hora da prática de alguma atividade física, é essencial tirar do armário roupas e tênis adequados para cada tipo de esporte. Parece besteira, mas para o estudante Alexandre Lins, 26 anos, o uso de acessórios corretos está diretamente ligado a um desempenho satisfatório. O rapaz é dono de uma academia de CrossFit e pratica a modalidade com frequência. Para ele, a escolha de um bom par de tênis extrapola a questão da moda e do estilo; está, na verdade, ligada à saúde.

Quando começou a atividade, em 2012, Alexandre precisou escolher acessórios mais específicos, como é o caso de luvas, cintos para agachamento e do tênis, que passou de um simples tênis de esporte para um calçado próprio para correr, saltar e carregar peso. Este recebe o nome de tênis de levantamento de peso olímpico (LPO) ou tênis para CrossFit. “Percebo muita diferença, principalmente em relação à estabilidade do meu corpo. Nesse tipo de atividade, não é uma obrigação fazer o uso de determinados acessórios, mas eu senti necessidade de mudanças para melhorar o meu desempenho”, afirma.

Para o profissional de educação física Marcus Vinícius Batista, roupas e tênis são duas coisas que devem ser levadas em consideração antes da prática de atividades. Segundo ele, os tênis interferem na pisada de cada um, enquanto as roupas erradas podem causar incômodos e até assaduras. “Se a pessoa não souber escolher um calçado correto, ela pode ter lesões. Não digo lesões que aparecem na hora, mas aquelas que vêm ao longo do tempo em razão da utilização errada dos tênis.” Marcus explica que o tênis adequado para cada atividade ou tipo de pisada pode evitar lesões na coluna e nos joelhos, por exemplo.

Os tipos de pisada mais comuns são a pisada supinada — têm esse tipo de pisada as pessoas que tocam o solo com o lado externo do calcanhar; pisada pronada — pessoas que tocam o solo com a parte interna do calcanhar, concentrando o impulso na área dos dedões; e a pisada neutra — impulso concentrado nos dedinhos, apoiando a parte externa do calcanhar com maior intensidade. Quando o estudante Bruno Silveira, 23, comprou um par de tênis para a prática de exercícios na academia, ele não recebeu nenhum tipo de indicação de qual seria o seu tipo de pisada ou o calçado adequado para o seu pé. Bruno acredita que tem pisada supinada, pois seus calçados estão sempre com um desnível para um dos lados. Para o estudante, as orientações apropriadas poderiam ter evitado as dores, sentidas de vez em quando, durante os exercícios.

Bruno malhou por mais de seis anos e, na época, sentia fortes dores no calcanhar. “Não associava as dores ao uso incorreto do tênis, mas hoje vejo que é um ponto importante, que prejudicou o meu desempenho”, acredita. Apesar de um tênis que não atendia às necessidades de sua pisada, o jovem não abria mão de bermudas e camisetas com tecido dryfit. Segundo ele, não perder tempo arrumando roupas que o incomodavam ajudava bastante na hora da malhação.

A fisioterapeuta Juliana Miranda explica que a diferença de um tênis comum para um de pisada específica está na altura: calçados para pisada supinada ou pronada tendem a ser mais altos em um dos lados, deixando a pisada mais neutra. Para a fisioterapeuta, o uso adequado do tênis na hora das atividades contribui para minimizar o impacto nas articulações. “É importante ressaltar que isso tudo é questionável, uma vez que, quando alguém tenta corrigir alguma alteração mecânica na pisada, o processo pode ser mais doloroso. O que eu recomendo aos meus pacientes é que andem na loja e vejam se não existe nenhum incômodo causado pelo calçado de pisada específica.” Juliana acredita que, em alguns casos, o recomendável é corrigir o problema com palmilhas e com o uso de um tênis de pisada neutra, o mais comum.

Quem viu nas palmilhas uma forma de evitar possíveis desconfortos foi a estudante Luiza Saboya, 23. A jovem começou a praticar handebol em 2005 e, desde então, teve que se adaptar ao tênis da modalidade. A atividade pede um tênis de sola reta, larga e que suporte impacto. Luiza conta que, com a ajuda de uma fisioterapeuta, escolheu a palmilha adequada para o seu tipo de pisada, pronada. “Como estou há muito tempo no handebol, acharia difícil praticar o esporte sem um bom tênis. Isso prejudicaria não só a minha performance, como também aumentaria o risco de novas lesões”, garante. Quanto ao tipo de roupa usada para a prática de esportes, a moça não vê diferença nos materiais e acredita que o essencial é estar livre e confortável.

Em corridas ou atividades de alto impacto, é essencial o uso de roupas aderentes e utensílios adequados, como é o caso de calçados específicos para cada tipo de pisada, luvas, cintos e até mesmo as bermudas térmicas. Esses podem ajudar no desempenho e evitar a sobrecarga no corpo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA