No Brasil, Escola de Princesas; no Chile curso de 'desprincesamento'

por Agência Estado 14/10/2016 14:16
Reprodução Facebook
Curso pretende dar ferramentas para que as garotas cresçam livres de preconceitos "e com a convicção de que são capazes de mudar o mundo, e que não precisam de um homem ao lado para isso" (foto: Reprodução Facebook)
A Escola de Princesas chamou atenção em todo o Brasil. O contraponto está em Iquique, no norte Chile, onde o Escritório de Proteção de Direitos da Infância criou uma oficina de "desprincesamento". O objetivo do curso é empoderar as meninas e o foco são as que tem entre 9 e 15 anos.

A notícia do curso no Chile veio à tona no Brasil depois que a Escola de Princesas, com origem em Minas Gerais, abriu uma sede em São Paulo.

Entenda a história:
Escola de Princesas chega a BH já causando polêmica nas redes sociais
Escola de Princesas estimula debate sobre questão de gênero e o lugar da mulher na sociedade
Internautas do Portal Uai dizem não à Escola de Princesas e especialistas também criticam
Fundada há apenas seis meses, Escola de Princesas tem alunas na fila de espera


O coordenador do Escritório, Yury Bustamante, explica que eles querem dar ferramentas para que as garotas cresçam livres de preconceitos "e com a convicção de que são capazes de mudar o mundo, e que não precisam de um homem ao lado para isso".

Entre as atividades são propostos debates, aulas de defesa pessoal, atividades manuais e aulas de canto. Outro objetivo da oficina é fazer com que as meninas reflitam sobre o que é ser mulher e acabar com o estereotipo criado pelos filmes de princesas.

As 20 vagas disponíveis na primeira turma, que foi aberta em março deste ano, foram preenchidas rapidamente e as aulas tiveram até lista de espera e pedidos para que a oficina aconteça mais vezes.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA