EUA investigam 14 possíveis casos de infecção do Zika por relação sexual

Epidemia poderá afetar entre 3 milhões e 4 milhões de pessoas no continente americano

por Agência Brasil 24/02/2016 09:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
As autoridades sanitárias dos Estados Unidos informaram nesta terça-feira (23/02) que estão investigando 14 casos de infecção de vírus Zika no país que podem ter sido transmitidos por via sexual. Dois dos casos são de mulheres cuja infecção foi confirmada e que não viajaram para países afetados pela epidemia da doença.

O único fator de risco conhecido permanece na transmissão sexual, porque os seus parceiros visitaram as regiões afetadas, explicou, em comunicado, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano. Os homens estão sendo examinados para determinar se estão infectados pelo vírus.

Em outras quatro mulheres, os resultados preliminares dos testes também confirmaram infecção com o vírus e o CDC aguarda os resultados dos exames feitos em mais oito mulheres. O CDC informou, há algumas semanas, um caso de possível transmissão por via sexual no Texas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que a epidemia poderá afetar entre 3 milhões e 4 milhões de pessoas no continente americano. O Brasil e a Colômbia são os países onde se registram mais casos de infectados e de suspeitos.

A OMS determinou que o surto do vírus Zika constitui uma emergência sanitária de alcance internacional.

O vírus é transmitido aos seres humanos pela picada de mosquitos Aedes aegypti infectados e está associado a complicações neurológicas e malformações em fetos. A mesma espécie de inseto também é responsável pela transmissão da dengue e da Chikungunya.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA