Justiça condena Danilo Gentili a indenizar recordista de doação de leite materno

Michele Maximino, 33 anos, bateu o recorde mundial de doação de leite humano. Ao invés de ser aplaudida, teve seu gesto comparado pelo humorista a ato sexual de ator de filme pornô. Após o episódio, a técnica em enfermagem entrou em depressão e a família precisou mudar de cidade

por Valéria Mendes 14/04/2016 15:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arquivo Pessoal
A divulgação do recorde mundial de doação de leite materno em um portal de notícias nacional gerou a "piada" no programa de Danilo Gentilli (foto: Arquivo Pessoal )
Os humoristas Danilo Gentili, Marcelo Mansfield e a TV Bandeirantes foram condenados pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) a indenizar em R$ 200 mil a técnica de enfermagem Michele Maximino, 33 anos, que bateu o recorde mundial de doação de leite humano. A mãe de Gabriel, 5 anos, e Mariana, 2, teve sua vida virada de cabeça para baixo após o apresentador ironizar o recorde solidário alcançado em 2013 por ela: Michele doou 417 litros de leite materno em 11 meses e bateu uma meta mundial.

A história de Michele representa a luta de muitas mulheres para superar os obstáculos da amamentação que incluem o constrangimento por alimentarem seus filhos e filhas em público. Tanto é que cidades brasileiras – incluindo Belo Horizonte – estão criando leis para garantir um direito que é da mulher e da criança. “No Brasil, as mulheres que amamentam não são tratadas de forma correta, não são estimuladas e não têm informação que garantam o sucesso da amamentação. A Mariana, por exemplo, apesar de nascida prematura, nunca foi a um hospital. Ela ainda mama é uma prova viva da importância da amamentação”, afirma a pernambucana.

Para quem não se lembra da história, já que Michele Maximino conseguiu via liminar que o vídeo do programa exibido em 3 de outubro de 2013 pela Band fosse excluído da internet, o apresentador do ‘Agora É Tarde’ comparou o leite materno ao esperma de um ator de filme pornográfico, ironizou o tamanho dos seios de Michele e, por 1 minuto e 40 segundos, fez piadas com o recorde alcançado por ela.

A esperança agora é que essa nova decisão da justiça ajude a sensibilizar a sociedade brasileira para um tema que envolve a saúde das novas gerações. A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica o leite materno como o principal alimento dos bebês até 6 meses de idade e, inclusive, recomenda que o alimento produzido pelo corpo feminino seja o único consumido pelas crianças nessa idade. A OMS afirma ainda que o aleitamento materno é benéfico para o desenvolvimento saudável de meninos e meninas até os 2 anos (ou mais).

Apesar da decisão favorável, Michele afirma que esperava por uma medida mais enérgica, mas que não vai recorrer da decisão. “Gostaria que, durante o programa dele, fossem exibidas campanhas sobre amamentação, que ele (Gentili) prestasse serviço comunitário em algum banco de leite para ver o dia a dia das crianças que ele prejudicou”, afirma.

A ação de danos morais foi julgada pela juíza Regina Célia de Albuquerque Maranhão, da 2ª Vara Cível de Olinda que julgou o pedido procedente, em parte. A autora havia pedido indenização de R$ 1 milhão. Na sentença, a magistrada afirmou que o fato causou “grave lesão” à imagem da de Michele que foi utilizada “de forma humilhante e degradante, causando consequência devastadora” para ela e sua família.

A repercussão do programa tomou uma proporção tão desmedida que Michele precisou se mudar com a família de Quipapá, cidade de 25 mil habitantes em Pernambuco onde moravam, para que pudesse superar o quadro de depressão da qual foi vítima após a exibição do programa. Hoje, ela o marido e os dois filhos vivem em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife e Michele diz que a caçula, Mariana, vai mamar até os 4 anos.

Em nota, a Rede Bandeirantes disse que vai recorrer. Os humoristas ainda não se manifestaram.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA