Vídeo: bebê nasce "embrulhado" em bolsa da mãe e emociona internet

Chamado de "parto empelicado", fenômeno ocorre em 1 a cada 80 mil nascimentos e foi filmado em Barretos (SP). Imagens viralizaram nas redes sociais

por Cecília Emiliana 14/08/2016 04:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.



Pode confessar: depois de assistir o vídeo acima, você se derreteu pelo menos um pouquinho. Tudo bem, não precisa ficar constrangido. Essa é, afinal, a reação da maioria das pessoas que se depararam com essas imagens, que se alastram feito rastilho de pólvora pelas redes sociais há cerca de uma semana. O que elas mostram é um evento raríssimo: o chamado parto empelicado, que é quando o feto nasce ainda envolto no saco amniótico - fato que a Literatura Médica só registra a cada 80 mil nascimentos.

O bebê "embrulhadinho" nasceu na Santa Casa de Misericórdia de Barretos, Região Oeste de São Paulo, por meio de uma cesariana da qual participou a enfermeira Gisele Corrêa, que foi quem filmou e publicou o procedimento em seu perfil no Facebook. Segundo o post da profissional de saúde, a criança não veio sozinha: seu irmão gêmeo foi retirado do ventre da mãe primeiro. Quietinho, como se estivesse sonolento e quisesse mais um tempo no aconchego da barriga materna, veio então o recém-nascido enrolado na membrana amniótica, para a surpresa e encantamento de toda a equipe hospitalar. "Foi mágico. Emocionante pra toda equipe! Estavamos aguardando estabilizar o primeiro baby e o 2º veio de mansinho, aliás, olha aí que lindo! Momento histórico!", registrou a moça online

Várias crenças circundam o parto empelicado. A mais popular é a de que quem nasce nessa condição tem sorte garantida por toda a vida. Na internet, onde uma das várias postagens que divulgaram episódio já acumula mais de 10 milhões de visualizações, muitos relatos emocionados de mães e filhos cujo primeiro encontro foi bem semelhante ao mostrado no vídeo. 

Veja a repercussão:






 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA