O que você precisa saber para interromper a pílula depois de muitos anos de uso

Além de sintomas indesejados, mas temporários, veja o que acontece no seu corpo

por Ailim Cabral 12/04/2016 14:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Viola Júnior / Esp. CB / D.A PRess
Quando a mulher interrompe a ingestão da pílula, o organismo precisa voltar a produzir os hormônios naturai (foto: Viola Júnior / Esp. CB / D.A PRess)
A polêmica envolvendo o anticoncepcional é antiga. Enquanto alguns especialistas dizem que o uso contínuo faz mal, outros defendem o método contraceptivo. No entanto, independentemente do debate, muitas mulheres usam a pílula e passam por momentos na vida em que interrompem o medicamento — com a intenção de engravidar, por indicação médica ou, simplesmente, para “dar um tempo”.

Mas o que acontece com o corpo após essa interrupção? A endocrinologista Carolina Meireles explica que o organismo passa por um período de readaptação ao hormônio natural e que isso tem uma série de efeitos perceptivos. “O anticoncepcional é um hormônio sintético que engana o nosso organismo. Ele imita a função natural e faz com que o corpo pare de produzir o LH e o FSH, hormônios responsáveis pela ovulação”, esclarece Carolina.

O anticoncepcional também inibe a produção de testosterona. Quando a mulher interrompe a ingestão da pílula, o organismo precisa voltar a produzir os hormônios naturais. “Estava tudo regulado, inibido; o corpo precisa reaprender a produzir esses hormônios; e essa adaptação leva de dois a três meses”, completa. Os especialistas alertam que o processo de interrupção deve ter acompanhamento médico.

Valdo Virgo / CB / D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais (foto: Valdo Virgo / CB / D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA