Chute a gordura e o desânimo com o kickboxing

Atividade de alta intensidade, exercício é recomendado para quem quer perder peso, definir músculos, se livrar do estresse, além de aprender a se defender

por Revista do CB 30/06/2016 17:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Antônio Cunha/Esp. CB/D.A Press
Os chutes desempenham um grande papel no fortalecimento das pernas, e os socos ajudam a modelar e a fortalecer costas e ombros (foto: Antônio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
Diversas modalidades de luta atraem um grande número de pessoas com o objetivo de aliviar o estresse ou de emagrecer. O kickboxing, por exemplo, é uma das que têm conquistado espaço nas academias do Brasil. Com elementos das artes marciais e do boxe, ajuda os adeptos a perder peso e a definir os músculos. É um esporte perfeito para quem quer manter a saúde de forma dinâmica e nada monótona.

Por ser uma atividade muito intensa, o gasto calórico é alto. O atleta está sempre em movimento, fazendo exercícios que envolvem corridas, socos, pulos e chutes. Em uma hora de aula, a queima de calorias pode chegar a 800. A região abdominal é estimulada todo o tempo, pois é necessário usar os quadris para se esquivar dos repetidos golpes. Esse movimento de rotação de tronco expulsa as gorduras e dá espaço para o abdômen sarado. Valdinei Novais dá aula de kickboxing há 20 anos e conta que muitos homens e mulheres procuram o esporte com a intenção de emagrecer e também para aprender defesa pessoal.

Muito empenho é exigido constantemente dos membros superiores (ombros e braços) e dos inferiores (glúteos e pernas). Os chutes desempenham um grande papel no fortalecimento das pernas, e os socos ajudam a modelar e a fortalecer costas e ombros. Além de queimar gordura corporal e tonificar os músculos, o esporte é ótimo para a saúde cardiovascular e para o condicionamento físico. Com exercícios que exigem muito esforço, o equilíbrio e a coordenação são diretamente trabalhados, como em sets de pontapés em um só pé, alternados com socos. Valdinei acrescenta: “Trabalhamos todas as partes do corpo, mas, para quem quer emagrecer ou perder gordurinha do abdômen, fazemos, por exemplo, uma série de abdominais com uma espécie de massagem de bambu que auxilia a queima de calorias”, conta Valdinei.

As aulas começam com algum aquecimento, que varia entre corrida e polichinelo, por exemplo. O saco de pancada é quem mais sofre nos treinos. Só tem pausa para tomar água. Um exercício muito comum nos treinos é o agachamento. Com os pés afastados na altura dos ombros, os joelhos são dobrados e as costas devem ficar retas. Assim, a pessoa simula o movimento de se sentar e de se levantar de uma cadeira. A prática frequente desse exercício ajuda a trabalhar bem o bumbum e as coxas.

Arquivo Pessoal
Valdinei Novais dá aulas de kickboxing e treina atletas há 20 anos e garante: perda de peso e ganho de músculos (foto: Arquivo Pessoal )
O esporte é dinâmico e animado. Não há padrões ou idade no kickboxing. A escolha é perfeita para largar o sedentarismo e se divertir com chutes e socos. Sendo assim, quem tem vontade de experimentar algo novo deve se jogar de cara, não importa a idade. “Qualquer um pode participar desde que tenha autorização dos pais, ou esteja disposto a se jogar no esporte, pois os treinos alteram de acordo com o perfil do atleta.”

Outro benefício conquistado com os treinos de kickboxing é a liberação de estresse, da raiva e da agressividade, que ajuda, de forma saudável, a eliminar o excesso de energia e, consequentemente, contribui para o aumento da autoconfiança e da autoestima. Mas o atleta tem que estar preparado para suar, como é o caso da estudante Márcia de Mendonça, 19, que treina três vezes na semana. Ela afirma que, desde que começou a praticar o esporte, há cerca de dois anos, emagreceu e desenvolveu grande resistência física e cardiovascular. “Quando comecei, eu fazia os exercícios e ficava supercansada e dolorida, hoje em dia, é muito mais tranquilo, só que a gente sai do treino pingando mesmo.” Alinda Ribeiro tem 60 anos e não fica para trás. Ela já passou por diversas atividades, como spinning e musculação, mas ressalta que o kickboxing é seu preferido. “Sempre malhei e quis experimentar algo diferente. Eu faço há um ano e adoro.” A aposentada diz que, além de ter emagrecido, a saúde melhorou bastante. Cheia de disposição, ela acompanha os treinos três vezes por semana e mostra aos jovens que também tem pique.

Por ser uma aula divertida, o esporte vem atraindo mais adeptos. Os treinos são sempre diferentes e o atleta nunca fica parado. A Gláucia Lobo, 47, é servidora pública e, há dois anos, procurava com as filhas, Giulia, 15, e Giovana, 13, uma atividade que as três pudessem fazer juntas. Foi assim que elas conheceram o kickboxing e se apaixonaram. Os benefícios da prática atingiram toda a família e Giulia diz que conseguiu perder peso e ganhar muita disposição. “É claro que foi aos poucos, mas, depois de algum tempo, senti a diferença”. Além disso, elas usam o esporte para relaxar. A filha caçula, Gabriela, de 7 anos, há dois meses, também se juntou à família e participa das aulas, treinando os chutes e socos de leve.

A estudante Julia Martiningo, 17, conheceu o esporte por meio de uma reportagem e decidiu experimentar, há um ano. Logo de cara, a jovem aprovou a modalidade. O objetivo dela era fortalecer os músculos e fazer uma atividade que a deixasse animada. “Acabei emagrecendo muito e nem esperava isso. O resultado veio rápido porque sempre me dediquei.” Treinando três vezes na semana, ela perdeu 5kg somente no primeiro mês, e então resolveu se dedicar também à musculação para ganhar massa.

Quem está há muito tempo sem praticar atividade física e acha que não tem condicionamento físico para o kickboxing está enganado. O interessado deve começar com treinos mais leves e com menos repetições de séries até alcançar o ritmo da turma. Ter o suporte e orientação de um profissional de qualidade é essencial nesse processo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA