Especialistas mineiros comentam dúvidas sobre a eficácia do fio dental

Governo dos EUA retirou a menção sobre o uso no guia de diretrizes nutricionais. Notícia causou polêmica entre dentistas brasileiros, que mantêm a recomendação para limpeza da placa bacteriana entre os dentes

por Valquiria Lopes 11/08/2016 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Internet - http://loe.com.br
Especialistas mineiros afirmam que uso do fio dental pode prevenir cáries entre os dentes, sangramento e inchaços na gengiva (foto: Reprodução Internet - http://loe.com.br)
Depois de pais travarem verdadeiras batalhas para convencer seus filhos a usar fio dental, uma reviravolta pode fazer cair por terra a famosa recomendação. O governo norte-americano retirou a menção sobre o uso do fio de seu guia de diretrizes nutricionais – documento emitido a cada cinco anos sobre medidas para uma vida saudável. Segundo o jornal The New York Times, a mudança ocorreu depois de o Departamento de Agricultura, Saúde e Serviços Humanitários dos EUA ser questionado sobre a eficácia do item. O órgão informou que nunca foi pesquisada a eficácia do hábito. A notícia causou polêmica entre dentistas brasileiros, que não só mantêm a recomendação para limpeza da placa bacteriana entre os dentes, como chegam a criar programas de adesão familiar para o uso diário do fio dental.

A nota do serviço de saúde americano não nega, no entanto, a prevenção contra doenças da gengiva – como inchaço e sangramentos – com uso da linha higiênica. Apesar disso, o presidente do Conselho Regional de Odontologia, Luciano Eloi Santos, vê a retirada da recomendação como um desserviço. “Estudos que investigam o surgimento da cárie interdental apontam que o problema pode ser prevenido com uso do fio. Ele remove ou desorganiza a placa bacteriana, que tanto pode evoluir para a cárie, corroendo o esmalte dos dentes, quanto se mineralizar e formar o tártaro, responsável por inflamações na gengiva e doenças periodontais.”

O dentista diz ainda que é comum na experiência clínica se deparar com pacientes com cáries entre os dentes, o que, segundo ele, pode ser prevenido com o uso do fio dental. “Ele entra em espaços que a escova não consegue atingir. Quando a pessoa não usa o fio, a chance de ter cárie interdental é maior”, diz. Ele lembra ainda que tanto a Associação Brasileira de Odontologia Preventiva quanto a Sociedade Brasileira de Periodontia incentivam o uso.

Independentemente da postura norte-americana, especialistas em odontologia mantêm, em consultórios de Minas, incentivo à prática. É o que faz o odontopediatra Júlio Carlos Noronha, dentista há 40 anos, que também estranha a retirada da recomendação. “O fio dental é uma forma eficiente de desorganizar a placa bacteriana, que causa a cárie. Além disso, deixa o ambiente entre os dentes livre para a penetração do flúor, seja da água fluoretada que a pessoa ingere seja no momento da escovação”, afirma.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA