Sentidos do Nascer: exposição sobre o parto normal está de volta a BH

Sucesso de público, mostra fica em cartaz até 13 de março no Minas Centro e integra a programação da Feira do Bebê e da Gestante

por Valéria Mendes 11/03/2016 11:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação / Sentidos do Nascer
O corpo feminino sempre foi e ainda é capaz de parir (foto: Divulgação / Sentidos do Nascer )
Até o dia 13 de março a exposição Sentidos do Nascer estará no Minas Centro, em Belo Horizonte, dentro da programação da Feira do Bebê e da Gestante. A visitação é gratuita. A mostra sensorial é uma oportunidade para os visitantes repensarem a cultura dos partos realizados no Brasil. Além do excesso de cesarianas que chega a quase 90% na rede privada e do índice de 12,5% de bebês que nascem prematuros no país, o excesso de intervenções faz do parto normal uma experiência traumática: uma em cada quatro mulheres brasileiras relata violência obstétrica no pré-parto, parto e pós-parto. Mas não precisa ser assim.

Sucesso de público, com mais de 28 mil visitantes, a exposição estreou na capital mineira em 7 de abril do ano passado e esteve no Parque Municipal, campus Pampulha da UFMG e Shopping Boulevard. Na sequência passou pelas cidades de Rio de Janeiro, Niterói, Ceilândia e Brasília. “Devemos mudar a forma como se nasce no Brasil. Sabemos que há efeitos graves para a saúde dos bebês, intervenções desnecessárias no corpo da mulher e no processo natural do parto, que deixam uma carga negativa para esse momento tão importante”, afirma a pediatra, epidemiologista e coordenadora da Comissão Perinatal e do Movimento BH Pelo Parto Normal da Secretaria de Saúde de BH, Sônia Lansky. Ela e o professor da Faculdade de Educação da UFMG e historiador da Ciência, Bernardo Jefferson de Oliveira são os idealizadores do projeto.

A exposição Sentidos do Nascer quer mostrar que o corpo feminino sempre foi e ainda é capaz de parir e usa o lúdico e o sensorial para levar à população informações sobre os benefícios do parto normal e contribuir para a mudança da percepção sobre o nascimento.

Durante a visitação, o público passa por vários ambientes interativos. No primeiro, batizado de ‘Gestação’, uma tela de televisão exibirá uma projeção 3D da imagem do visitante, que se verá grávido. Na sequência, as pessoas entrarão no espaço ‘Mercado do Parto’, que faz uma crítica à forma de tratamento da gestação e do parto como um negócio comercial.

O terceiro ambiente é o marco da exposição. A sala ‘Controvérsias’ é um espaço para o diálogo entre os sujeitos que costumam opinar e influenciar a decisão da mulher sobre a via de parto durante a gestação. Um vídeo foi elaborado exclusivamente para esse momento e coloca para conversar personagens que resumem a multiplicidade de pontos de vistas e argumentam contra ou a favor ao parto normal. Com linguagem simples e direta, simula o que os casais grávidos costumam ouvir durante a gestação.

Depois disso, o público segue para a experiência sensorial do ‘Nascimento’. Nesse ambiente, os visitantes ouvirão sons de batimentos cardíacos e ruídos que reproduzem os barulhos internos que a criança ouve quando está no ventre da mãe. Os visitantes simularão a entrada no útero e passarão pelo canal de parto.

Arte: Soraia Piva / EM / D.A Press | Fonte: sentidosdonascer.org


Epidemia de zika

Em razão da epidemia de zika que assusta o país e a relação cada vez mais forte entre a infecção de grávidas e o nascimento de bebês com microcefalia, a exposição ainda oferece informações para prevenção da doença na gestação.

A partir do dia 18 de março, a exposição segue novamente para o Campus saúde da UFMG, na Avenida Alfredo Balena.



EXPOSIÇÃO INTERATIVA SENTIDOS DO NASCER NA FEIRA DO BEBÊ E DA GESTANTE
Até 13 de março
Horário: Terça à sexta: 14h às 22h / Sábado: 10h às 22h / Domingo de 10h às 18h.
Local: Minas Centro - BH (Rua Guajajaras)
Informações: www.sentidosdonascer.org.br
Agendamento de vistas em grupos (acima de 5 pessoas) pelo site

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA