Excesso de preocupação com odor da região íntima leva mulheres a usar desodorante no local

O órgão sexual feminino tem cheiro característico, porém, é preciso identificar qualquer alteração

por Cecília Garcia 03/03/2016 10:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Quando se trata da região íntima feminina, uma situação que incomoda boa parte das mulheres é o odor. O desconforto causado pelo medo de não saber se há algum mau cheiro perceptível faz com que muitas errem na hora de realizar a higienização ou de buscar formas para controlar o problema. Para o ginecologista e obstetra Alberto Guimarães, um aspecto fundamental é saber que cada região do corpo tem um cheiro específico e isso não é, por si só, motivo de preocupação.

No caso da parte genital feminina, o odor característico decorre da flora bacteriana, do potencial de hidrogênio (pH) local e do fato de a área ser rica em glândulas, como as sudoríparas e as sebáceas. Outro ponto ressaltado pelo profissional é relativo ao autoconhecimento. A mulher precisa conhecer seu cheiro natural. É importante ter esse parâmetro para que, ocorrendo alterações, ela procure um médico.

Para evitar que o cheiro fique intenso ao longo do dia, algumas recorrem a desodorantes íntimos. A proposta do produto é oferecer o conforto para quem fica muitas horas longe de casa ou viaja muito. Trata-se de um perfume de fragrância suave para a parte externa da vagina, sem o uso de ativos químicos que modificam o pH local. Na opinião do ginecologista Alberto Guimarães, o produto pode ser usado de vez em quando, desde que a mulher não se sinta insegura com o próprio cheiro quando não aplicar o desodorante.

Valdo Virgo / CB / D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais (foto: Valdo Virgo / CB / D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA