Pesquisa mostra que 40% dos jovens japoneses são virgens

Foi constatado que 42% dos homens e 44% das mulheres entre 18 e 34 anos nunca fizeram sexo

por AFP - Agence France-Presse 19/09/2016 16:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
 AFP / BEHROUZ MEHRI
Mulheres japonesas em festival de música no Japão (foto: AFP / BEHROUZ MEHRI )
Mais de 40% dos japoneses jovens e solteiros são virgens, segundo um estudo realizado pelo governo, e quase três quartos dos homens não estão em nenhum relacionamento.

A pesquisa revela a dimensão da falta de atividade sexual em um país onde os políticos se preocupam com as baixas taxas de natalidade e seu efeito em uma sociedade em envelhecimento.

O Instituto Nacional de População e Pesquisa da Segurança Social entrevistou mais de 5.000 solteiros com idades entre 18 e 34 anos sobre suas atividades sexuais.

Foi constatado que 42% dos homens e 44% das mulheres nunca fizeram sexo.

A pesquisa, realizada em junho de 2015, mostrou que o número de pessoas que permanecem castas no Japão tem aumentado com o passar do tempo.

Um estudo similar feito em 2005 descobriu que um terço dos jovens solteiros haviam sido sempre celibatários.

A pesquisa de 2015 também detectou que sete em cada 10 homens não estavam em um relacionamento, enquanto quase 60% das mulheres iam para a cama sozinhas.

É difícil encontrar estatísticas internacionais diretamente comparáveis, mas o povo japonês parece fazer menos sexo que cidadãos de outros países desenvolvidos.

Em um estudo de 2010 realizado pelo mesmo órgão governamental, 68% dos japoneses de 18 e 19 anos disseram ser virgens; uma pesquisa feita naquele mesmo ano na Europa pela empresa de preservativos Durex descobriu que as taxas de virgindade entre as pessoas de 15 a 20 anos eram muito menores.

Por exemplo, menos de 20% dos jovens alemães eram virgens quando chegavam aos 20 anos, enquanto mesmo na conservadora Turquia este número era de apenas 37%.

A aparente reduzida libido do povo japonês não confirma a impressão que muitos visitantes têm sobre a atitude do país em relação ao sexo.

Imagens de de jovens mulheres com seios enormes - e frequentemente seminuas - são comuns nos famosos mangás e nos outdoors.

A prostituição é facilmente visível mesmo nas pequenas cidades, e o país produz quantidades volumosas de pornografia.

Futoshi Ishii, que lidera a instituição que realizou o estudo, disse que a raiz do problema parece estar no abismo entre como as pessoas imaginam que a vida deveria ser e como ela realmente acontece.

"Elas querem se casar, eventualmente", disse ao Japan Times. "Mas tendem a adiar isso ao constatar lacunas entre seus ideais e a realidade".

"É por isso que as pessoas se casam mais tarde ou ficam solteiras pelo resto da vida", explicou Ishii.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA