Porto Rico registra primeiro caso de microcefalia relacionada ao zika vírus

País contabilizou até agora 925 casos de pessoas infectadas pelo zika vírus, incluindo 128 mulheres grávidas

por Agência Estado 13/05/2016 15:53

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Porto Rico anunciou nesta sexta-feira (13/05) que registrou o primeiro caso de microcefalia relacionada ao zika vírus. Segundo a secretária da Saúde do país, Ana Rius, o resultado de um teste feito em um feto, que morreu, foi positivo para a doença. Ela não informou se a mãe, que não foi identificada, teve um aborto espontâneo ou não.

Porto Rico contabilizou até agora 925 casos de pessoas infectadas pelo zika vírus, incluindo 128 mulheres grávidas. Entre elas, ao menos 14 deram à luz a bebês saudáveis.

A zika pode causar várias más-formações nos bebês, como diâmetros de crânio menores que o normal e danos cerebrais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a doença como uma emergência global em fevereiro, após o vírus se espalhar rapidamente pelo continente americano. Em Porto Rico, uma morte foi contabilizada.

A mãe do feto infectado pelo zika vírus fez um teste que deu negativo para a doença. Ela também não apresentou sintomas, mas claramente portava o vírus, segundo as autoridades locais. Em nota, a Secretaria de Saúde explicou que os testes só dão resultado positivo por um pequeno período de tempo após a pessoa ser infectada. Depois do curto prazo, não há mais essa identificação.

A Secretaria da Saúde também destacou que as autoridades estão trabalhando com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos para que Porto Rico tenha um robusto programa de vigilância contra o vírus. O pediatra Miguel Valencia, integrante do time de combate à zika, disse que há cinco casos de microcefalia a cada 10 mil nascimentos no país e que a má-formação tem mais chance de acontecer se a mãe for alcoólatra ou tiver diabetes avançada.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA