Laser tem sido cada vez mais usado para tratamentos na boca como herpes labial

Especialistas têm feito uso do equipamento de forma terapêutica também no cuidado de aftas, hipersensibilidade na dentina e outras questões que afetam a cavidade bucal

por Ludymilla Sá 22/02/2016 10:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Sol demais, frio excessivo, estresse. Esses são os principais vilões para quem tem herpes simples. A exposição a qualquer uma dessas situações pode resultar em uma nova crise da doença, que começa com uma coceira incômoda nos lábios, na pele ao redor da boca ou no interior dela, até formar lesões com aspecto de pequenas bolhas cheias de líquido. A enfermidade causada pelo vírus do herpes simples (HSV-1) não tem cura, mas seu tratamento ganhou um forte aliado: o laser terapêutico, já usado por dentistas para diminuir o desconforto dos pacientes durante e depois das cirurgias.

LIVRO TERAPIA FOTODINÂMICA EMODONTOLOGIA/REPRODUÇÃO
(foto: LIVRO TERAPIA FOTODINÂMICA EMODONTOLOGIA/REPRODUÇÃO)


O laser tem sido usado ainda para melhorar a higiene bucal de forma geral: em casos de doenças periodontais, mucosite oral, hipersensibilidade na dentina, disfunção temporomandibular e até nas aftas. A cirurgiã-dentista, especialista em implante e reabilitação oral Regina Bregalda ressalta, porém, que, em caso de infecções mais graves da boca, como as doenças periodontais, é possível controlar os sintomas com o laser, mas é necessário o tratamento clínico simultaneamente.

No caso do herpes, o vírus costuma entrar em nosso corpo pela pele, migrando rapidamente para os nervos e viajando por meio deles até a coluna vertebral, onde vai se alojar em um gânglio da raiz dorsal que contém um grupo de neurônios. Podemos dizer que lá ele consegue ficar escondido do sistema imunológico e dos medicamentos. E retoma o caminho de volta até a pele, provocando uma nova crise, quando o sistema imunológico sofre uma baixa. Segundo especialistas, a laserterapia pode ajudar na prevenção do problema, aliviando as dores e suspendendo a necessidade do uso dos famosos antivirais. Ou seja, o recurso, muito usado nos consultórios odontológicos, pode deixar a vida do infectado um pouco mais suave, a partir do momento em que vai abreviar as crises da doença.

Carmine Furletti Terceiro/Divulgação
A cirurgiã-dentista Regina Bregalda atesta: o laser terapêutico atua como anti-inflamatório e estimula a regeneração celular (foto: Carmine Furletti Terceiro/Divulgação)

O laser que oferece propriedades terapêuticas é o de baixa potência – o de alta é mais conhecido como cirúrgico. A técnica também tem o benefício de não apresentar contraindicação. Ou seja, pode ser aplicada quantas vezes forem necessárias sem oferecer risco ao paciente, porque não causa resistência viral, segundo especialistas.

Regina explica o processo. Segundo ela, a energia do laser é absorvida pelas células doentes do corpo e aumenta a microcirculação local, restabelecendo a produção de energia (ATP celular): “Isso porque o laser terapêutico ou de baixa potência tem ação anti-inflamatória e analgésica e estimula a regeneração celular. Em alguns casos, com apenas uma aplicação, já é possível diminuir a dor e retardar o avanço da doença.”

DrFelipeAdes.files.wordpress.com/Reprodução da Internet
A aplicação é indolor e, segundo odontologistas, e uma excelente alternativa para cicatrizar tecidos, pois aumenta a circulação no local (foto: DrFelipeAdes.files.wordpress.com/Reprodução da Internet)
A especialista explica que o laser terapêutico vai reduzir a carga viral, acelerar a cicatrização, aliviar a dor e ainda reparar os tecidos traumatizados. “O tratamento pode ser feito assim que surgirem os primeiros sintomas do herpes simples, como coceira no local, ou quando já está instalada a lesão”, explica. Para obter sucesso no tratamento, a aplicação deve ser feita no paciente por três dias consecutivos, pelo menos, e repetida todas as vezes que as lesões aparecerem, segundo a odontologista. “No segundo dia, a lesão já começa a secar. No terceiro, ela praticamente não existe.”

OUTRAS ENFERMIDADES
Regina Bregalda explica que o laser age de forma diferente sobre cada problema. No caso das aftas, que são úlceras mais comuns e que podem aparecer em toda a boca, a aplicação do laser vai aliviar a dor e acelerar a cicatrização. Também vai auxiliar na reparação do tecido e reduzir o surgimento das feridas. “Pode ser usado ainda como prevenção para melhorar a qualidade da mucosa e diminuir a frequência de aftas. E ser ainda aplicado em crianças, especialmente, naquelas que têm muitas lesões causadas pelo aparelho ortodôntico.”

Por não ter contraindicações, o tratamento pode ser feito em qualquer tipo de paciente, em conjunto com outros tratamentos convencionais ou de maneira isolada. “É maravilhoso você poder aliviar a dor e melhorar a qualidade de vida de pacientes oncológicos, por exemplo. Pessoas que passam por processos de quimioterapia e radioterapia podem desenvolver edemas e, principalmente, a mucosite, que é a inflamação na parte interna da boca e região da garganta”, acrescenta Regina.

Como funciona?

» Herpes labial
O laser terapêutico reduz a carga viral, acelera a cicatrização, alivia a dor e repara os tecidos traumatizados. A laserterapia pode ser feita assim que surgirem os primeiros sintomas do herpes simples, como coceira no local, ou quando já está instalada a lesão. A aplicação deve ser feita por pelo menos três dias consecutivos e deve ser repetida todas as vezes que as lesões aparecerem. O laser reduz a incidência de crises e evita o uso de medicamentos.

» Aftas
Alivia a dor e acelera a cicatrização. Pode ser aplicado também em crianças e é ideal para quem apresenta muitas lesões causadas pelo atrito do aparelho ortodôntico com a mucosa. O laser auxilia na reparação do tecido e reduz o surgimento de feridas. Pode ser usado ainda como prevenção para melhorar a qualidade da mucosa e diminuir a frequência das úlceras.

» Hipersensibilidade da dentina

É uma dor aguda de curta duração, que aparece quando a raiz do dente afetado fica exposta e entra em contato com alguns estímulos. Essa dor pode melhorar com apenas uma aplicação de laser terapêutico, mas o tratamento pode variar entre três e cinco sessões.

» Doença periodontal

Inflamação que afeta os tecidos que suportam o dente dentro da cavidade oral e está relacionada com diferentes problemas de saúde. Atinge, principalmente, diabéticos. Associado a um composto chamado fotossensibilizador, o laser será um aliado no combate a infecções orais por meio da terapia fotodinâmica (PDT). A técnica proporciona a diminuição do uso de antibióticos, prevenindo a resistência microbiana.

» Mucosite oral
Afeta a parte interna da boca e a região da garganta, caracterizada por dolorosas úlceras e feridas. Comum em pacientes em tratamento de câncer à base de quimioterapia ou radioterapia. A laserterapia, nesse caso, deve ser usada de forma preventiva, antes do aparecimento de sintomas da mucosite.

» Disfunção temporomandibular (DTM)
Qualquer doença relacionada à articulação temporomandibular recebe esse nome: dor ou cansaço muscular na região lateral do rosto, dor ao abrir e fechar a boca e estalos e zumbidos no ouvido. A aplicação do laser alivia as dores causadas por esses problemas.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA