Cores que combinam com o seu DNA: conheça a análise cromática

Técnica promete apontar exatamente quais tons combinam com sua pele. Mudanças simples na paleta do guarda-roupa podem representar um upgrade fantástico no visual

por Renata Rusky 06/07/2016 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
A arquiteta Camila Coimbra escolheu um vestido off-white para o seu casamento (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Sabe aquela blusa que você comprou, mas acabou ficando encostada no armário? Aparentemente, não há nada de errado com ela: você comprou porque achou bonita, gostou do modelo e de como ficou no corpo, mas, em casa, algo mudou. A consultora de estilo Rachel Jordan explica que um dos motivos para algumas peças de roupas acabarem sem uso no guarda-roupa é a cor.

É por isso que existe a análise cromática, uma área da consultoria de imagem em que se analisa os subtons da pele para ver quais as cores que mais combinam com cada pessoa. Não se trata só de peles negras, morenas ou brancas, mas da temperatura de cada uma: fria, quente, neutra. De acordo com a análise cromática, pele fria é a que apresenta tons mais rosados; quente, a que apresenta tons mais amarelados, independentemente de a pele ser negra ou branca. Já as neutras se caracterizam pelos tons pastéis.

“Às vezes, a pessoa experimenta na luz amarela da loja, que muda a cor da pele, do cabelo, dos olhos, e, quando chega em casa, percebe que algo não está tão bom”, explica. A diferença pode até ser sutil, mas Rachel garante que uma cor errada suga a coloração natural da pessoa, que pode ficar amarelada ou acinzentada e dar um ar cansado. Já a cor correta transmitem aparência saudável, com semblante suave e até disfarçam olheiras.

Conhecer de antemão quais cores nos valorizam ajuda a fazer compras conscientes. “Impede, por exemplo, que compremos por impulso”, ressalta Rachel Jordan. Brincos, blusas, batons, cachecóis, maquiagem — tudo que fica perto do rosto deve ser avaliado primeiro pela ótica da cor.

Opção para as noivas

Aos poucos, a ideia de que noivas devem vestir branco tem cedido diante de outras possibilidades. Off-white, pérola, gelo e nude, por exemplo, estão em alta. Embora as diferenças entre uma e outra sejam discretas, o resultado final foge do óbvio. A arquiteta Camila Coimbra Reinaux, 25 anos, estava disposta a inovar. “Acho que, quando tem uma renda, ela fica mais apagada. O branco acaba escondendo detalhes do vestido”, explica. Mesmo assim, ela se apaixonou por um vestido justamente dessa cor. Decidiu que, em vez de comprar, levaria a um estilista como referência.

Fábio Kotinda / Divulgação
A consultora de estilo Rachel Jordan ensina um truque fácil para identificar o seu tipo de pele (foto: Fábio Kotinda / Divulgação )
O profissional seguiu as instruções, mas, na hora de provar o vestido, Camila chegou à conclusão de que o branco não ficava mesmo bom nela. “Eu sou bem branca, mas de um jeito amarelado, então, o branco ressalta isso”, justifica. Por sorte, ele tinha o mesmo tecido em off-white e o problema foi facilmente resolvido. “Percebi que todas as minhas roupas claras são mais para o bege. Eu só tenho uma camisa branca”, conta. Na festa de noivado, Camila até tentou usar um vestido branco. Visitou várias lojas, experimentou inúmeros modelos, mas acabou não gostando de nenhum. Já estava chateada quando a mãe a convenceu de que não precisava ser branco. Escolheu, então, um modelo roxo. Outra cor de que ela gosta muito é azul-royal.

Descubra a sua

A consultora de estilo Rachel Jordan dá uma dica para descobrir quais cores combinam melhor com você. Primeiro, providencie duas cartolinas, uma laranja e uma rosa-shocking. Ela recomenda que, sem maquiagem, você se posicione em frente a um espelho com luz natural e passe as duas cartolinas na frente do seu rosto. Segundo ela, a diferença do efeito que uma e outra fazem no rosto fica óbvia: “Deve-se prestar bastante atenção na cor da boca, da bochecha e dos olhos”.

A preferência pela cartolina rosa indica pele fria; pela laranja, quente. As pessoas com pele quente ficam melhores em cores associadas ao verão e ao inverno (magenta, vinho, cinza e preto), enquanto as de cores frias são valorizadas pelas associadas ao outono e à primavera (dourado, laranja, vermelho, rosa e marrom). Rachel explica que isso não significa que pessoas de pele fria não devem usar laranja — elas só precisam selecionar bem o tom. O matiz “desfavorável” pode ser aproveitado em peças que fiquem distantes do rosto, como sapatos, bolsa e calça.

Nenhuma cor está proibida, basta saber dosar. O preto, que muitos acham um curinga, na verdade, pode pesar o semblante. Algumas cores são, sim, universais, mas não é o caso do preto. Rachel Jordan garante que azul-marinho, vermelho-melancia, cinza-rato, rosa-morango e lavanda ficam bem em todo mundo. Outra forma de acertar sem pensar demais é repetir cores que você já tem em você. Um cabelo loiro combina com uma blusa amarela mais ou menos no mesmo tom.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA