Veja quais são os mitos e verdades sobre glaucoma

por Estado de Minas 13/10/2016 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Alexandre / EM / D.A Press
(foto: Alexandre / EM / D.A Press)
Uma das maiores causas de cegueira irreversível no mundo, o glaucoma é uma doença assintomática e, muitas vezes, apenas em estágios mais avançados o paciente apresenta sintomatologia. Segundo o professor titular de oftalmologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Remo Susanna Jr., entre os fatores mais comuns que favorecem o desenvolvimento do glaucoma estão a hereditariedade e o aumento da pressão intraocular. O acompanhamento periódico com o oftalmologista é essencial, pois somente ele será capaz de diagnosticar e indicar o melhor tratamento para controlar o glaucoma, impedindo assim a sua evolução. Remo elencou alguns mitos e verdades sobre o glaucoma. Confira:

» O paciente percebe os sintomas
Mito. Na maioria dos casos, o glaucoma de ângulo aberto, a forma mais comum de glaucoma, desenvolve-se lentamente no decorrer de anos, sem ocasionar nenhum sintoma.

» Crianças podem ter glaucoma
Verdade. As crianças podem ter o chamado glaucoma congênito ou glaucoma infantil ou de desenvolvimento. Ambos são raros e podem se instalar após o nascimento ou até mesmo intraútero. As manifestações clínicas aparecem geralmente no decorrer do primeiro ano de vida e se caracterizam pelo globo ocular aumentado, alterações na transparência da córnea, que fica branco-azulada, lacrimejamento e fotofobia. Não necessariamente estão presentes todos esses sinais.

» Antecedente familiar é um dos fatores para o desenvolvimento da doença
Verdade. Ninguém sabe ao certo o que causa o glaucoma, mas os maiores fatores de risco são: histórico familiar, pressão do olho elevada, idade avançada (pessoas com mais de 60 anos), alto grau de miopia, tratamento contínuo com esteroides e descendência africana.

» O glaucoma pode deixar a pessoa cega
Verdade. A doença provoca lesões no nervo óptico e, consequentemente, leva à perda gradativa da visão, uma vez que esse nervo é responsável pela comunicação entre o olho e o cérebro. É a causa mais frequente de cegueira irreversível no mundo.


» É possível prevenir o glaucoma
Mito. Não há como prevenir o glaucoma, porém, pode-se evitar a perda da visão com diagnóstico precoce e tratamento adequado com uso de colírios. Um exame completo inclui a medição da pressão intraocular e avaliação tanto do ângulo do olho (sistema e drenagem do olho) quanto do nervo óptico. Além disso, outros testes, como o de campo visual e  utilização de aparelhos digitais e imagem para verificação da presença e extensão da lesão glaucomatosa, podem ser necessários.

» Quando se opera o glaucoma o problema da pressão está resolvido
Mito. Na maioria das vezes, ocorre o equilíbrio da pressão em um nível seguro, não precisando do uso de colírios. Mas, alguns pacientes podem apresentar difícil controle mesmo após a cirurgia, necessitando manter os colírios ou até mesmo
um novo procedimento cirúrgico.

» O risco de sofrer de glaucoma diminui com a idade
Mito. O risco de ter glaucoma aumenta com a idade, sendo mais comum após os 40 anos. Além disso, pessoas com casos de glaucoma na família têm risco maior de apresentar a doença. Portanto, os adultos com histórico familiar devem ser examinados anualmente pelo oftalmologista e referir ao mesmo a presença de antecedentes familiares da doença.


Óleo poderoso
Experimento feito com 29 pacientes, com idade entre 2 e 15 anos, e que tinham dermatite atópica (doença inflamatória crônica da pele) mostrou que o uso de óleo de argan gerou maior remissão do problema dermatológico do que o tratamento à base de anti-histamínicos, cremes com corticoides, antibióticos e imunossupressores orais. Os cientistas compararam o uso de cremes com óleo de argan e com hidrocortisona 1%. Por quatro semanas, os indivíduos receberam duas doses diárias em um dos lados do corpo. Depois de duas semanas, observou-se melhora significativa em ambos os lados. Ao término do prazo, porém, na região que recebeu doses diárias do creme com óleo de argan, a remissão da dermatite foi maior em relação ao lado que recebeu o creme com hidrocortisona 1%. De acordo com o aromatólogo Fabian Laszló, o óleo, extremamente precioso, é rico em vitaminas A, D e E. O produto é obtido por meio do fruto de uma árvore presente no Sul do Marrocos, conhecida como argânia (Argan spinosa). “O óleo de argan tem forte característica antioxidante. Graças ao alto teor de ácidos graxos essenciais, ômega 6 e fitoesteróis, o produto é uma alternativa para combater o envelhecimento e ressecamento da pele”, comenta.

Bp.blogspot.com/Reprodução I nternet
(foto: Bp.blogspot.com/Reprodução I nternet)

Outubro Rosa para homens
O que pouco se divulga no Outubro Rosa é que, apesar de baixo, 1% do total de casos de tumores de mama acomete homens, segundo o Instituto Nacional do Câncer. Enquanto 14 mil mulheres brasileiras morrem por ano dessa doença, menos de 200 homens sofrem com o mesmo destino. Ainda assim, o problema não deve ser negligenciado. Normalmente, o diagnóstico é tardio, já que os homens não fazem exames nem se preocupam com a enfermidade. A médica patologista Cristiane Nimir, especialista em mama e integrante do núcleo de mastologia do Hospital Sírio-Libanês, explica que, “o uso contínuo de hormônios e esteroides nas academias acaba favorecendo o aparecimento em pacientes que já teriam uma predisposição ao câncer.” Ela diz que alguns antidepressivos também podem ter como efeito colateral o broto mamário (caroço), mas ele não é necessariamente câncer. “Um fator que dificulta a prevenção é o preconceito”, acrescenta.

Sextante/Divulgação
(foto: Sextante/Divulgação)
30 dias para mudar

Acaba de chegar ao Brasil o livro Whole 30 – 30 dias para mudar (Editora Sextante), dos especialistas em nutrição esportiva, anatomia e fisioterapia Melissa Hartwig e Dallas Hartwig. O objetivo da publicação é transformar de vez a relação das pessoas com a comida, desintoxicar o corpo. Sua abordagem leva a uma perda de peso sem grandes sacrifícios, além de melhorar significativamente a qualidade do sono, os níveis de energia, o humor e a autoestima. Segundo Melissa e Dallas, o plano é simples: em cinco passos, você elimina todos os alimentos que possam estar lhe fazendo mal – como grãos, açúcares, laticínios e leguminosas –, vê como se sente e depois reintroduz os grupos alimentares pouco a pouco, escolhendo com consciência o que quer ou não, de acordo com seus sintomas.

Budismo com mestre tibetano
O Centro de Budismo Tibetano Chagdud Gonpa Dawa Drolma receberá o mestre do budismo tibetano Jigme Rinpoche em visita a Belo Horizonte, de 21 a 23 deste mês. Rinponche fará duas atividades na capital e uma na Grande BH. No dia 21, às 19h30, ministra a palestra “Encontrando liberdade todos os dias: conselhos budistas para a felicidade”, no Teatro da Maçonaria (Avenida Brasil, 478, Santa Efigênia, com entrada franca); no dia 22, às 14h30, o mestre fará sessão de meditação budista no Espaço Arte e Vida Juçara Costa (Rua Pouso Alto, 199, Serra). Há taxa de participação. Já no dia 23, domingo, a atividade de dia inteiro será no templo budista em Casa Branca, distrito de Brumadinho, também mediante a pagamento de taxa. As palestras contarão com tradução e estão sujeitas à lotação. Mais informações: http://dawadrolma.org; e-mail: eventos@dawadrolma.org ou pelo telefone (31) 98476-7001.

Shutterstock
(foto: Shutterstock)

Atenção aos hematomas
Os hematomas ocorrem quando o sangue, que normalmente circula por nossas veias e artérias, deixa o interior desses vasos e se acumula em outras partes do corpo. O sangue extravasado em locais como a região sob a pele, em torno dos olhos, ou mesmo dentro de órgãos importantes como o cérebro, deixa de exercer sua função, e pode até mesmo causar problemas nos órgãos adjacentes. “A gravidade do hematoma varia conforme o local onde ele se forma, e seu tamanho. Eles podem aparecer na pele após pancadas e coletas de sangue, e são formados pelo sangue que extravasa de pequenos vasos sanguíneos que se rompem em decorrência do trauma local. Esse sangue extravasado não volta a circular normalmente, e só desaparecerá quando for completamente absorvido pelas células de defesa de nosso corpo, o que pode levar dias”, explica Erich de Paula, médico hematologista e membro do Comitê de Trombose da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular. Esses hematomas não representam risco para a saúde. “Só devemos nos preocupar quando os hematomas surgirem espontaneamente, sem que tenha havido qualquer trauma. Pode ser alguma alteração da capacidade de coagulação do sangue. Outro sinal de alarme é quando os hematomas surgem com outros tipos de sangramento (gengiva, nariz, etc.)”, comenta Erich.

Especializações médicas
O Biocor Instituto e a Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais estão com as inscrições abertas até dia 16, para especializações em cancerologia clínica, cardiologia, cardiologia pediátrica, cirurgia cardiovascular, cirurgia geral, clínica médica, fisioterapia respiratória, hematologia, medicina intensiva adulto, nefrologia e neurocirurgia. Inscrições pelo site: http://www.cmmg.edu.br/especializacao-hospitalar/editais/

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA