SUS incorpora medicamento para tratar fibrose cística

A fibrose cística é uma doença genética, crônica, que afeta principalmente os pulmões, o pâncreas, o sistema digestivo e atinge cerca de 70 mil pessoas em todo mundo

por Agência Brasil 27/10/2016 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Ian Pettigrew / Salty Girls
Ensaio fotográfico mostra a força das mulheres com fibrose cística (foto: Ian Pettigrew / Salty Girls)
Portaria do Ministério da Saúde, publicada nesta quinta-feira (27/10) no Diário Oficial da União, torna pública a decisão de incorporar a tobramicina inalatória para o tratamento de infecção crônica das vias aéreas em pacientes com fibrose cística.

De acordo com o texto, o relatório de recomendação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) sobre o medicamento será disponibilizado no endereço eletrônico http://conitec.gov.br/. A portaria entra em vigor hoje.


A doença

De acordo com a Sociedade Brasileira de Assistência à Mucoviscidose, a fibrose cística é uma doença genética, crônica, que afeta principalmente os pulmões, o pâncreas e o sistema digestivo. Atinge cerca de 70 mil pessoas em todo mundo e é a doença genética grave mais comum da infância.


Um gene defeituoso e a proteína produzida por ele fazem com que o corpo produza muco de 30 a 60 vezes mais espesso que o usual. Esse muco espesso leva ao acúmulo de bactéria e germes nas vias respiratórias, podendo causar inchaço, inflamações e infecções como pneumonia e bronquite, trazendo danos aos pulmões.



Os sintomas da fibrose cística variam de pessoa para pessoa, mas os mais comuns são:

- pele de sabor muito salgada;

- tosse persistente, muitas vezes com catarro;

- infecções pulmonares frequentes, como pneumonia e bronquite;

- chiados no peito ou falta de fôlego;

- baixo crescimento ou ganho de peso, apesar de bom apetite;

- fezes volumosas e gordurosas e dificuldade no movimento intestinal (poucas idas ao banheiro);

- surgimento de pólipos nasais.



Ainda segundo a entidade, antigamente, crianças afetadas pela fibrose cística mal chegavam à idade de completar a escola primária. Atualmente, o diagnóstico precoce e o tratamento correto aumentam a expectativa e a qualidade de vida de crianças e adultos acometidos pela doença.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA