Entenda a diferença do hipo e hipertireoidismo e as implicações de cada uma das patologias

A tireoide é uma glândula que produz hormônios responsáveis por controlar a velocidade do metabolismo do corpo

por Estado de Minas 24/02/2016 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução da Internet
15% da população brasileira sofre de problemas na tireoide (foto: Reprodução da Internet)
A tireoide é uma glândula localizada na frente do pescoço com a forma aproximada de uma borboleta, com dois lobos de cada lado da traqueia unidos pelo istmo. Ela produz dois hormônios que contêm iodo, a tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3). Esses hormônios são responsáveis por controlar a velocidade do metabolismo, influenciando no desenvolvimento do corpo e na atividade do sistema nervoso.

Quando a tireoide não exerce bem sua atividade, pode liberar hormônios em excesso (hipertireoidismo) ou em quantidade insuficiente (hipotireoidismo). As duas patologias podem ser detectadas por exames periódicos e laboratoriais ou ainda analisando os sintomas. A doença pode aparecer por um período curto ou longo e ser desencadeada por diversos fatores. O importante é que diagnosticar as doenças da tireoide não é complicado e o tratamento pode salvar vidas.

Cada diagnóstico necessita de um tratamento adequado que quanto antes for iniciado melhor e mais rápido o organismo do paciente vai reagir”, afirma Jorge Kim, especialista em cirurgia de cabeça e pescoço e em doenças da tireoide e paratireoide da Alira Medicina Clínica e Cirúrgica.

Entre os principais sintomas de que a pessoa possa estar sofrendo de hipotireoidismo estão cansaço excessivo, sonolência, perda de memória, dores musculares e nas articulações, aumento dos níveis de colesterol no sangue, ressecamento da pele e unhas, queda de cabelo, prisão de ventre e até depressão. Em crianças, inclusive, o crescimento pode ficar comprometido. “Isso ocorre porque – com a falta de hormônios, em decorrência do mau funcionamento da glândula – tudo começa a trabalhar de forma mais lenta no corpo: o coração bate mais devagar, o intestino fica preso, etc.”, acrescenta o especialista.

No caso do hipertireoidismo, a glândula passa a produzir os hormônios tiroxina e tri-iodotironina em excesso. Os sintomas são similares a de muitas outras doenças, mas podemos citar como os principais a perda de peso repentina, mesmo a pessoa alimentando-se da mesma forma de sempre, taquicardia (mais de 100 batimentos cardíacos por minuto), arritmia e palpitações, tremor nas mãos e dedos, suor excessivo, mudanças na menstruação, intolerância ao calor, mudanças no funcionamento do intestino, com evacuações frequentes, fadiga e fraqueza muscular, dificuldade para dormir, cabelo quebradiço ou perda de cabelo e bócio (glândula tireoide visivelmente aumentada) ou nódulos na tireoide.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA