Entenda as diferenças entre as escovas de dente e veja como escolher a sua

As opções disponíveis no mercado são tantas que encontrar o tipo ideal pode ser uma tarefa complexa

por Redação 08/08/2016 16:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Freeimages
A higiene oral antes de dormir é a mais importante (foto: Freeimages)
Cuidar da higiene bucal é tarefa diária, mas nem por isso tarefa simples ou incorporada à rotina de todos os brasileiros. Dados de 2015 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o uso de escova de dente, pasta de dente e fio dental para a higiene bucal é feito por 53% dos brasileiros e brasileiras. Além disso, as mulheres são mais cuidadosas que os homens com a boca: enquanto 57,1% delas declararam os cuidados com a boca, 48,4% dos homens afirmaram os três itens.

Outro dado interessante da Pesquisa Nacional de Saúde é que mais da metade dos brasileiros não troca as escovas de dente com menos de três meses de uso. Segundo o levantamento, 46,8% substituem o artigo com menos de três meses. De acordo com o implantodontista e especialista em odontologia estética, Paulo Colho Andrade afirma que como não faltam alternativas de escovas de dente no mercado o primeiro erro pode começar no momento da aquisição do objeto. O especialista dá algumas dicas:

Cerdas extra macias: Salvo recomendações específicas expressas pelo dentista, as pessoas devem utilizar escovas extra macias, com acabamento arredondado e com a cabeça pequena. Este é o tipo ideal de escova que limpa de forma efetiva, não causa traumatismos na gengiva (evitando as retrações da mesma) e consegue alcançar os dentes do fundo da boca

Recomendações específicas:
Pessoas que possuem implantes dentários, próteses odontológicas e alguns casos pós-cirúrgicos podem precisar de escovas especiais, que devem ser indicadas pelo próprio dentista

Escovas elétricas:
são indicadas a pessoas que tenham alguma dificuldade motora para realizar a escovação, não sendo necessárias a pessoas que conseguem fazer a correta execução dos movimentos de escovação.

Paulo Colho Andrade reforça ainda a necessidade de substituir a escova, no mínimo, a cada três meses e a recomendação de três escovações diárias, com a utilização do fio dental. A higiene oral antes de dormir é a mais importante.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA