Cabelos de sereia e arco-íris são a nova mania entre adolescente

O visual, porém, demanda um longo preparo no salão

por Ailim Cabral 08/09/2016 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arquivo Pessoal
Sofia Rocha aderiu aos múltiplos tons: sucesso entre as amigas da escola (foto: Arquivo Pessoal )
O comprimento, o penteado e a cor dos cabelos estão sempre mudando. Cada época tem suas referências, que, geralmente, são ostentadas por gente famosa antes de ganharem as ruas. Duas modas chegaram com tudo ao Brasil são: o cabelo de sereia e o cabelo arco-íris.

O primeiro consiste em degradês de uma única cor ou uma mescla de duas ou três cores de uma mesma palheta, de preferência em tons pastéis. Essa opção surgiu como um complemento ao chamado sereísmo e faz sucesso entre as mais ousadas. Recentemente, porém, surgiu um uso comportado dessa estética, com tons próximos à cor natural dos cabelos.

De acordo com o hair stylist Rangel Portela Neves, azul-turquesa e rosa-pastel são as cores mais usadas no cabelo de sereia. Rangel acrescenta ainda que a tendência chegou atrasada ao Brasil. Nos Estados Unidos e na Europa, teve seu boom há mais de um ano.

O cabelo arco-íris também não é novidade lá fora, mas isso não desanima as brasileiras e muitos menos as brasilienses. Mulheres na faixa dos 20 anos e adolescentes aderiram com entusiasmo à invenção. “Esse estilo está em processo de crescimento aqui. Conforme as pessoas vão desconstruindo certas ideias de padrão de beleza, vão se sentindo mais livres para ousar”, acredita o hair stylist.

Reprodução Instagram
Kylie Jenner é uma das celebridades a adotar os cabelos de sereia (foto: Reprodução Instagram)
Com tons vibrantes e metalizados, o cabelo arco-íris também é conhecido como “cabelo unicórnio”. Para alcançar o efeito desejado, é necessário descolorir as mechas num lento processo. Segundo Rangel Portela, o tratamento pode durar até 10 horas. “O mais difícil é descolorir, pois o fio precisa ficar bem clarinho para, depois, construirmos as cores desejadas.” O procedimento pode variar entre R$ 600 e R$ 1.200 e costuma durar de dois a três meses, a depender dos cuidados tomados pela dona dos cabelos mágicos. Lavar com xampus específicos para fios coloridos, usar leave-in com proteção solar para criar uma camada protetora nas mechas e fazer hidratações constantes são algumas as dicas.

Nem as 10 horas no salão de beleza nem os cuidados constantes com os cabelos desanimaram a estudante Sofia Rocha Tresinari Bernardes, 13 anos. Ela namorava o cabelo colorido há mais ou menos um ano e acompanhava a tendência pela internet. Há cerca de dois meses, tomou coragem para pintar. A mãe apoiou e, pouco tempo depois, Sofia estava sentada em frente a Rangel, debatendo ideias. “Eu queria fazer só um degradê rosa, mas ele me falou que estava batido e sugeriu fazer com várias cores. Topei.” Depois de muita ansiedade, Sofia finalmente se olhou no espelho. “Tomei um susto, pensei: ‘Meu Deus do céu, o que eu fiz?’. Mas, cinco segundos depois, comecei a amar meu cabelo e não vejo a hora de fazer de novo, porque já desbotou um pouco”, conta.

A família adorou a novidade e, na escola, Sofia achou estranho quando ninguém mencionou a mudança. No dia seguinte, porém, reagiram. “É que eles acharam que era spray, mas, quando viram que era permanente, amaram também.” A jovem incentiva quem quer mudar o visual. “Na pior das hipóteses, é só cortar e esperar crescer de novo”, resume.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA