Coaching nutricional ensina não só a comer bem, mas mudar hábitos

Metas são estabelecidas para ter saúde e peso ideal

por Revista do CB 19/09/2016 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Lenon, inicialmente, estranhou a abordagem da coach nutricional, mas garante que, mais do que dieta, mudança de comportamento faz a diferença (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
A pressa dita o ritmo da vida de grande parte dos brasileiros e brasileiras. Na correria, as preocupações com alimentação saudável e com exercícios físicos são deixadas de lado, e a saúde acaba perdendo o jogo. Uma nova maneira de cuidar do bem-estar, no entanto, tem conquistado adeptos: o coaching nutricional. A metodologia promove mudanças de hábitos, ao incentivar reflexões e fornecer ferramentas de transformação para aqueles que buscam uma vida saudável. O objetivo é manter uma alimentação equilibrada, fazer reeducação alimentar e se livrar de comportamentos sabotadores.

O método já mudou a vida de algumas pessoas. Um exemplo é o engenheiro de software Lenon Mazzarelo, de 31 anos. Ele conta que, com a rotina atribulada, não conseguia se alimentar nos horários corretos, comia muito e poucas vezes durante o dia. Foi quando decidiu mudar. Há dois meses, começou a ser acompanhado por uma nutricionista. No início, ele conta, ficou um pouco assustado com a nova abordagem. “Já fui a outros profissionais e sempre foram direto ao ponto: horários e refeições. Dessa vez, foi diferente. Dei diversos detalhes do meu dia a dia, da minha alimentação e outros assuntos relacionados à dieta sobre os quais nunca tinha parado para refletir. Só de conversar, consegui ter uma visão macro do que estava errado”, relata. Ele também conta que, além de perder peso, também aprendeu a comer alimentos saudáveis que antes não faziam parte da sua rotina.

A nutricionista e coach Ana Gabriela Lima explica como funcionam as sessões. “Basicamente, são só perguntas e respostas. O profissional não fala o que a pessoa tem que fazer, mas propõe questões que a ajudem a refletir sobre a sua vida.” São utilizadas diversas ferramentas para ajudar o paciente a entender as suas dificuldades e o que pode fazer para superá-las. Uma delas é a roda dos alimentos, na qual o indivíduo pontua, em uma escala de zero a 10, quais os alimentos mais consome.

Outro exemplo é a gestão de hábitos e de rotinas, onde a pessoa lista cinco hábitos que pretende adotar para alcançar seus objetivos. Assim, ela define quando vai realizá-los, identifica os riscos, ou seja, aquilo que pode atrapalhar o processo, e como pode minimizar os possíveis boicotes. “Todas essas ferramentas auxiliam o cliente a pensar em tudo que tenha ocorrido em sua vida e nas dificuldades diante do emagrecimento, por exemplo”, destaca Ana Gabriela.

De fato, a transformação é muito mais ampla e se pode notar além da forma física. O coaching muda a pessoa de dentro para fora. “Esse método trabalha com a transformação interior e com mudanças duradouras. Traz soluções criativas e ajuda o profissional a motivar o cliente de forma inovadora e diferenciada”, explica a nutricionista Isis Moreira.

“A transformação deve vir, antes, da mente e, depois, dos hábitos. É preciso programar o cérebro para optar por um novo estilo de vida”, explica Ana Gabriela. O processo otimiza os resultados, além de melhorar autoestima e ajudar na organização da rotina. Além disso, o tratamento facilita o alcance dos objetivos, pois sua metodologia contribui para a transformação e a evolução pessoal.

As consultas são realizadas a cada duas semanas, por, pelo menos, três meses. Durante o tratamento, os desafios são identificados e é estabelecida uma meta — possível de ser alcançada — para superá-los. Segundo a nutricionista Isis Moreira, essas metas podem ser o próprio emagrecimento e até mesmo a determinação de ir para a academia com certa frequência.

A primeira parte das consultas é apenas com conversas e, depois, a nutricionista estabelece um plano alimentar. Cada cardápio é personalizado e inclui alimentos saudáveis à dieta do paciente. “Depende de como é a vida de cada um e de como a pessoa lida com a alimentação”, esclarece a especialista Ana Gabriela.

Lenon, por exemplo, conta que recebeu dietas diferenciadas e adaptadas a sua rotina. “No meu caso, foram entregues três dietas, uma para cada tipo de dia. Uma para quando faço crossfit, outra para o dia em que malho, além de uma para o fim de semana. Também foi entregue uma lista de receitas fitness e lights, além de uma de alimentos que podem ser alterados na minha dieta.”

Aos 31 anos, Ana Clarissa dos Reis, servidora pública, finalmente conseguiu seguir uma dieta balanceada e praticar exercícios físicos regularmente depois de fazer o coaching nutricional. “Agora, tento pensar melhor antes de comer alguma besteira ou faltar à academia. Lembro das metas que estabeleci junto à nutricionista e tento cumpri-las. Afinal, estabelecemos juntas para que fosse possível”, relata. Ela conta também que o tratamento ajuda a refletir sobre sua saúde. Além do mais, os desafios, as metas e as soluções são registrados por escrito, o que ajuda a descobrir como os objetivos serão atingidos com maior clareza. As ferramentas utilizadas no coaching aumentaram a força de vontade da servidora pública e, agora, ela sabe que é responsável pelas próprias atitudes e escolhas.

"A transformação deve vir, antes, da mente e, depois, dos hábitos. É preciso programar o cérebro para optar por um novo estilo de vida” - Ana Gabriela, nutricionista e coach

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA